Artigo Clube Delphi Edição 4 - O novo paradigma: A Intenet

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (2)  (0)

Artigo da Revista Clube Delphi Edição 4.

Esse artigo faz parte da revista Clube Delphi edição 4. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição



Atenção: por essa edição ser muito antiga não há arquivo PDF para download. Os artigos dessa edição estão disponíveis somente através do formato HTML. 

 

O novo paradigma: A Intenet

 

A curiosidade em conhecer o futuro e prever o mercado talvez seja um ponto em comum na maioria  dos prossionais.Isto vale, é claro, para o mercado de informática, apesar do fato de que a previsão nesta área está cada vez mais difícil. Possivelmente pelo fato de estarmos expostos as constantes mudanças de nossa área, já estarmos acostumado com essa absurda velocidade de transformação das coisas. Mesmo assim, alguns fatos realmente causam certa polêmica, mesmo numa área tão estável como esta. Me lembro  de alguns anunciamentos que ocasionaram polêmicas assim.Por exemplo, o lançamento do Windows 95. Na época de seu anunciamento, muitos não conseguiam sem o bom e velho DOS. E pensar em um sistema operacional totalmente gráfico era muito difícil, principalmente para quem só conhecia Plataforma PC.O lançamento aconteceu e o DOS deixou de ser usado, para controvérsia da maioria que não acreditava que isto pudesse ser possível.

Estamos agora acompanhando a lenta transformação da micro-informática, e vendo o mais novo paradigma do mercado: a Internet. Não a Internet que conhecemos hoje,mas sim a Internet do futuro. Por causa dessa Internet do futuro, os usuários de Informática, por incrível que pareça, não precisarão mais de um microcomputador. O computador, que inicialmente foi uma ferramenta exclusiva para técnicos, voltará  às suas origens. Com o surgimento do Desktop e os atrativos como recursos de multimídia e facilidade de uso, o micro passou a tomar um lugar na mesa de simples usuários, que não usam a máquina especificamente para o trabalho, mas por outro entretenimento. Com a Internet, os usuários não precisarão mais de uma máquina exclusiva para oferecer este tipo de processamento. Os aparelhos domésticos já irão oferecer, de forma integrada, a

conexão à rede e o processamento de impressão e multimídia que se encontra hoje nos micros. Isto já é visível. Já existe, por exemplo, videogames que se conectam à rede e oferecem os produtos http(home-pages), SMTP e PQP (serviço de e-mail),assim como a possibilidade de interligar diferentes jogadores no mesmo jogo.O Mega Drive e o SegaSaturn já oferecem este tipo de tecnologia. O Mega Drive inclusive, tem um cartucho de InternetBanking com o Bradesco, no qual o usuário pode tirar extratos e fazer movimentações da sua conta bancária de um simples videogame! Em alguns dos principais shoppings das capitais já se encontram webmachines, que tem como único objetivo oferecer conexão a teia.Não muito longe, começam a aparecer aparelhos celulares com à conexão a internet e outros serviços, como agenda, calculadora, etc... Para que, um simples usuário, que nada tem haver com códigos de programação, IRQs, Setups, Placas e etc..., precisará de uma gigantesca e complexa máquina de processamento em cima de sua mesa que oferece os mesmos serviços que seu simples relógio ou celular?  É um futuro talvez distante, mas não impossível. Vou mais longe, e imagino o planeta Digital Persona, onde quem na possuir um nome@algumlugar não será ninguém.

Provavelmente o computador voltará a ser uma ferramenta de técnicos e pessoas que realmente são do ramo. Esta mudança gradual  do mercado está acontecendo lentamente, e talvez cause polêmica quanto os grandes lançamentos que já foram presenciados. Outro grande ‘’boom’’ que aguardo com certa ansiedade é o início do uso da internet em grande escala e com alta performance. Com uma conexão em alta velocidade e grande taxa de transferência, teremos uma grande quantidade de conhecimento muito grande em nossas mãos. Haverá até uma  banalização em algumas áreas. Componentes para programação, por exemplo, serão encontrados na rede com tanta  facilidade, que o trabalho de quem os desenvolve será desvalorizado. De qualquer forma, talvez nada disso aconteça, ou demore tanto para acontecer, que apenas teremos computadores de 20000 mhz em nossas mesas, rodando o Word 2015 com a mesma performance de 5 anos atrás

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?