Artigo WebMobile 1 - Entrevista sobre mobilidade com Marcelo Carvalho

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Artigo publicado pela revista WebMobile edição 1

 

Esse artigo faz parte da revista WebMobile edição 1. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

wm1_capa.JPG

Entrevista

 

   Se analisarmos os aparelhos celulares e os serviços oferecidos por eles desde a década de noventa, percebemos nitidamente a evolução tecnológica ocorrida nesse mercado. Constantemente somos surpreendidos com o surgimento de novas funcionalidades que buscam facilitar as nossas atividades cotidianas e oferecer novos meios de entretenimento.

   Jogos para celular, que são os principais representantes da categoria de entretenimento, estão presentes desde os primeiros modelos lançados no mercado. Com o avanço dos celulares, foi possível o desenvolvimento de jogos mais evoluídos, o que possibilitou o surgimento de um mercado cada vez mais ativo para esse tipo de produto.

   A seguir, apresentaremos uma entrevista com Marcelo Nunes de Carvalho, diretor de tecnologia da Devworks (www.devworks.com.br), uma empresa bastante atuante no mercado para desenvolvimento de jogos voltados para web e celulares. Ele comentará suas perspectivas para o mercado de jogos portáteis e as novas tendências.

   Marcelo Nunes de Carvalho é formado em Engenharia de Computação no ITA e possui Mestrado em Inteligência Artificial na USP. Ele trabalha há 4 anos como diretor da Devworks, participando do desenvolvimento de vários jogos.

 

Respostas de MARCELO CARVALHO (Devworks Game Technology)

 

1)     Como surgiu o seu interesse pelo mercado de jogos?

 

R: O meu interesse já existia desde muito novo quando comecei a desenvolver jogos. Não tinha a expectativa que conseguiria trabalhar com isso, mas vislumbrei a oportunidade no momento certo.

 

2)     Qual a posição do mercado brasileiro relativo a jogos para web e para celular? Como estamos posicionados considerando o cenário mundial?

 

R: Já existe um mercado considerável para a web, mas o mercado de celular ainda é iniciante. O Brasil está hoje fora do circuito mundial de jogos, mas esse cenário tende a mudar nos próximos anos.

 

3)     Vamos falar um pouco mais sobre jogos para celular. Qual é o principal modelo de negócio utilizado por vocês no mercado de jogos para celular? Para o usuário ter acesso a um jogo é necessário que a operadora o disponibilize e cobre pelo serviço, ou é possível fazer o download dos jogos diretamente para o celular?

 

R: Começamos produzindo jogos sob demanda para as fabricantes. Só depois entramos no modelo de compartilhamento de receita com as operadoras. Os investimentos em marketing ainda são pequenos bem como os números de downloads. O usuário poderia até baixar jogos diretamente, mas o modelo principal é acessar o portal da própria operadora.

 

4)     Estão surgindo no mercado cursos com objetivo de formar desenvolvedores de jogos. Na sua opinião, qual seria o perfil de um desenvolvedor de jogos? Os profissionais formados em cursos de computação tradicionais têm dificuldade em se adaptar a esse tipo de desenvolvimento?

 

R: O segmento de desenvolvimento de jogos precisa de profissionais parecidos com o de outras áreas. Profissionais criativos, com grande conhecimento técnico, capacidade de aprendizado e de trabalho em equipe são os mais procurados. Alguém formado em computação pode ter essas características.

 

5)     Que tipo de jogo você acha que atrai mais a atenção do público?

 

R: Para celular, são os jogos mais simples. O público é muito casual e prefere jogos fáceis e rápidos.

 

6)     O que uma pessoa interessada em entrar nesse mercado deve fazer? Que tipo de tecnologia deve dominar principalmente?

 

R: Conhecimento em Java e C++ já ajuda bastante. As tecnologias existentes para celular são baseadas nessas linguagens.

 

7)     Em termos de tecnologia, quais as mais conhecidas e utilizadas para desenvolvimento de jogos para dispositivos móveis?

 

R: J2ME e BREW.

 

8)     Devido às características de um celular, quais são as principais diferenças que devem ser levadas em conta quando se cria um jogo para esse tipo de plataforma, em comparação com os criados para consoles ou PC?

 

R: Utilização de recursos deve ser otimizada (memória, processamento, etc). É preciso também considerar as diferençar entre aparelhos para facilitar a portabilidade.

 

9)     Sabemos que jogos 3D exigem um grande poder computacional da plataforma que o estiver executando. Você acha que com o advento dos SmartPhones, celulares com novos tipos de funcionalidades e com um maior poder de processamento, ficará possível e viável a criação desse tipo de jogo?

 

R: A criação desses jogos 3D já é viável. O problema é que eles utilizam poucos polígonos e isso prejudica sua qualidade final. A tendência é que o processamento dos celulares aumente e com isso os jogos devem melhorar.

 

10) A maioria dos jogos para celular que vemos hoje são single player. Como você vê o desenvolvimento de jogos multi-player?

 

R: A tecnologia é similar à internet. Na Devworks, já temos desenvolvida a tecnologia que permite jogar jogos multiplayer, inclusive de uma plataforma para outra diferente (celular contra PC, por exemplo). É algo que acabará se popularizando com o tempo.

 

11) Como montar uma equipe para desenvolvimento de jogos? Quais perfis considera essenciais?

 

R: Montar uma equipe exige um grande conhecimento do processo de produção de um jogo. Em geral, conhecer o tipo de jogo também ajuda. Alguns setores exigem a presença de especialistas (ex: inteligência artificial) e outras podem ser desenvolvidas por programadores comuns.

 

12) Fale-nos um pouco sobre como vocês desenvolvem jogos na DevWorks? Quais pontos do processo de desenvolvimento você destacaria como fundamentais para o sucesso de um jogo?

 

R: Um dos pontos principais é conhecer o público-alvo. Isso permite que os jogos sejam corretamente elaborados. Desenvolvemos jogos para o público e não para nós mesmos e isso precisa ficar claro para evitar erros grosseiros na criação. A questão do processo de produção, incluindo a documentação, também ajuda a garantir que o desenvolvimento flua sem surpresas em termos de prazos e custos.

 

13) O surgimento de jogos que venham a entreter realmente um grande número de pessoas envolve muita criatividade. De onde são extraídas idéias para a criação de um novo jogo? Como ocorre o processo de criação de um novo jogo?

 

R: Na Devworks, fazemos sempre reuniões para gerar inúmeras idéias. Após essa etapa, começamos a filtrar para se adequar ao desenvolvimento em questão. É importante aproveitar a criatividade de todos.

 

14) Quanto tempo, em média, leva o desenvolvimento de um jogo?

 

R: Um jogo de celular pode demorar de 2 semanas até 4 meses de desenvolvimento. A tendência é que esses tempos comecem a aumentar dado o acréscimo de complexidade que as próximas gerações de celulares irão permitir.

 

15) Visitando o site da DevWorks, percebemos que vocês trabalham com jogos para diferentes dispositivos (console, pc e celular). O que você destacaria de diferente entre cada um deles?

 

R: O princípio do desenvolvimento de jogos é o mesmo. O que mudam são as tecnologias e os detalhes.  Internamente, dividimos os times por tecnologias, assim temos profissionais mais especializados em plataforma.

 

16) Quais são as expectativas futuras da DevWorks relativas ao desenvolvimento de jogos?

 

R: Queremos ter uma participação maior de exportação nos resultados da empresa. Hoje já vendemos jogos no exterior, mas os números ainda não são tão grandes quanto o potencial.

 

17) Você participou recentemente do evento WebMobile Tech Week. O que achou? Qual a importância que você vê nesse tipo de evento, considerando principalmente o fato de estar focado em uma tecnologia nova e que tem muito a crescer.

 

R: Eventos como esse são de grande importância para o mercado. Ajudam os profissionais que querem atuar no segmento a esclarecer os principais pontos. Compreender o mercado e as tecnologias são os primeiros passos de uma atuação no setor.

 

18) Por que alguém hoje em dia deveria se interessar nesse tipo de desenvolvimento. As perspectivas são promissoras?

 

R: Sim. O mercado de jogos vem crescendo muito. O de jogos para celular é o que mais cresce. Fala-se em crescimento de 7000% até 2006. É um número que beira o inacreditável, mas é esse número que a indústria considera hoje como sendo a expectativa de crescimento.

 

19) Por fim, o crescimento tecnológico dos aparelhos celulares tem permitido o desenvolvimento de vários tipos de aplicação além dos jogos. O que você visualiza que poderá ser desenvolvido daqui para frente?

 

R: Muitos conteúdos do PC vão migrar para o celular. Só que agora aliados ao conceito de mobilidade.

 

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?