Artigo Engenharia de Software 21 - Colaboração em Processos de Aquisição de Software

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Artigo da Revista Engenharia de Software edição 21.

Esse artigo faz parte da revista Engenharia de Software 21 edição especial. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição



Processo

Colaboração em Processos de Aquisição de Software

 

De que trata o artigo:

Utilizando o Modelo de Colaboração 3C e o Guia de Aquisição do MPS.Br, este artigo discorre sobre os aspectos colaborativos em processos de aquisição de software. Ele identifica suas principais questões e também algumas ferramentas para apoio ao trabalho colaborativo no contexto descrito.

 

Para que serve:

O objetivo deste artigo é apresentar os problemas específicos relacionado à colaboração em processos de aquisição de software e indicar algumas das possíveis soluções para estes.

 

Em que situação o tema útil:

O tema é útil para organizações que adquirem softwares produzidos por terceiros e que desejam melhorar seu processo de aquisição, com o fim de torná-lo eficiente e eficaz.

 

Organizações que tenham necessidades de adquirir software e serviços relacionados se deparam frequentemente com problemas inerentes ao trabalho colaborativo, que se caracteriza pelo trabalho através da interação entre diversos indivíduos. Os desafios e problemas de interação não possuem uma solução simples, como um produto único disponível no mercado, e não podem ser tratados somente por meio de ferramentas. Os desafios podem envolver desde a integração de pessoas com perfis profissionais diferentes até as dificuldades de identificação das necessidades de aquisição, dado que cada stakeholder tem sua própria visão e abordagem. Para ilustrar a situação considere o seguinte cenário:

·         Equipes de departamentos jurídico e técnico discutindo questões legais sobre contratos de software;

·         Analistas de requisitos discutindo e obtendo aprovação de requisitos, junto aos usuários;

·         O gerenciamento do contrato, o qual poderia ser verificado, ou mesmo renegociado, a cada nova versão do sistema com o cliente.

 

O objeto da aquisição definido pelo Guia de Aquisição do MPS.BR é “o produto de software propriamente dito, bem como serviços tipicamente relacionados ao desenvolvimento, implantação, suporte à operação e manutenção do software.” O processo de aquisição trata das atividades relacionadas à contratação deste objeto, com o fim de criar e manter uma relação entre cliente e fornecedor em que expectativas de incorporação e entrega de sistemas sejam atendidas. Esse processo pode ser descrito através de quatro fases:

1.    preparação da aquisição

2.    seleção do fornecedor

3.    monitoração do fornecedor

4.    aceitação pelo cliente

O problema

Para atender novas demandas organizacionais por tecnologia de informação, pode ser necessário:

·         Desenvolver novos sistemas no lugar dos que já existem;

·         Desenvolver sistemas que reutilizem os que já existem ou realizar serviços para sua manutenção;

·         Contratar outra empresa que realize as atividades mencionadas acima;

·         Adquirir sistemas gratuitos que atendam às necessidades.

 

Caso a decisão tomada seja por contratar o desenvolvimento, será necessário, em linhas gerais: definir as necessidades que o sistema atenderá; selecionar o fornecedor; criar um ou mais contratos, formalmente ou informalmente definido, dependendo do nível de cerimônia combinado com o contratante; estabelecer meios de comunicação com o fornecedor e acompanhar o cumprimento do contrato; e, por fim, aceitar ou não o sistema.

Esse processo poderia se repetir diversas vezes. Por conta disso, surgem questões indagando se a forma de trabalho auxiliou na integração e na comunicação entre os interessados no projeto, ou se o conhecimento adquirido, que poderia ser útil para novas aquisições, foi registrado adequadamente.

O Guia de Aquisição do MPS.BR e a Colaboração

O Guia de Aquisição do MPS.BR é um modelo de referência para processos de aquisição de software. Ele define que esses processos são constituídos de atividades, as quais são executadas em fases específicas e possuem produtos como pré-condições ou pós-condições. Essas fases são:

1.    Preparação da aquisição: trata da definição de necessidades, requisitos de software, metas e critérios de aceitação do software a ser contratado, bem como a definição do plano da aquisição; aqui se busca entender as necessidades do sistema a ser adquirido;

2.    Seleção do fornecedor: trata da preparação e negociação de contratos com fornecedores e avaliação e seleção destes;

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Ficou com alguma dúvida?