Artigo WebMobile 22 - Acessando dados do Astória com Mobile - Integrando ADO.NET Data Service & Mobile com LINQ to SQL

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (1)

Neste artigo veremos o que é Astoria, como criar uma aplicação com Astoria e acessar informações do Astoria no Mobile.

Esse artigo faz parte da revista WebMobile edição 22. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

imagem_pdf.jpg

Mobile

Acessando informações do Astoria com Mobile

Integrando ADO.NET Data Service & Mobile com LINQ to XML

 

Neste artigo veremos

·                               O que é Astoria?;

·                               Como criar uma aplicação com Astoria;

·                               Acessando informações do Astoria no Mobile.

Qual a finalidade?

·                               A principal finalidade desse artigo é demonstrar como o Astoria pode nos auxiliar e aumentar a produtividade na hora de integrar o sistema em diferentes plataformas;

Quais situações utilizam esses recursos?

·                               Fazer como que sua aplicação funcione em diferentes plataformas é um dos maiores desafios hoje em dia. Com Astoria isso é possível e com ganho expressivo de produtividade. Podemos fazer a integração de sistemas Web e Mobile em minutos e essa é a situação que veremos aqui.

 

Resumo do DevMan

         Diversos assuntos são bastante discutidos pelos profissionais de TI hoje em dia e um deles com certeza é: Integração. Integrar um software ou torná-lo disponível as mais diversas tecnologias e plataformas não é uma tarefa fácil. Imagine transformar sua aplicação Win32 em uma aplicação Web ou Mobile em poucos minutos. Ou ainda, fazer com que os dados de determinada aplicação possam ser acessados por diversos meios.

Nesse artigo veremos como criar uma aplicação web simples, utilizando o Astoria, e como integrá-la em uma aplicação mobile. Aprenderemos a utilizar mais esse novo recurso do .net framework.

 

Criar aplicações significa ir muito além de um único meio de acesso. Significa dar opções de utilização ao sistema para o usuário de diversos modos, seja via o próprio navegador, seja via um cliente web, ou ainda mobile. Para integração de sistemas, usualmente utilizamos serviços web baseados em SOAP (Simple Object Access Protocol). Nesse artigo veremos como criar um sistema web baseado em REST (Representational State Transfer), utilizando o Astoria da plataforma .NET, e acessar informações por uma aplicação mobile.

O foco desse artigo será como desenvolver aplicações relativamente complexas, utilizando algumas das últimas tecnologias da plataforma .NET e como estas novas ferramentas podem transformar tarefas árduas em algo mais simples, tornando assim a vida do programador mais fácil.

 

Um pouco de REST

REST significa Representational State Transfer. É um conjunto de diretrizes de desenvolvimento de software para distribuição de sistemas hipermídia que trabalham em cima do HTTP. Através de requisições HTTP (POST, PUT, GET, DELETE), que são enviadas juntas com o cabeçalho HTTP, torna possível a troca de informações através do URI.

 

Nota: URL (Uniform Resource Locators) é uma forma ou subconjunto de URI (Uniform Resource Identifiers) ou seja, a URL é um tipo de URI. URI é também um composto de URL’s . URI significa a identificação específica do recurso + computador hospedeiro + forma de acesso a ele (http, ftp, etc.) na Internet, tendo portanto significado mais amplo que o URL.

 

Estes dados podem ser representados por JSON, ou no padrão ATOM (XML), definidos através do content-type. O content-type do HTTP define o tipo do conteúdo da resposta, como por exemplo, HTML, jpg, XML, entre outros.

Quando os protocolos de comunicação foram surgindo, por exemplo, CORBA e SOAP, surgiu um movimento contra estes protocolos, alegando que eles não entendiam os princípios básicos de comunicação via Internet. O HTTP já havia sido projetado para atender todas as necessidades que o CORBA, SOAP e outros procuravam suprir. O REST, por se basear em comunicação voltada a HTTP, pode passar por firewalls e é facilmente integrado com outros sistemas independentes da plataforma.

 

Nota do DevMan

         CORBA (Common Object Request Broker Architecture) é um padrão definido pelo consórcio OMG (Object Management Group) que define uma arquitetura de objetos, com uma linguagem para descrição de interfaces com mapeamentos padronizados para diversas linguagens e um conjunto de serviços básicos.

 

         Como o padrão CORBA visa atender a diversas linguagens de programação, sua especificação é ampla e relativamente complexa. De forma extremamente simplificada, os componentes básicos dessa arquitetura são:

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?