A xenofobia no tempo do Software Livre

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Abordaremos a xenofobia no tempo do software livre.

A xenofobia no tempo do Software Livre

Segundo a Wikipédia, xenofobia é o medo, aversão que o ser humano normalmente tem ao que é diferente para um determinado indivíduo ou grupo de indivíduos.

A palavra xenofobia é ainda usada em um sentido amplo, mas muito debatido, referindo-se a qualquer forma de preconceito, racial, grupal, grupos minoritários, ou culturais, incluindo-se ai também por preferências quando ao tipo de software, grupos de software livre e grupos de software proprietário. Ambos, o software livre e o software proprietário, estão sujeitos à licença de uso em que foram disponibilizados, ambos têm aptidão comercial, diferentemente do que muita gente pensa, sendo diferente apenas o modelo de negócios. O software livre garante a proteção dos direitos autorais dos seus criadores através da licença que governa sua distribuição, enquanto o software proprietário tem sua garantia através da comercialização, feita através de contratos e outros documentos fiscais. O software livre procura manter-se através de serviços, doações e licenças; enquanto o software proprietário é totalmente dependente de licenças, que geralmente são muito onerosas e impossibilita o acesso a tecnologia pelos meios legais, incentivando e criando a violação aos direitos de propriedade e também direitos autorais, cuja alcunha é pirataria. Os dois grupos, defensores do Software Livre e defensores do Software Proprietário, existem em grande numero no meio ambiente tecnológico, e é comum que haja ações predatórias neste meio ambiente. Entretanto a xenofobia esta se arraigando e tomando conta de forma sistêmica  da tecnologia da informação, fazendo com que este ambiente, que deveria ser propicio ao desenvolvimento, criação e inovação,  se transforme uma verdadeira carnificina.

Partindo dessa premissa e vivendo em um mundo em que nem tudo é perfeito, por mais avançados que estejamos em relação a muitos assuntos ou áreas, não podemos deixar de discutir estas ações xenófilas que estão acontecendo em relação a Software Livre e Software Proprietário. Assim como existe o preconceito racial e a intolerância em relação a homossexuais, negros, nordestinos ou outras etnias, estas ações xenófilas estão penetrando também na relação Livre X Proprietário. Neste cenário, é grande o numero de usuários utilizam de Softwares Pagos para executarem suas tarefas no dia a dia, e tem preferência por utilizar tais softwares. Não obstante temos também um grande numero que utiliza os dois Livre e Proprietário ao mesmo tempo, e por último, num numero cada vez maior e crescente os que só utilizam Software Livre. Estão-se numa democracia, onde o direito de escolha é livre, cabe a cada cidadão, seja ela pessoa física ou jurídica, de direito publico ou privado a escolha de sua preferência pelo tipo de software que deseja utilizar. Esta falta de respeito e de tolerância a preferência é caracterizado como xenofobia. Por exemplo, é inconcebível que se desenvolva um site que rode apenas, por exemplo, somente no Internet Explorer ou  somente no Mozilla. Outro fato que deve ser repensado é quanto a listas onde se discute determinado produtos da tecnologia, livres ou proprietários, onde quem tem opinião diferente é expulso da lista de discussão. Como ainda não é possível viver e conviver apenas com Software Livre, temos que estar cientes que temos que trabalhar e conviver com vários modelos de plataforma, e este tipo de atitude e preconceito não é aceitável no modelo de sociedade onde estamos inseridos. Com tanto avanço do qual vangloriamos por estarmos na era do conhecimento, não estamos tendo a decência de respeitar a vontade do próximo. Não tenho nada a favor das empresas que detêm o mercado de Software Pago ou Proprietário. Muito pelo contrário, penso que seja, em muitos casos, um abuso os valores cobrados, além do que é uma forma de segregação  em plena era digital, era em que vivemos e julgamos estarem erradicadas tais práticas.

O objetivo deste artigo não é discutir quem está certo ou errado, mas sim demonstrar que pode haver uma harmonia e integração, e que os Softwares Livres podem conviver pacificamente e perfeitamente com o Software Proprietário. Vou mais além, que o Software Livre pode utilizar-se de sua liberdade para se comunicar com o Software Proprietário, que em quase a sua totalidade é restrito e fechado. Além de poder fazer com que o Software Pago faça parte do trabalho sem que haja maiores prejuízos para o usuário final. Usuário esse que por vezes se utilizam destes Softwares Pagos para executarem suas tarefas no dia a dia e muitas vezes nem sabe que isso esta acontecendo. Creio piamente que este processo esta mudando, e que tenha uma grande maioria de usuários em busca da liberdade, estão em busca do Software Livre. Entretanto, esse é um processo lento e gradual, que no caso da informática pode durar apenas um curto período de tempo, se contado em tempo real, mas que pode ser uma eternidade se contado no tempo tecnológico.

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?