Configuração automática via Router Advertisement

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Veja nesse artigo a autoconfiguração stateless via router advertisement, que permite configurar automaticamente o computador sem que haja armazenamento das configurações no roteador.

Artigo do tipo Tutorial
Recursos especiais neste artigo:
Conteúdo sobre Novidades

Para que serve este artigo
O presente artigo tratará da autoconfiguração stateless via router advertisement, ou seja, uma das técnicas que permite configurar os computadores automaticamente, sem que haja armazenamento das configurações no roteador, no atual cenário do Protocolo Internet versão 6 (IPv6).

As informações contempladas neste artigo ampliam o conhecimento de redes IPv6, mostrando uma das maneiras de se configurar endereços nos computadores. Deste modo, um administrador de redes poderá se atualizar e assim julgar qual é a melhor técnica para se alocar endereços em diversas situações.

Com o iminente esgotamento do IPv4, a cada dia que passa, mais e mais o assunto IPv6 fica em evidência. As pesquisas de medição mais recentes demonstram um crescente aumento no número de dados trafegados neste protocolo. A conscientização das empresas provedoras de serviços na web, em conjunto com os provedores de acesso a internet, tem acelerado o processo de implantação. Há, portanto, uma grande demanda de profissionais, tais como administradores de rede, técnicos de TI e professores que possuam conhecimento na área. Assim, estar atualizado neste cenário do IPv6 significa ter um diferencial no mercado de trabalho.

Tendo isso em vista, este artigo se propõe a explanar uma das funcionalidades essenciais do IPv6, a autoconfiguração de máquinas. Desta forma, a partir de uma única configuração no roteador, todas as máquinas que estiverem conectadas à rede configurar-se-ão a si mesmas. Evita-se, com isso, o problema de ter que digitar, repetidamente, todas as informações em cada uma das máquinas.

O método de autoconfiguração de máquinas que será descrito é o stateless, que significa ausência de armazenamento de estado. Desse modo, nenhuma máquina saberá das informações configuradas nas outras máquinas, além da sua própria configuração. É diferente do DHCP, que mantém as informações centralizadas em um servidor.

Por motivos didáticos, o artigo foi dividido em duas partes: uma teórica, que explicará como a autoconfiguração stateless via router advertisement funciona; e uma prática, na qual o leitor poderá seguir o passo a passo para implementar a funcionalidade numa rede qualquer.

Revisão sobre IPv6

Antes de entrar no assunto do artigo, alguns conceitos elementares sobre IPv6 precisam estar bem consolidadas na mente do leitor. Para isso, uma pequena revisão foi escrita para ajudar. Caso já tenha lido o artigo sobre DHCPv6 ou já possua conhecimento básico sobre IPv6, a leitura da revisão será desnecessária para a compreensão geral do texto.

Endereço IPv6

O endereço IPv6 é composto por 128 bits, dispostos em oito campos separados pelo caractere dois pontos (“:”). Cada campo possui quatro dígitos hexadecimais, que por sua vez são compostos por quatro bits (multiplicando oito campos com quatro hexadecimais e quatro bits, chega-se ao valor total de 128 bits). Um exemplo de endereço IPv6 é:

2001:0DB8:0000:F0F0:CA00:0ADA:00E0:B100

Sobre os números hexadecimais utilizados no endereço IPv6, convém lembrar que estes podem variar entre 0 a 9 e de A a F (independente se for maiúscula ou minúscula).

Regras de abreviação

Três regras de abreviação podem ser aplicadas para melhorar a legibilidade dos endereços. A primeira expõe que devem ser omitidos todos os casos de zeros à esquerda. A segunda fala que é possível representar quatro zeros, pertencentes ao mesmo campo, com apenas um único zero. Por fim, a terceira permite substituir uma única sequência continua de zeros, relativos a um ou mais campos, por “::” (dois pontos, dois pontos). Para ilustrar melhor como estas regras operam, a seguir apresentamos um exemplo:

Sem regras: 2001:0DB8:0000:0000:C0CA:DA00:0000:D0CE

Com regras: 2001:DB8::C0CA:DA00:0:D0CE

Prefixo IPv6

Todo endereço IP pode ser separado em duas partes: uma que identifica a rede e outra que identifica uma interface de uma máquina na rede. O que delimita essa separação é o valor chamado prefixo. O prefixo é constituído por um número decimal que varia de 0 a 128 (tamanho máximo do endereço). Esse número representa uma simples contagem de bits, da esquerda para a direita, que compõe a identificação da rede. O resto dos bits forma a identificação da interface de uma máquina. A "

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?