Artigo Java Magazine 61 - Message-Driven Beans

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Veja como é fácil consumir mensagens JMS utilizando Message-Driven Beans com annotations na versão 3.0 do EJB.

Esse artigo faz parte da revista Java Magazine edição 61. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

Message-Driven Beans

Consumindo mensagens JMS com Message-Driven Beans

Veja como é fácil consumir mensagens JMS utilizando Message-Driven Beans com annotations na versão 3.0 do EJB

 

De que se trata o artigo:

Consumir mensagens JMS com Message-Driven Beans e annotations na versão 3.0 do EJB, facilitando assim a interligação de sistemas e funcionalidades.

 

Para que serve:

Facilitar o consumo de mensagens JMS sem ter que se preocupar com uma parte da infra-estrutura do projeto como pool de objetos, threads, sincronização, etc. E aumentar o desempenho do processo como um todo com chamadas assíncronas aos objetos que consomem as mensagens JMS.

 

Em que situação o tema é útil:

Expõe para desenvolvedores que utilizam sistemas de mensagens (MOMs) como é fácil consumir essas mensagens utilizando o Message-Driven Beans com annotations do EJB 3.0. Para quem tem uma funcionalidade desenvolvida em um container EJB (um Session Beans, por exemplo) e queira disponibilizar essa funcionalidade sem que a mesma fique acoplada ao cliente.

 

Message-Driven Beans – Resumo DevMan:

O artigo mostra como ficou fácil consumir mensagens dos MOMs com Message-Driven Beans e annotations na versão 3.0 do EJB. Explicamos alguns conceitos básicos de MDB, como características e ciclo de vida, e alguns conceitos avançados de MDB, como load balancing e transações. Também mostraremos um exemplo simples e prático de como criar um MDB e um cliente JMS funcionando com o Glassfish.

 

No ambiente corporativo, é comum a necessidade de integração entre sistemas. Existem várias alternativas para tal integração, sendo que uma delas, já há anos consolidada no mercado, é a integração através de troca de mensagens. Por mensagens, entende-se não apenas textos simples, mas também objetos complexos. Para o leitor iniciante no assunto, veja antes o quadro “API JMS e MOM”, que dá uma explicação resumida de JMS (Java Message Service) e MOM (Message-oriented middleware).

Com o objetivo de facilitar o desenvolvimento e também aumentar a performance com chamadas assíncronas aos objetos que consomem as mensagens JMS, surgiu o MDB (Message-Driven Beans). MDB é um componente que executa determinada lógica de negócio desenvolvida pelo programador, e é invocado pelo container no momento que uma mensagem chega na fila à qual ele está associado. Utilizando MDB o desenvolvedor não precisa se preocupar com aspectos como infra-estrutura, segurança, concorrência e transações. Dessa forma, o desenvolvedor pode focar seu esforço na lógica de negócios do cliente, que é o que realmente importa. O MDB surgiu na especificação 2.0 do EJB, mas, com a entrada de annotations na versão 3.0, ficou muito mais fácil criar e configurar esses tipos de objetos. Por isso, nosso artigo utiliza somente annotations, apesar de também ser possível trabalhar com XML na versão atual do EJB.

Características de um MDB"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?