Artigo .net Magazine 70 - Team Foundation Server e Visual Studio 2010

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Neste artigo você verá como instalar o Team Foundation Server 2010 Beta 2, que agora pode ser instalado em um Sistema Operacional Cliente, como o Windows Vista ou Windows 7. Veremos como isso permite criar um ambiente de desenvolvimento local, com os principais recursos do TFS e Visual Studio 2010 Beta 2.

Atenção: esse artigo tem uma palestra complementar. Clique e assista!

Atenção: esse artigo tem um vídeo complementar. Clique e assista!

[lead]Do que trata o artigo

Neste artigo você verá como instalar o Team Foundation Server 2010 Beta 2, que agora pode ser instalado em um Sistema Operacional Cliente, como o Windows Vista ou Windows 7. Veremos como isso permite criar um ambiente de desenvolvimento local, com os principais recursos do TFS e Visual Studio 2010 Beta 2.

Para que serve

Uma das principais reclamações sobre o Team Foundation Server 2008 é que ele necessita de um Windows Server (2003 ou 2008), o que inviabiliza a sua utilização por pequenas equipes ou desenvolvedores isolados. Na versão 2010, que será lançada em março deste ano, teremos a possibilidade de montar esse ambiente em um simples client, e é isso que este artigo irá mostrar.

Em que situação o tema é útil

Com o Team Foundation 2010, pequenas equipes ou mesmo desenvolvedores que trabalham sozinhos poderão se beneficiar dos seus recursos, sem a necessidade de se ter um servidor em seu ambiente de trabalho. Esse artigo é útil para aqueles que desejam montar um ambiente de TFS nessas situações.

Resumo do DevMan

A famíla do Visual Studio e .NET Framework irá ganhar uma nova versão em breve, e isso inclui o Team Foundation Server (TFS), o servidor da Microsoft para desenvolvedores da plataforma .NET. Desde outubro de 2009 já temos a versão Beta 2 do TFS 2010, que já se mostra bem estável.

Neste artigo veremos como essa versão tornou o TFS muito mais simples de se instalar, configurar e gerenciar, permitindo inclusive a sua instalação em sistemas operacionais clientes, como o Windows Vista e Windows 7. Confira nesse artigo como isso é possível e já fique preparado para o lançamento oficial do Team Foundation Server 2010, que ocorrerá em março deste ano.[/lead]

Na edição de número 67 da .NET Magazine nós tivemos um artigo exclusivo sobre como instalar e configurar o Team Foundation Server 2008 em um Windows Server. Quem leu o artigo ou já teve que realizar essa tarefa alguma vez na vida sabe que não é um trabalho trivial.

O processo de instalação e configuração de um TFS 2008 é trabalhoso e demorado. Até termos tudo funcionando corretamente temos muitas etapas a se cumprir. Toda essa complicação, somada ao fato de que o TFS 2008 é um produto que só pode ser instalado em um Windows Server, acaba desmotivando muita gente. Pequenas equipes de desenvolvimento ou até mesmo desenvolvedores que trabalham sozinhos dificilmente optam por utilizar o TFS, assumindo posturas como: “TFS é para grandes equipes”, “e muito complicado de se instalar” ou “não vale a pena o investimento nessa infraestrutura para uma equipe tão pequena”.

Essas pessoas acabam optando por outras soluções de mercado ou até mesmo pela não utilização de um Software de ALM (Application Lyfecicle Management). É com vistas para esse grupo de pessoas que a Microsoft oferece novos recursos na versão 2010 do Team Foundation Server. Recursos estes que, entre outras facilidades, vão permitir que o TFS seja instalado em sistemas operacionais clientes, como o Windows Vista e Windows 7. Dessa forma, mesmo que você seja um desenvolvedor independente, que trabalhe apenas em seu notebook, poderá usufruir dos principais recursos do TFS em sua máquina local.

Sem a necessidade de ter um Windows Server e com uma facilidade muito maior de instalação, configuração e gerenciamento, o Team Foundation Server 2010 deverá ganhar boa parte do mercado de ALM. Veja nesse artigo como montar esse ambiente utilizando a versão Beta 2, que já se mostra uma versão bem estável.

Isso servirá, sem dúvida, como um bom prelúdio para o que podemos esperar para a versão final do produto. O ano de 2010 será o ano em que a Microsoft mais fará lançamentos até agora. Teremos novidades em todas as áreas, e não será diferente para a plataforma de desenvolvimento. Estar atento a essas novidades e se familiarizar com as novas versões será um enorme diferencial de mercado para nós desenvolvedores.

[nota]Nota do DevMan

O ALM (Application Lifecycle Management) é um tópico do desenvolvimento de software que agrega muitos conceitos. Quando estamos falando do gerenciamento do ciclo de vida de uma aplicação, estamos falando de: Análise de requisitos, Modelagem, Arquitetura, Desenvolvimento, Gerenciamento de Mudanças (Manutenção), Testes, Controle de Versão etc. Cada um destes itens pode ser compreendido como uma etapa do ciclo de vida do software.

O conceito de ALM vem ganhando um recente destaque, principalmente por conta da grande quantidade de ferramentas que surgiram para atender a essa necessidade. Uma delas, é claro, é o Visual Studio Team System que é foco deste artigo.[/nota]

[subtitulo]O que o 2010 tem de diferente do 2008?[/subtitulo]

Muitas coisas, tantas, que será impossível falar de todas aqui. O TFS é conhecido por ser um produto único no mercado, pois praticamente não existe um concorrente que ofereça em um único pacote todas as funcionalidades que o TFS oferece. Sendo assim, já dá pra perceber que a quantidade de novidades é diretamente proporcional à quantidade de funcionalidades. Mas dá pra ter uma noção abrangente do que teremos de novo no 2010. Dê uma olhada na Figura 1. Ela nos mostra um quadro geral do que o TFS 2008 nos oferece.

Figura 1. Team Foundation Server 2008

Como já foi dito, o Team Foundation Server é um produto que oferece todos os recursos necessários para que sua equipe realize um efetivo gerenciamento do ciclo de vida de seus projetos. Nessa imagem podemos ver quais são essas principais funcionalidades: Controle e Versionamento de Código Fonte, Gerenciamento de Work Items (itens de trabalho), Gerenciamento dos próprios Projetos, Builds Automáticos, Relatórios etc.

Tudo isso é possível através das principais metodologias de gerenciamento que temos no mercado (MSF, Scrum, XP, CMMI etc.), com a implementação do devido Process Template. Além disso, o próprio Visual Studio oferece diferentes edições para atender aos diversos papéis que compõem uma equipe de desenvolvimento: Arquitetos, Desenvolvedores, DBAs e Testers.

E o universo do TFS não para por aí. Ainda temos o TFS Web Access, para acesso ao TFS via WEB, integração com Office, Portal de colaboração no SharePoint, uma extensa lista de ferramentas de terceiros e todo um pacote de extensibilidade, que permite que você customize o seu ambiente da forma que lhe for mais interessante. Esse é um resumo dos recursos que o TFS pode lhe oferecer. Se você quiser saber mais a respeito, sugiro a leitura do artigo citado da edição 67 e também de um artigo que fala só sobre controle e versionamento de código fonte, publicado na edição 68 da .NET Magazine.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?