Artigo Java Magazine 27 - JavaOne 2005

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Artigo publicado pela Java Magazine edição 27.

Esse artigo faz parte da revista Java Magazine edição 27. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

Atenção: por essa edição ser muito antiga não há arquivo PDF para download.Os artigos dessa edição estão disponíveis somente através do formato HTML. 

JavaOne 2005

Dividindo as Águas da Tecnologia Java

 

São Francisco, Califórnia – Java por todos os lados; em outdoors, portas de táxis, fachadas de ônibus, até caminhões-pôster. Era grande a expectativa para o JavaOne, e 2005 seria especial: o ano de aniversario de dez anos de Java.

O JavaOne acontece todos os anos, atraindo do mundo inteiro milhares de desenvolvedores. É uma maratona de palestras, reuniões, eventos paralelos, coquetéis, mesas-redondas e exposições, que dura quatro dias inteiros (sem contar o dia anterior dedicado a pré-eventos), de 8 da manhã até depois de 11 da noite.

Reunimos e resumimos aqui os principais acontecimentos e anúncios desse evento que apresenta o futuro da tecnologia Java: novidades tecnológicas e comerciais, participação brasileira, premiações e palestras.

 

Valores

Com cerca de 15 mil participantes o décimo JavaOne foi aberto por uma festiva General Session (como são chamadas as apresentações especiais realizadas no salão principal) liderada pelo VP e Fellow da Sun, John Gage, com suas tradicionais simpatia e tranqüilidade.

O primeiro chamado ao palco dói o presidente da Sun, Jonathan Schwartz. Ele destacou os aspectos que fazem de Java uma tecnologia de sucesso – compatibilidade, comunidade, volume e valor – citando como exemplo o e-Bay, o bem-sucedido site de leilões, que usa fortemente tecnologias Java e ao redor do qual existe uma imensa comunidade.

Schwartz realçou ainda que o volume de negócios no segmento de aplicações e conteúdo para celulares continua em expansão. Num depoimento gravado, o vice-presidente da NTT DoCoMo, principal empresa de telefonia celular do Japão e uma das maiores do mundo, creditou 60% dos seu 10 bilhões de dólares de faturamento a serviços baseados na tecnologia Java.

Veja mais alguns anúncios iniciais importantes:

  • A IBM renovou seu acordo de licenciamento com a Sun por mais dez anos.
  • Será liberado sob licença open source o servidor J2EE da Sun, Java System Application Server Platform Edition 9.0. O projeto, chamado Glassfish, tem como um dos objetivos estimular a colaboração da comunidade na finalização e implementação do padrão J2EE 5.0.
  • A nova geração de DVD players (Blu-Ray) virá com uma máquina virtual Java embutida. Java será usado para implementar os recursos de interatividade na plataforma.
  • A Sun também tornou open source sua implementação do Enterprise Service Bus (ESB) baseada no Java Business Integration (JSR-208). A tecnologia JBI foi um dos assuntos mais comentados do JavaOne 2005, com palestras lotadas e repetidas por excesso de público.

 

Parabéns, Java

Ao final da primeira General Session, vieram ao palco Scott McNealy (CEO da Sun), além de James Gosling e outros membros do Green Project (que criou a primeira versão da tecnologia depois chamada Java). Juntaram-se a eles um Duke tamanho-família, um bolo de vários andares carregado ao palco, e uma banda de metais.

Era a cerimônia oficial de aniversario da tecnologia Java, que terminou com luzes, música e papel picado lançado sobre a platéia. Em tempo: a idéia da comemoração foi criação brasileira – uma festança bem parecida aconteceu no Sun Tech Days de São Paulo, em abril, e encantou James Gosling (que até blogou sobre o assunto).

 

Dez anos de Java: celebração oficial com os criadores originais da tecnologia, executivos da Sun, bolo e bandinha

 

Novos nomes, mais clareza

Graham Hamilton, arquiteto líder do J2SE 1.3, 1.4 e 5.0, em sua usual apresentação no primeiro dia, anunciou oficialmente o final da duplicação de números nos nomes das plataformas Java. O próximo Java Standard Edition será abreviado como Java SE 6.0, e as JSRs do Mustang e do novo J2EE já foram modificadas para adotar a nomenclatura simplificada. Teremos oficialmente Java Se, Java EE e Java ME (mas se ouviam também as abreviações JSE, JEE e JME).

Está também confirmado que a Sun não planejava lançar uma nova versão intermediária do Java 5, por exemplo, “Java SE 5.1”. Haverá apenas updates com correções de bugs; novos recursos só na Java SE 6.0. Moral da história: não há porque – nem o que – esperar: o Java 5 está pronto para uso.

 

Moscone Center (ao centro): onde tudo acontece

 

Novidades do Mustang

Resumindo novidades do Java SE 6.0, Hamilton indicou que o foco do Mustang, em vez de introduzir mudanças fundamentais na linguagem (que ainda estão sendo absorvidas com a adoção gradual do Java 5), é trazer mais performace, estabilidade e qualidade à tecnologia. Mudanças adicionais na linguagem ficam para o Dolphin (Java SE 7.0).

Algumas futuras características do Java 6 foram destacadas:

  • Haverá mais facilidade no diagnostico de problemas e gerenciamento de aplicações. Por exemplo, o temido OutOfMemoryError, que traz pouquíssimas informações sobre o que o casou, terá no Mustang uma classe correspondente herdando de Exception (e não mais de Error), o que ajuda na identificação de problemas. E as facilidades de monitoração da JVM serão bastante estendidas.
  • Na área de desktop, entre muitas pequenas novidades, há suporte para o “Windows Vista” (o novo nome do Windows Longhorn).
  • O Java SE 6 terá embutido suporte a XML e web services. A idéia não é oferecer a todas as funcionalidades do Java EE, e sim incluir uma versão leve desses recursos no cliente, facilitando a integração com serviços mais sofisticados no servidor.

 

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?