Artigo Java Magazine 16 - JBuilder para web

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Neste artigo, apresentamos uma introdução ao JBuilder X, a ferra­menta de desenvolvimento Java da Borland, focando na versão Developer e em suas funcionalidades para o desen­volvimento web, em especial no suporte a Struts, taglibs JSP e Ant.

Esse artigo faz parte da revista Java Magazine edição 16. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

JBuilder para web

 

Neste artigo, apresentamos uma introdução ao JBuilder X, a ferra­menta de desenvolvimento Java da Borland, focando na versão Developer e em suas funcionalidades para o desen­volvimento web, em especial no suporte a Struts, taglibs JSP e Ant.

 Para uma introdução ao Struts, consulte as edições 6 e 7 da Java Magazine; mais sobre o Tomcat, pode ser visto na Edição 6.

Web modules

O JBuilder X Developer oferece suporte a Servlets 2.3 e JSP 1.2, e vem com três
versões do Tomcat integradas. No JBuil­der, componentes web (páginas JSP,
Servlets, descritores web) são abrigados em Web Modules. Para criar uma apli­cação, primeiro é preciso criar um Web Module.

 O JBuilder não requer um tipo especial de projeto para aplicações J2EE/Web. Um projeto comum pode conter diferentes tipos de módu­los, J2EE ou J2SE.

Basicamente, um Web Module repre­senta um diretório no disco contendo a estrutura de um WAR; são criados com File|New>Web>Web Module (WAR).
Pode-se criar um módulo vazio (Create empty Web Module) ou um baseado num WAR existente (Create Web Module from a directory or archive). Esta segunda opção extrai o WAR ou copia o diretório da aplicação web fornecida para o diretório do web module (veja um exemplo na Figura 1).

O JBuilder oferece um editor visual para o descritor web.xml, que permite configurar elementos e atributos através de formulários. No Structure Pane (veja o quadro “Elementos do ambiente”), a par­tir do menu de contexto de um elemento, você pode criar um novo elemento do tipo selecionado (Add), removê-lo (Delete) e validar se seus atributos obrigatórios foram incluídos usando Validate (se hou­ver inconsistências, o erro é mostrado no Message Pane).


JSPs e Servlets

O JBuilder faz a compilação de páginas JSP em tempo de desenvolvimento. Dessa forma, erros de sintaxe nas páginas JSP são detectados mesmo antes da execução da aplicação.

 Você pode também compilar uma página JSP explicitamente, escolhendo Make do seu menu de contexto no Project Pane

Para executar uma página JSP ou um Servlet, escolha Web Run using defaults; para depurá-la, use o comando Web Debug using defaults Aplicações web no JBuilder tiram proveito das capacidades de depura­ção da ferramenta – inclusive páginas JSP podem ser depuradas passo o passo.

 Para configurar o servidor utilizado para execução e depuração, chame Project|Options>Web (veja a Figura 2).

Mudanças dinâmicas

Outro recurso muito apreciado no JBuilder é a capacidade de smart-swap do depurador, que permite a alteração do código fonte de aplicação web durante a depuração. É possível substituir códigos sem reiniciar o servidor ou a JVM, evitan­do a perda de sessões, requests etc.

Para testar esse recurso, crie um bre­akpoint numa classe utilizada por uma página JSP (um JavaBean, por exemplo); para inserir um breakpoint pressione F5 com o cursor na linha.

Para disparar a depuração da página JSP, no Project Pane clique na página com o botão direito e selecione Web Debug using defaults. Quando a execução alcançar o breakpoint, realize algumas alterações no código fonte do método. Isso ativa o smart-swap do depurador. Para realizar a substituição do bytecode, selecione Run|Smart Swap no menu principal.

Nesse ponto, já que o código do método foi modificado, é necessário voltar a exe­cução do programa para uma linha antes da chamada do método, dentro da pilha de chamadas. Selecione Run|Set Execution Point e indique o ponto da pilha onde você quer reiniciar o processo (veja a Figura 3).

Struts visual

O JBuilder Developer oferece várias ferramentas para auxiliar no desenvolvimento de aplicações web baseadas no Struts, incluindo o suporte a Tiles e Struts Validator (incluído no Struts 1.1).

struts-config.xml visual

Se você é desenvolvedor Struts, sabe que uma das partes mais
trabalhosas na criação de apli­cações com esse framework é manter sincronizados os arqui­vos de configuração. Tudo o que
estiver relacionado a elementos do Struts na sua aplicação (Actions, Form Beans, Forwards, Global Forwards, Global Exceptions, Datasources etc.) precisa ter uma representação dentro do struts-config.xml.

No JBuilder você pode alterar esse arquivo de configuração usando editores e designers visu­ais, ou atacar diretamente o XML contando com a ajuda do recurso de Tag Insight (apresentado a se­guir). Para ativar o editor visual, clique sobre o struts-config.xml no Project Pane. É exibida uma estru­tura separando os elementos do arquivo por tipo (veja a Figura 4). Você pode criar um elemento selecionando Add no seu menu de contexto.

Para elementos que não necessi­tam de código Java, estes passos são suficientes para criação e con­figuração rápida. Mas o trabalho é muito maior quando criamos Actions e Form Beans – aqui é uma área onde se destacam os recursos de produtividade do JBuilder.

Figura 1. Web Module baseado no examples.war do Tomcat

Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?