DevMedia
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Este é um post disponível para assinantes MVP
###

artigo SQL Magazine 30 - MDOConsole: uma ferramenta para o Firebird

Artigo da Revista SQL Magazine -Edição 30.

[fechar]

Você não gostou da qualidade deste conteúdo?

(opcional) Você poderia comentar o que não lhe agradou?

Confirmo meu voto negativo

Atenção: por essa edição ser muito antiga não há arquivo PDF para download.
Os artigos dessa edição estão disponíveis somente através do formato HTML.

Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

MDOConsole: uma ferramenta para o Firebird

 

Em julho de 2000, a Borland liberou a versão 6 do banco de dados InterBase como projeto open source. Desenvolvido por um grupo voluntário de desenvolvedores, com base no código livre do InterBase, o Firebird seguiu como projeto independente depois que a Borland recuou da proposta de manter o projeto open source em versões posteriores do InterBase.

Em linhas gerais, o Firebird 1.0, apesar de algumas melhorias, é completamente compatível com o InterBase 6. Versões posteriores, como a 1.5 e a 2.0 (em fase beta), já não guardam plena compatibilidade com aquela versão.

A versão 1.5, por exemplo, teve o código-fonte completamente revisto e portado de C para C++, em processo iniciado por Mike Nordell ainda no ano de 2000. Além da mudança de linguagem, o Firebird ganhou novo gerenciamento de memória.

O Firebird costuma ser administrado por ferramentas autônomas, pagas ou gratuitas, muitas delas originalmente desenvolvidas para o InterBase. Neste artigo vamos abordar a ferramenta livre, MDOConsole, construída com base nos componentes Mercury Database Objects (MDO), que pode ser uma alternativa para administradores de bancos de dados Firebird.

Evidentemente, serão considerados os aspectos fundamentais da ferramenta, visto que uma abordagem mais minuciosa exigiria muito mais tempo e espaço.

Este artigo será melhor compreendido pelo leitor que possua conhecimentos básicos da linguagem SQL e tenha lidado de alguma forma com bancos de dados relacionais.

Antes que nos debrucemos sobre a ferramenta, faremos algumas considerações sobre o Firebird e sobre os componentes MDO, de forma que o leitor possa avaliar suas principais características, caso ainda não as conheça.

Firebird

Um dos aspectos marcantes e reconhecidos do Firebird é a facilidade de instalação e de manutenção, exigindo poucos parâmetros de configuração para funcionar de forma adequada. Com sua arquitetura de versioning, baseada em sistema otimista de concorrência, o Firebird cria versões temporárias dos registros modificados, que ficam disponíveis durante um período de tempo determinado pelo servidor. Outros servidores de bancos de dados, como se sabe, utilizam modelo de concorrência baseado em bloqueio de registros ou de páginas, o que traz algum transtorno em ambientes onde os dados são sistematicamente manipulados por diferentes usuários.

Backups de dados, normalmente, são realizados com acesso exclusivo ao banco de dados específico. Em função do modelo de versioning, isso não é necessário no Firebird, uma vez que o referido modelo garante uma imagem consistente do banco no momento em que o processo de salvaguarda dos dados se inicia.

Disponível em várias plataformas, com recursos poderosos como: views, triggers, backup, stored procedures, para citar os mais importantes, o Firebird tornou-se um banco popular entre os desenvolvedores que utilizam o ambiente Delphi. O arquivo de instalação do banco poderá ser baixado em qualquer dos sites: http://www.firebirdsql.org ou http://firebird.sourceforge.net.

Ao ser instalado, o Firebird disponibiliza na pasta “examples” um banco de dados modelo chamado “EMPLOYEE.FDB”, que será utilizado em nossos exemplos.

Para produzir este artigo, utilizamos a versão 1.5.3 (arquivo “Firebird-1.5.3.4870-0-Win32.exe”), embora tenhamos testado, sem problemas aparentes, a versão 2.0 do banco.

Mercury Database Objects

A biblioteca de componentes conhecida por Mercury Database Objects (MDO) é um projeto desenvolvido pelo brasileiro Henrique Meira, com base na biblioteca FreeIBComponents, escrita por Gregory H. Deatz, e na InterBase Express 4.3, criada pela Inprise Corporation. Para obter a biblioteca, basta visitar o site http://sourceforge.net/projects/mdo.

Construída para acesso direto a bancos de dados Firebird, a biblioteca está na versão RC1 e pode ser instalada nas versões 5, 6, 7 e 2005 do Delphi, a partir dos respectivos pacotes: mdo_d5.bpg, mdo_d6.bpg, mdo_d7.bpg e mdo_d2005.bdsgroup. O arquivo “ComoInstalar.txt”, disponibilizado juntamente com os componentes da biblioteca, mostra exatamente como proceder na instalação.

O componente TMDODatabase, seguramente, é um dos mais importantes da biblioteca, visto que nos permite encapsular uma conexão com uma base de dados Firebird. Com a propriedade “Connected”, podemos verificar se uma conexão está ativa. Ajustando-se a propriedade para True, estabelece-se conexão com a base de dados especificada, sem que qualquer dataset seja aberto. Ajustando-se para False, a conexão será devidamente interrompida.

MDOConsole

Desenvolvida em Delphi, a ferramenta MDOConsole pretende ser uma alternativa livre para administradores de bancos de dados Firebird. A idéia fundamental é que se tenha uma ferramenta leve, sem grandes rebuscamentos, que torne amenas as operações normalmente envolvidas com bases de dados referentes ao Firebird.

Atualmente, a ferramenta pode ser obtida nos sites www.ivanmecenas.com e www.baixaki.ig.com.br. Para instalar, basta descompactar o arquivo “MDOConsoleInstall.zip” e executar o assistente de instalação (arquivo “MDOConsoleInstall.exe”). Embora não seja uma exigência, recomenda-se que a ferramenta somente seja instalada após a instalação do Firebird. O processo de instalação é simples e dura poucos segundos. Na Figura 1 temos o aspecto do assistente de instalação do produto.

 

 

Figura 1. O assistente de instalação da ferramenta MDOConsole.

 

O detalhe é que a ferramenta possui ajuda on-line para a maioria das telas, bastando pressionar a tecla F1 quando se está em uma tela específica para obter informações sobre ela. Boa parte do texto deste artigo, vale registrar, deriva das informações contidas no manual on-line.

"

A exibição deste artigo foi interrompida

Este post está disponível para assinantes MVP.



(www.ivanmecenas.com) é graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Sergipe, com cursos de extensão em Análise Administrativa e Análise de Sistemas. Foi empregado da Caixa Econômica Federal de 1976 a 1997, onde de [...]

O que você achou deste post?
Publicidade
Serviços

Mais posts