Criando aplicativo móvel com armazenamento em XML e comunicação com a WEB

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (8)  (0)

Neste artigo apresento as técnicas encapsuladas do .NET Compact Framework, desenvolvendo uma aplicativo móvel que armazena os dados em um XML e por fim espelha suas modificações em um servidor remoto.

Criando um aplicativo móvel com armazenamento em XML e sincronização de dados com a WEB

 

PARTE I

 

Olá a todos! Meu nome é Ciniro Nametala, sou tecnólogo em informação pelo CEFET-Bambuí, Minas Gerais, sou desenvolvedor e estudante da plataforma .NET em sua total abrangência. Estarei nesse artigo demonstrando a todos como é fácil e abstraído os métodos que permeiam o desenvolvimento de aplicativos móveis quando trabalhando .NET. Usaremos a linguagem Visual Basic 2005 e Visual Studio 2005. Ainda, estaremos armazenando todas as nossas informações em arquivos do tipo XML, dispensando o banco de dados compacto da Microsoft, o SQL Server CE. Por fim e na próxima parte deste artigo, continuaremos, desenvolvendo uma solução moderna, que com o uso de Web Services enviará a um servidor remoto os dados trabalhados dentro de nosso aplicativo móvel, fazendo uma sincronização e proporcionando consultas aos dados diretamente de um endereço WEB qualquer. Espero que este artigo introduza muitas pessoas neste fantástico mundo da mobilidade tão valorizado nos dias de hoje e tão fácil de ser abraçado usando as ferramentas da plataforma .NET.

 

Então vamos por a mão na massa...

 

Mobilidade, Armazenamento, Emuladores, enfim Definições

 

Se pararmos e olharmos para trás vamos perceber que as implementações móveis são um sonho do homem informatizado que vem de muito tempo. Desde que criaram-se o PC e suas ramificações, muitas tentativas partindo de vários fabricantes se tornaram sucesso e fracasso nas mãos dos amantes da tecnologia. Mas se parássemos pra nos perguntar: Onde estava a Microsoft antes dos sofisticados dispositivos móveis que hoje se disseminam por ai? E o que ela oferecia no mercado antes da robusta plataforma .NET e do suporte ao desenvolvimento das Mobile Applications?

Bem, antes, levando para a prática e indo diretamente ao ponto, tínhamos uma linguagem específica e com muitos problemas em sua terceira versão chamada eVB, ou Embed Visual Basic, uma pseudo-extensão do VB Clássico que possuía API´s customizadas rodando também em um ambiente customizado, esta baseada diretamente em scripts e com tipagem de dados muito fraca, suporte a tratamento de erros que se limitavam por exemplo ao “infantil” “On Error:”. Com essa necessidade de uma base sólida para oferecer aos programadores que desejavam desenvolver aplicativos móveis então foi idealizada e constituída a .NET Compact Framework, uma versão não só mais enxuta, mas específica para este tipo de criação, herdando valores da versão completa do Framework .NET e ainda oferecendo controles, biblioteca de classes prontas, além de mais uma infinidade de facilidades.

Levando em conta as reduzidas capacidades dos dispositivos móveis podemos colocar que armazenamento de dados, tamanho de tela, memória são limitações que o .NET CF(.NET Compact Framework) dribla de forma elegante. Além do gerenciamento automático de memória e adaptação padrão em tamanho de tela, foi desenvolvido o Microsoft SQL Server CE, uma edição compacta destinada e desenhada para rodar em dispositivos que possuam limitações características e sistema Windows CE. Nele temos uma interface de fácil trabalho, criamos bancos, tabelas, executamos consultas, dentre outras funções pertinentes a um banco de dados.

E por fim você notará que é muito fácil e intuitivo desenvolver dentro do Visual Studio 2005. Não existindo diferenças de metodologia de quando se desenvolve Web ou Win Applications, usaremos livremente a linguagem que gostamos e trabalharemos da mesma forma RAD, arrastando controles para um molde de tela. Ao executar o debug, você entrará em contato com o emulador desejado, este cria uma instância perfeita de um dispositivo na memória do seu PC, de dentro desta instancia roda seu aplicativo. Existem vários tipos de emuladores de vários tipos de dispositivos, para ter acesso a eles saiba que podemos encontrá-los nos sites das fabricantes, sugiro um bom site http://www.openwave.com/.

Bom o papo foi longo, mas vamos ao que interessa: Codificar.

 

Construindo os alicerces...

 

            Nosso aplicativo terá como função listar e manipular a relação de bois cadastrados dentro de uma fazenda. O usuário poderá inserir, remover e salvar a lista de animais. Teremos uma interface principal que dará acesso aos outros formulários e na próxima parte desse artigo estarei ensinando como enviar estas informações a um servidor WEB utilizando Web Services.

            Iniciando vamos executar a rotina clássica de criação de projeto clicando seguidamente em File>New Project> Na caixa Project Types escolhemos na árvore de projetos Visual Basic>Smart Device>Pocket PC 2003> e na caixa Templates clicamos sobre Device Application> Na caixa de texto abaixo damos um nome ao nosso projeto, no caso agroTeste. Sua janela New Project deve ficar como a exibida abaixo:

 

 

newproject.jpg

 

Criado o projeto repare que o Visual Studio exibe uma imagem mostrando o dispositivo móvel (Muito Legal!), se você não desejar que ela seja exibida clique sobre o formulário e defina a propriedade Skin como False. Vamos agora definir o esqueleto que vai rodar nossa aplicação, ou seja, vamos criar os formulários e neles adicionar os controles necessários. Nosso projeto será composto de três formulários, cada um deles com uma proposta diferenciada. Teremos um principal que dará acesso aos outros com o dito acima, outro para consultas e manipulação das informações e no terceiro um botão que executará a rotina que chama o Web Service e envia os dados para a WEB. Vamos começar construindo o Formulário Principal. Para isso aproveitaremos o formulário criado por padrão na construção do projeto. Vá até a sua Solution Explorer e renomeie o Form1.vb para frmPrincipal.vb clicando com o botão direito sobre ele e depois em Rename. Feito isso siga as instruções abaixo para modificar as propriedades do formulário e seus componentes:

 

Form (frmPrincipal.vb)

BackColor: Green

Text: Agro

Name: frmPrincipal

MainMenu: mainMenu1

 

Label

Font: Tahoma; 26pt; style=Bold

Text: AgroSystem

TextAlign: TopCenter

 

MainMenu

Name:mainMenu1

Clique sobre a indicação TypeHere, na barra de menu que aparece e vá definindo os menus e sub-menus de acordo com a seguinte árvore:

 

menu.jpg

 

Feita a colocação dos controles o seu formulário deve ficar com a aparência apresentada abaixo:

 

frmPrincipal.jpg

Crie mais dois formulários, para isso clique com o botão direito em cima do nome do seu projeto na Solution Explorer, depois Add>New Item> Na janela apresentada selecione na caixa Add New Item – AgroTeste a opção Windows Form, na caixa de texto Name, dê o nome de frmConsultas.vb para o primeiro Formulário criado e frmWEB.vb para o segundo. Agora sua Solution Explorer deve estar com a seguinte configuração:

 

solution.jpg

 

Defina os novos formulários inseridos de acordo com as características exibidas abaixo, lembrando-se de remover os MainMenu´s inseridos por padrão em cada adição de formulário feita ao projeto:

 

Form (frmConsultas.vb)

BackColor: Green

Text: AgroMaster - Consultas

Name: frmConsultas

 


Label

Font: Tahoma; 10pt; style=Bold

ForeColor: White

Text: Relação de Bovinos da fazenda

TextAlign: TopCenter

Name: lblTitulo

 

Label

Font: Tahoma; 10pt; style=Bold

ForeColor: White

Text: Nome:

Name: lblNome

 

 

Label

Font: Tahoma; 10pt; style=Bold

ForeColor: White

Text: Peso:

Name: lblPeso


 

 

 


Button

BackColor: White

Text: Remover

Name: cmdRemover

 

Button

BackColor: White

Text: Adicionar

Name: cmdAdicionar

 

Button

BackColor: White

Text: Salvar

Name: cmdSalvar


 


TextBox

Name: txtNome

 

TextBox

Name: txtPeso


 

 

Form (frmWEB.vb)

BackColor: Green

Text: WEB

Name: frmWEB

 

Label

ForeColor: White

Text: Clique aqui para enviar seus dados para a internet. Eles estarão acessíveis através do seu site.

TextAlign: TopCenter

Name: lblInfo

 

Button

BackColor: White

Text: Sincronizar com WEB

Name: cmdSincronizar

 

 

Confira abaixo como devem ficar a aparência dos formulários construídos:

 

frmConsultas.jpg                      frmWEB.jpg

 

 

 

Levantando as paredes...

 

            Bem. Vamos agora a primeira parte de codificação do nosso projeto. No formulário frmPrincipal.vb, temos um MainMenu, dentro dele teremos os itens que ao serem clicados chamarão nossos outros formulários. Não temos aqui a necessidade de indicar que este é o formulário mestre, mas teremos que chamar todos os outros de forma que eles sejam apresentados como janelas de diálogo, assim, terão sempre que ser fechados antes do formulário principal. Para isso dê duplo click sobre os submenus do MainMenu e insira os códigos:

 

Public Class frmPrincipal

    FECHA A APLICAÇÃO

    Private Sub mnuSair_Click(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs) Handles mnuSair.Click

        Application.Exit()

    End Sub

    CHAMA O FRMWEB

    Private Sub mnuWeb_Click(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs)

        frmWEB.ShowDialog()

    End Sub

    CHAMA O FRMCONSULTAS

    Private Sub mnuConsultas_Click(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs) Handles mnuConsultas.Click

        frmConsultas.ShowDialog()

    End Sub

End Class

 

Rode sua aplicação (F5) e teste.

Construído este formulário vamos partir para a construção do frmConsultas.vb.

 

XML – Armazenando com uma linha de código

 

            Como dito, vamos armazenar nossos dados em um arquivo texto formato *.xml, para isso devemos criar o arquivo, ou seja, quando o programa for inicializado pela primeira vez, o arquivo é criado. Nos próximos acessos, os dados serão trazidos diretamente dessa fonte de dados. Para isso definiremos uma variável privada no topo de nossa classe, esta do tipo DataTable, trabalharemos em cima dela. Depois criamos a estrutura da tabela que armazenará os dados. E por fim fazemos uma leitura para definir se o arquivo *.xml já existe ou não através dos métodos importados do namespace System.IO. Caso eles já existam, enviamos eles para dentro de nossa DataTable e esta por sua vez é vinculada ao componente GridView que exibe os dados ao usuário. Veja o código abaixo:

 

Imports System.Data Namespace para trabalharmos com dados

Imports System.IO Namespace que permite usar métodos com o arquivo

 

Public Class frmConsultas

 

    Private dts As DataTable Variável pública da classe

    Private Sub CriaEstrutura() Método que cria a tabela no datatable dts

        dts = New DataTable("tb_bovino")

        dts.Columns.Add("nome_bovino")

        dts.Columns.Add("peso_bovino")

    End Sub

 

    Private Sub frmPrincipal_Load(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs) Handles MyBase.Load

        CriaEstrutura() Chama o método

        Se o XML existe no caminho especificado então

        If File.Exists("My Documents\BD_BOVINO.xml") Then

            Try

                dts.ReadXml("My Documents\BD_BOVINO.xml") tenta a leitura, se der erro

            Catch

                escreve no XML a estrutura construida no metodo CriaEstrutura()

                dts.WriteXml("My Documents\BD_BOVINO.xml")

            End Try

            vinculamos o dts ao GridView

            dtgBovinos.DataSource = dts

        Else

            Se o arquivo não existe, criamos

            File.Create("My Documents\BD_BOVINO.xml")

            Pede que o usuário reentre na aplicação

            MsgBox("O sistema criou o arquivo de dados que não existia, por favor, reinicie a sua aplicação para que ele torne-se ativo!")

            Application.Exit()

        End If

    End Sub

 

End Class

 

Podemos perceber aqui o quanto é fácil verificar a existência ou criar um novo arquivo em um caminho dado através do namespace System.IO, sem falar do nível de abstração concebido quando chamamos métodos do tipo DataTable.WriteXml(“”). É fácil assim mesmo, o .NET encapsula todas funções críticas deixando ao programador, uma única tarefa: Render o serviço. Vamos agora as partes interessantes do código.

Em primeiro lugar criamos a variável “dts” que é usada em toda classe. Na rotina CriaEstrutura(), inicializamos a variável pública e adicionamos duas colunas a tabela, “nome_bovino” e “peso_bovino”, por default ambas do tipo String. A rotina é chamada no método Load() do formulário e em seguida através do método File.Exists(“”), verificamos a existência do XML, se ele existe, carregamos seus dados para dentro do “dts”, pelo método dts.ReadXml(“”). Se der erro, a estrutura criada é convertida em dados e guardada dentro do arquivo, pelo método dts.WriteXml(“”). Caso o arquivo não exista ele é criado através do File.Create(“”) e nossa aplicação se fecha.

            Se você rodar seu aplicativo agora(F5), vai perceber uma janela avisando que o arquivo de dados foi criado e que você deve entrar novamente na aplicação. Fazendo isto, apresentada será a tela principal, no menu, acesse o formulário de consultas, veja que o GridView aparece vazio. Vamos agora criar os métodos para inserir, remover e salvar os dados.

 

Inserir e Salvar

 

            Pare seu debug (não precisa fechar o emulador), volte ao frmConsultas.vb e click duas vezes sobre o botão adicionar e insira o seguinte código dentro do disparo do evento:

 

Private Sub cmdAdicionar_Click(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs) Handles cmdAdicionar.Click

    If (txtNome.Text.Trim() <> "") Or (txtPeso.Text.Trim() <> "") Then

            Dim linha As DataRow = dts.NewRow()

            linha("nome_bovino") = txtNome.Text

            linha("peso_bovino") = txtPeso.Text

            dts.Rows.Add(linha)

            dtgBovinos.Refresh()

            txtNome.Text = ""

            txtPeso.Text = ""

        Else

            MsgBox("Preencha todos os campos!")

        End If

    End Sub

 

Primeiro impedimos a inserção de valores nulos, se os valores forem válidos, criamos uma nova linha do “dts” e esta é passada para nossa variável “linha” do tipo DataRow. Em seguida os campos “nome_bovino” e “peso_bovino” são setados com os valores digitados pelo usuário, a variável, registro, é adicionada ao “dts”, como ele está vinculado ao GridView, basta que atualizemos o componente através do método Refresh(). Por fim setamos as caixas de texto como vazio.

            Se você rodar sua aplicação neste ponto(F5), notará que ao inserir os valores e mandar adiciona-los, os mesmos são exibidos na tela. Mas, detalhe, eles não estão salvos, se você fechar o aplicativo e voltar os dados serão perdidos. Para habilitar o método que salva as informações do “dts”, dê um duplo click no botão Salvar, e insira o seguinte código:

 

Private Sub cmdSalvar_Click(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs) Handles cmdSalvar.Click

        dts.WriteXml("My Documents\BD_BOVINO.xml")

        MsgBox("Salvo com sucesso!")

End Sub

 

Aqui vemos mais uma vez o método DataTable.WriteXml(“”) em ação. Ele escreverá no arquivo criado as atualizações do nosso sistema.

 

Selecionando e Removendo

 

Agora faremos o seguinte. O usuário deve clicar sobre a linha em que está o animal, e os dados deste devem ser exibidos nas caixas de texto. Assim inserimos o código abaixo, vinculado ao evento CurrentCellChange() do GridView:

 

Private Sub dtgBovinos_CurrentCellChanged(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs) Handles dtgBovinos.CurrentCellChanged

        Dim i As Integer = dtgBovinos.CurrentRowIndex()

        If (i <> -1) Then

            txtNome.Text = dts.Rows(i)("nome_bovino").ToString()

            txtPeso.Text = dts.Rows(i)("peso_bovino").ToString()

        End If

End Sub

 

Um índice é criado e recebe a posição da linha clicada, se for diferente de -1(Nada selecionado), ele busca os dados pela linha do “dts”, pois este está vinculado ao GridView. Passando o indice, o campo e convertendo para String, as caixas de texto recebem os valores selecionados.

            Selecionada uma linha, fica agora a cargo do botão Remover, a exclusão da mesma do “dts” e conseqüente eliminação da sua exibição no Grid.

            O DataTable é um componente que pode ser alterado, mas suas alterações são realmente efetuadas quando damos o comando para isso, ou seja, quando você exclui uma linha, ou altera uma linha do DataTable, elas não são realmente alteradas ou excluídas, são marcadas com uma flag, isto possibilita que o programador cancele as operações efetuadas, ou mesmo as efetue de fato. Veja como fica no código a rotina Click() do botão Remover:

 

Private Sub cmdRemover_Click(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs) Handles cmdRemover.Click

        Dim i As Integer = dtgBovinos.CurrentRowIndex()

        If (i <> -1) Then

            dts.Rows(i).Delete()

            dts.AcceptChanges()

            dtgBovinos.Refresh()

        End If

End Sub

 

Repare que após receber o indice da linha clicada e testar se é algo selecionado(diferente de -1), removemos ela através do método dts.Rows(i).Delete(), aqui, a mesma é marcada com uma flag de linha excluida, mas ainda temos a opção de cancelar a operação, a exclusão é de fato efetuada quando chamamos o método dts.AcceptChanges() que comita a deleção. Então atualizamos no componente GridView(), que não mais exibe a linha excluida.

Rode seu aplicativo e teste todas as funções.

 

Finalizando...

 

Contabilizando pessoal, foram até aqui míseras 58 linhas de código, isso mesmo, com apenas 58 linhas de código criamos uma interface completa para um dispositivo móvel com acesso a dados, verificação de arquivos, criação de xml, trabalhos com inclusão, remoção e apresentação em forma tabular. Espetacular!

Podemos criar aplicações robustas e confiáveis dentro do Visual Studio 2005, a .NET CF vem evoluindo, temos uma infinidade de classes a serem exploradas e usadas, o assunto do desenvolvimento de Mobile Applications é extenso, estudando, percebe-se que com a convergência ferramentas novas aparecem a cada dia focadas nesta área, e as implementações se tornam mais fáceis.

            Na próxima parte deste artigo, trataremos de um outro assunto, também muito interessante, vinculação dos Web Services a aplicação criada aqui. Espero que todos tenham gostado deste e obrigado aos que lerão, fico a total disposição para dúvidas e contatos pelos emails:

 

 

ciniro@gmail.com

 

 

Até mais e bons projetos!

 

 

 

 

 

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?