Artigo Java Magazine 06 - Java Livre

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Artigo publicado pela Java Magazine 06.

Esse artigo faz parte da revista Java Magazine edição 06. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

Java livre

Tomcat fundamental

Arquitetura, instalação e configuração

A Apache Foundation foi formada em torno da comunidade de desenvolvedores e usuários do Apache, o servidor web mais popular da internet, tanto acadêmica como comercial, e se tornou um guarda-chuva para dezenas de projetos de software livre relacionados com conteúdo web, em especial os relacionados com geração de sites dinâmicos a partir de lógica de negócios hospedada no servidor.

Talvez o mais bem-sucedido desses projetos seja o Jakarta, voltado para tecnologias Java no servidor. O Jakarta foi iniciado quando o Java ainda estava em sua infância, por isso esse projeto precisou desenvolver uma série de tecnologias de infra-estrutura cuja aplicação vai além de aplicações web, como o Ant (apresentado na Edição 2).

O Tomcat nasceu quando a Sun decidiu doar ao projeto Jakarta, e à Apache Foundation, o código (inacabado) da implementação de referência da especificação 2.1 de servlets e 1.1 de JavaServer Pages (JSP). Esse foi um movimento sábio da empresa: em vez de prosseguir no desenvolvimento de uma implementação de referência “capenga” para uma API crucial ao sucesso da plataforma Java, colaborar com a comunidade de usuários e desenvolvedores para construir uma implementação robusta, pronta para produção e liberada como software livre. Assim toda a comunidade pôde se beneficiar.

Desde então, o Tomcat vem sendo incorporado a um número crescente de servidores de aplicação e IDEs Java e continua sendo a implementação oficial das mais novas especificações para aplicações Java para web.

O Tomcat já nasceu na versão 3.0, já trazendo novidades como o formato de pacote WAR (Web Application Archive). Desde a versão 4.0, o Tomcat implementa não só as especificações de servlets e JSP, mas também todas as exigências para containers web definidas nas especificações do J2EE. Futuras exigências dessas especificações costumam ser implementadas antecipadamente no Tomcat, tais como o suporte a JMX (que só será obrigatório nas especificações de servlets 2.4 e J2EE 1.4).

 

Tomcat e especificações

Há duas versões atualmente suportadas do Tomcat (séries 3 e 4), além da série 5 ainda em desenvolvimento. Todas elas continuam sendo ativamente suportadas (incluindo correções de bugs e melhorias de desempenho), pois aplicações em produção podem exigir versões diferentes das especificações, que nem sempre são compatíveis retroativamente. A tabela abaixo indica a correspondência entre as versões do Tomcat, de servlets e de JSP:

Série/Versão do Tomcat

Versão de servlets/JSP

3.x (3.3.1)

2.2/1.1

4.0.x (4.0.6)

2.3/1.2 ou 2.2/1.1

4.1.x (4.1.18)

2.3/1.2

5.x (5.0.0 Alpha)

2.4/2.0

Arquitetura do Tomcat

Nosso foco neste artigo é o Tomcat 4.x, a atual série estável. A versão 4.x possui três componentes principais:

Catalina é a segunda geração de container web fornecida pelo Tomcat, que deu origem à série 4.x e continua evoluindo no 5.x. Sua função é gerenciar o ciclo de vida dos servlets, decidindo quando gerar novas instâncias ou quando descartá-las para poupar memória. O Catalina é também o responsável por mapear URLs para servlets e por devolver o documento gerado (em geral uma página HTML) para o navegador. Note, entretanto, que o Catalina não interage diretamente com o navegador ou com o servidor web que requisita a URL; em vez disso deve ser configurado um conector para realizar esta interação.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?