artigo SQL Magazine 04 - Entrevista - Paula Silva por Thiago Merlo

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Paula Silva é Especialista Técnica do Microsoft SQL Server – Grupo de soluções do Brasil, veja nossa entrevista exclusiva.

Paula Silva é Especialista Técnica do Microsoft SQL Server – Grupo de soluções do Brasil

Fale um pouco sobre as características do SQL Server

O SQL Server é um banco de dados que pode ser utilizado desde uma base de dados simples e compacta até soluções corporativas de missão crítica. Entre as versões do SQL Server podemos citar:

  • SQL Server Standard: para ser utilizado como uma base de dados departamental ou corporativa. Suporta até 4 processadores e 2GB de RAM;
  • SQL Server Enterprise Edition: é o SQL Server para missão crítica, ou seja, apresenta características de alta disponibilidade. Suporta até 32 processadores e 64GB de RAM sob o Windows Data Center. Inclui todas as funcionalidades da versão Standard e suporta as seguintes features adicionais: failover cluster, SMP, SAN, views particionadas, views indexadas, log shipping, cubos virtuais, cubos particionados, entre outras;
  • SQL Server Windows CE Edition: é o SQL Server para dispositivos móveis.
  • SQL Server Personal Edition: é um subconjunto da versão Standard recomendado para laptops. Não está disponível para compras pois já vem incluso com as versões Enterprise ou Standard.

O que a Microsoft pensa sobre os bancos de dados open source? Por que uma empresa hoje deve pagar pelo SQL Server se existem tantas opções gratuitas?

O open source é uma opção. Porém, o maior custo que uma empresa tem ao adquirir um banco de dados não é o preço de sua licença e sim sua manutenção e suporte. Outro fator a ser analisado é o tempo que a empresa poderá ficar com o banco de dados fora do ar e suas operações interrompidas. Quanto é perdido pela empresa em uma situação dessas? Há empresas que podem pagar este preço e outras que não podem. Portanto estamos tratando de mercados com necessidades distintas. Não ignoramos o fato de que a migração de clientes entre as soluções disponíveis sempre ocorre, por razões diversas. Uma plataforma aberta, ao mesmo tempo que permite alterações em seu código fonte, abre portas para a possibilidade de falta de padronização, o que pode muitas vezes pode retardar a solução de um problema. O SQL Server não é somente um banco de dados relacional, ele é uma solução de banco de dados OLTP e OLAP cuja ferramenta de ETL (DTS) e Data Mining já vêm inclusas.

Um banco de dados open source possui milhares de desenvolvedores ao redor do mundo, trabalhando ininterruptamente. O SQL Server, em algum momento futuro, pode ter uma quantidade de recursos menor do que um banco free?

A Microsoft investe, anualmente, algo próximo a U$ 5,4 bilhões em pesquisa e desenvolvimento de seus produtos, principalmente no SQL Server. Este é um orçamento que está entre os cinco maiores do mundo. Não somente investimos no produto SQL Server, mas em tudo que está em volta que possa torná-lo cada vez melhor, como hardware, sistema operacional, etc. Isso explica a existência de engenheiros Microsoft trabalhando em conjunto com a Intel para que o software tire o maior proveito possível do processador e de engenheiros Microsoft trabalhando em conjunto com a SAP.

Como está a posição do SQL Server no mercado brasileiro hoje?

O SQL Server é o banco de dados que mais cresce em participação de mercado. Segundo o Gartner Group, o SQL Server cresceu 17% em marketshare no ano de 2002, bem acima dos principais concorrentes. Também de acordo com o Gartner Group, o SQL Server está incluso no quadrante mágico, que é o quadrante dos líderes, entre as soluções para bancos de dados OLTP e Business Intelligence.

O SQL Server é o coração da estratégia para softwares de servidores da Microsoft. A Microsoft continuará investindo pesadamente na melhoria dos recursos do produto, focando não somente em escalabilidade e confiabilidade, mas principalmente em segurança.

Como a Microsoft EUA vê o mercado brasileiro de banco de dados?

A Microsoft Corporation está totalmente comprometida com o Brasil. Ano a ano, estamos expandindo nossos negócios, contratando mais pessoas e aumentando nossa rede de parceiros. Um exemplo do comprometimento da Microsoft com o Brasil são os centros de tecnologia XML, criados para oferecer capacitação a desenvolvedores, professores e alunos em tecnologia Microsoft .NET. Foram investidos R$ 50 milhões na iniciativa.

Como está a política de comercialização do SQL Server?

Temos dois modelos de licenciamento. Por processador ou servidor mais dispositivo de acesso. No primeiro, o cliente paga uma licença única para cada processador utilizado pelo SQL Server, com número de usuários ilimitado. No modelo servidor mais dispositivo, o cliente paga uma licença menor para o servidor e uma licença de acesso para cada dispositivo (PC, Pocket PC, etc) que acessar o SQL Server.

Recentemente, um worm derrubou diversos servidores SQL Server pelo mundo. A Microsoft tem algo a declarar sobre o ocorrido?

A questão de segurança não depende somente das empresas fabricantes de software. A vulnerabilidade explorada por este vírus foi inicialmente detectada em julho de 2002, ocasião em que a Microsoft desenvolveu o patch de segurança MS02-039.

O “Slamer” é um worm da internet que tem como objetivo atingir sistemas SQL Server 2000 e MSDE 2000 que não tenham sido atualizados com o patch de segurança. O worm provoca intenso volume de tráfego na rede, tanto na Internet como em redes internas. Aparentemente, este vírus não atinge os dados dos sistemas infectados. O mais recente patch foi o MS02-061, distribuído em outubro de 2002. Essas atualizações de segurança foram também incluídas no recente Service Pack 3 do SQL Server 2000. Todos esses patches e fixes podem ser encontrados no site http://www.microsoft.com/technet/security/virus/alerts/slammer.asp.

Qual é o perfil do usuário SQL Server no Brasil? Pequenas, médias ou grandes empresas?

No Brasil, temos como usuários desde pequenas empresas até grandes corporações, como bancos e siderúrgicas. Temos empresas de fornecimento de energia rodando SQL Server em missão crítica (24 x 7) e servidores rodando em sistemas de processamento de conta corrente de grandes bancos.

Existe algum dado sobre o uso pirata de SQL Server no Brasil?

Não temos informações específicas do SQL. Sabemos que aproximadamente 56% de todos os softwares utilizados no Brasil são piratas, de acordo com a ABES/BSA.

A Microsoft estuda alguma implantação adicional no SQL Server para permitir suporte a orientação a objetos?

Para a Microsoft, a função do SQL Server é ser um repositório de dados OLTP e OLAP. Nossas ferramentas para desenvolvimento já possuem suporte a orientação a objetos.

Quais são os principais diferenciais entre o SQL Server CE e o SQL Server?

O SQL Server 2000 Windows CE é um banco de dados para o desenvolvimento de aplicações que serão utilizadas em dispositivos wireless e embedded devices, como telefones celulares. Ou seja, é uma versão compacta do SQL Server designada para rodar sob dispositivos suportados pelo Windows CE.

Para desenvolvedores que já têm uma familiaridade com a linguagem SQL e trabalham com Visual Basic ou Visual C++, é fácil construir aplicações sofisticadas para soluções como automação de força de vendas e aplicações para “chão de fábrica”. O engine do produto utiliza escrita assíncrona, permitindo ao usuário continuar seu trabalho sem tem que esperar a escrita no storage. Esta técnica de sincronização é muito útil quando temos uma largura de banda limitada, como a da maioria das conexões feitas por meio de celulares. Se a conexão não estiver disponível, é possível armazenar os dados na base local e sincronizá-lo assim que a conexão for restabelecida. O SQL Server CE também suporta replicação merge, que possibilita a atualização autônoma e sincronização com o servidor. Um exemplo de aplicação para este cenário seria o download de uma lista de preços e uma posterior passagem dos pedidos de compras para o servidor.

Quais são os limites do SQL Server? Para qual tipo de aplicação o SQL Server não é recomendado?

O limite máximo de uma instalação depende de diversos fatores, não somente do software de bancos de dados em si. Temos que considerar o hardware, o tipo de instalação, etc. O SQL Server possui a maioria dos recordes de Benchmarks de institutos independentes e ISVs (Independent Software Vendors). O Transaction Processing Consil, por exemplo, comprova a escalabilidade e performance do SQL. Os dados estão disponíveis no site do TPC (http://www.tpc.org).

Adicionalmente, temos diversos casos do SQL Server rodando com terabytes de dados, como a empresa de telefonia americana Verizon, que possui 9TB rodando no SQL Server.

Qual a expectativa da Microsoft no lançamento do SQL Server 64 bits? Quais são as novidades?

Há 15 anos tiramos todo o proveito da plataforma 32 bits. O aumento acelerado do tamanho das bases de dados e a complexidade das aplicações pediram o desenvolvimento da tecnologia para suportar a constante demanda por mais poder de processamento. No último release, os fabricantes de hardware afirmam um suporte de até 64 processadores e um limite teórico de 32 TB de endereçamento de memória (até agora foram testados 512 GB de memória).

No mundo 32-bit partes de dados de uma consulta são armazenados no tempdb. A possibilidade de um maior endereçamento elimina a necessidade do uso da camada AWE, o que é ideal para o mundo SAP. No mundo 64-bit, um servidor com 64 GB de memória armazenará seus joins, sorts e agrupamentos na memória, ou seja, a necessidade de uso do tempdb diminuirá. Muitas queries poderão ser totalmente carregadas na memória utilizando os data buffers disponíveis no SQL Server. Esta característica também é muito útil para data marts, data warehouses e para grandes aplicações analíticas (OLAP).

A Microsoft pretende lançar em algum momento o SQL Server com suporte a SQL3?

Esta questão vai depender do quanto a linguagem vai amadurecer, tornando-se fácil de entender e consistente.

O SQL Server completou 10 anos de existência recentemente. Conte-nos um pouco sobre a história do produto, as conquistas e os principais obstáculos enfrentados.

Desde que a Microsoft começou a trabalhar no código da Sybase em 1990, o SQL Server foi se tornando um produto mais maduro e se encaixando na categoria dos bancos de dados para grandes corporações, capaz de escalar de dezenas a milhares de usuários acessando terabytes de dados.

Na versão 6.5 tivemos uma integração com a Internet. Na versão 7.0 o produto foi totalmente reescrito e houve mudanças significativas na sua arquitetura. Os devices foram substituídos pelos filegroups. Tivemos o auto-tunning do banco de dados facilitando o trabalho do DBA. O SQL Server 7.0 foi o primeiro a incorporar a tecnologia OLAP no banco de dados.

Com a versão 2000 demos um salto de escalabilidade e confiabilidade. XML nativo, suporte a 64 bit e capacidade de tratar terabytes de dados tornaram o SQL Server um dos bancos de dados líderes de mercado.

Cite alguns casos de sucesso do SQL Server no Brasil

Siemens, Genexis, DirectTV, Flores Online, Telesp Celular, Finasa Seguros, Votorantim Metais, Telemar, Amélia do Grupo Pão de Açúcar, Banco Santos, Cimentos Itambé, Electrolux, Gradiente, Ibnec Educacional, Cemig e Usiminas.

Que tipo de implementação veremos no SQL Server no futuro?

Cada vez mais veremos grandes instalações de missão crítica rodando em SQL Server. A maioria das empresas já está convencida de que o SQL Server está totalmente apto a suportar as maiores e mais complexas instalações.

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?