Android com o Netbeans: Configure um ambiente de desenvolvimento - Artigo WebMobile Magazine 32

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (1)

Este artigo apresenta os passos iniciais no desenvolvimento Android. Primeiramente, será apresentado como configurar o ambiente NetBeans e Android SDK. Em seguida, será desenvolvida uma aplicação didática para apresentar os conceitos básicos da plataforma.

Atenção: esse artigo tem um vídeo complementar. Clique e assista!

[lead]De que se trata o artigo:

Este artigo apresenta os passos iniciais no desenvolvimento Android. Primeiramente, será apresentado como configurar o ambiente NetBeans e Android SDK. Em seguida, será desenvolvida uma aplicação didática para apresentar os conceitos básicos da plataforma.

Para que serve:

Para desenvolvedores que desejam iniciar no desenvolvimento de aplicativos Android. Um conhecimento prévio de Java e da IDE Netbeans é desejável, também, um conhecimento da linguagem de marcação XML é bem vindo. Porém, mesmo desenvolvedores inexperientes terão facilidade para compreender o conteúdo deste artigo.

Em que situação o tema é útil:

Para programadores que desejam desenvolver aplicativos móveis com Android, mas que não possuam conhecimento da plataforma.

Autores: Robison Cris Brito e Ricardo Ogliari [/lead]

Criado pela Google em consórcio com mais de 40 empresas, o Android é uma plataforma para desenvolvimento e execução de programas para dispositivos móveis, robusta e de fácil utilização/aprendizagem. Esta plataforma é vista hoje como uma ótima alternativa para o desenvolvimento de aplicações.

Aos programadores que conhecem outras linguagens de programação, como Java ME, Windows Mobile, Widgets, entre outras, aprender a programar com Android é uma tarefa simples, uma vez que esta tecnologia utiliza a linguagem de programação Java, com algumas semelhanças ao Java ME, e para o desenvolvimento da interface visual pode-se utilizar arquivos XML, o que simplifica consideravelmente o processo de desenvolvimento.

A grande aposta do Android são os novos aparelhos celulares, mais conhecidos como smartphones, que podem ser resumidos a celulares com grande poder de processamento e que integram vários recursos, como alta conectividade com a internet, GPS, sensores, telas sensíveis a toque, e muito mais.

Para otimizar a execução de aplicações mobile desenvolvidos em Android, este utiliza uma máquina virtual chamada Dalvik, que foi projetada para otimizar a memória e os recursos de hardware em um ambiente que pode ser bastante limitado. Por este motivo, os programas desenvolvidos com a plataforma Android possuem a extensão dex, que significa Dalvik Executable, fazendo uma referência à máquina virtual Dalvik.

[subtitulo]Um pouco da história [/subtitulo]

O Android é um projeto de código aberto, e por este motivo surgem novas versões em um ritmo acelerado. Embora muitos achem que o Android foi desenvolvido exclusivamente pela Google, na verdade o mesmo foi desenvolvido pela Open Handset Alliance (OHA), uma aliança fundada em 2007, onde além da Google outras empresas do setor, como Intel, Acer, Motorola, Asus, DoCoMo, HTC, Huawei, Sprint, Kyocera, T-Mobile, LG, Samsun, Vodafone, SonyEricsson, Qualcomm e NVidia se reunirão para criar novas tecnologias, sendo seu primeiro lançamento a plataforma Android.

Na sequência, foi lançado o primeiro dispositivo móvel Android Enabled: o HTC T-Mobile, lançado em 2008 - Figura 1, sendo em seguida lançado inúmeros outros aparelhos com suporte a esta nova plataforma, como sistemas de navegação veicular, um Netbook e até mesmo automóveis com painéis eletrônicos inteligentes.

Figura 1. HTC T-Mobile, primeiro aparelho com Android.

Uma das características mais importantes do Android é a prioridade igualitária para aplicativos nativos e de terceiros. As aplicações desenvolvidas por terceiros dispõem de toda a infra-estrutura de hardware e software, assim como os aplicativos nativos, como por exemplo, acesso ao Google Maps, Calendário, Agenda, dentre outros. Talvez seja uma das plataformas com a ligação mais forte entre a plataforma de desenvolvimento e o sistema operacional.

Para completar a lista de vantagens, destaca-se seu design sofisticado e o fato de ter o nome associado ao Google, completando a força que a plataforma precisa para impulsionar seu avanço no mercado.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Ficou com alguma dúvida?