Artigo Java Magazine 03 - A Vida, o Universo e Tudo Mais

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Artigo publicado pela Java Magazine 03.

Esse artigo faz parte da revista Java Magazine edição 03. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

Fazendo o mercado wireless acontecer

A importância do J2ME

O mercado wireless brasileiro está amadurecendo rapidamente, e a tecnologia Java tem importância decisiva nesse processo

Nesse mundo tecnológico competitivo, ter a real noção do mercado e da importância relativa das tecnologias é fundamental para que saibamos como aplicá-las corretamente.

Em particular, no mundo das aplicações wireless – ou a plataforma J2ME, no caso específico do ambiente Java – como desenvolvedores precisamos entender até onde vai a solução tecnológica e onde começam os problemas do mercado. Só assim entenderemos as reais dificuldades que enfrentamos, e onde deveremos focar nossos esforços para fazer esse mercado acontecer.

É claro que a tecnologia J2ME é poderosa e importante. É mesmo considerada uma das principais plataformas Java. Tão fundamental que merece ter seu próprio Comitê Executivo dentro do JCP (Java Community Process), o processo de padronização da plataforma Java. Mas apenas afirmar sua importância não coloca a tecnologia em perspectiva.

Vamos então analisar a tecnologia J2ME, e o mercado no qual ela se insere.

Mercado de aplicações

Já faz algum tempo que ouvimos falar do mercado wireless – em especial a telefonia celular – e como isso vai mudar o mundo. Internet de bolso, velocidades espantosas de acesso, videoconferência – essas são apenas algumas das promessas que temos visto e com as quais temos nos deliciado nos últimos anos. Como desenvolvedores, temos aguardado ansiosos tudo isso acontecer.

Apesar das promessas, o início desse mercado foi marcado por um certo desapontamento. Não é por menos. A noção inicial de que o telefone celular – e os pequenos aparelhos em geral – seriam "PCs de bolso" e serviriam como browsers web portáteis não levou em conta o fato de que a forma de utilização dos aparelhos móveis não combina com o mundo e o estilo das páginas HTML feitas para PCs.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?