DevMedia
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Este é um post disponível para assinantes MVP
Este post também está disponível para assinantes da Mobile magazine DIGITAL
ou para quem possui Créditos DevMedia.

Clique aqui para saber como acessar este post

1) Torne-se um assinante MVP e por apenas R$ 69,90 por mês você terá acesso completo a todos os posts. Assinar MVP

2) Adquira Créditos: comprando R$ 180,00 em créditos esse post custará R$ 1,20. Comprar Créditos

Mobile Magazine 41 - Índice

Desenvolvimento para iPhone - Revista Mobile Magazine 41

Este artigo destaca a linguagem, os processos e ferramentas utilizadas para o desenvolvimento de aplicações para iPhone e iPad, o que pode vir a auxiliar nesse tipo de desenvolvimento.

[fechar]

Você não gostou da qualidade deste conteúdo?

(opcional) Você poderia comentar o que não lhe agradou?

Confirmo meu voto negativo
Por: Felipe Paris Braz e Marco Antonio Pereira Araújo
Um smartphone pode ser definido como um telefone móvel que pode ser utilizado como um pequeno computador. O iPhone e seu sistema operacional foram projetados para que, unindo seus recursos de hardware e software, conseguissem se enquadrar nessa definição (ler Nota DevMan 1).

Nota DevMan 1. iPhone
O iPhone é o smartphone desenvolvido pela Apple com funções de iPod, câmera digital, internet, mensagens de texto (SMS), visual voicemail, conexão wi-fi local e, atualmente, suporte a videochamadas (FaceTime). A interação com o usuário é feita através de uma tela sensível ao toque. A título de curiosidade, a Apple registrou mais de duzentas patentes relacionadas com a tecnologia que criou o iPhone.

A Apple lançou junto com o iPhone 3G a App Store - loja online de jogos e aplicativos desenvolvidos por terceiros. Os desenvolvedores utilizam as ferramentas do SDK disponibilizado pela empresa para desenvolver aplicativos tanto para o iPhone quanto para iPods Touch. Os aplicativos podem ser baixados através do próprio aparelho (aplicativos de até 10 MB) ou pelo iTunes. Os preços são definidos pelos próprios desenvolvedores, sendo que 70% do valor do aplicativo fica com ele e 30% vai para a Apple.

A App Store está disponível no Brasil desde o lançamento do iPhone 3G. Em pouco mais de seis meses desde a abertura da App Store, a Apple anunciou que foram baixados mais de 500 milhões de aplicativos para iPhones e iPods touch. Hoje, há mais de 50 mil títulos na loja, divididos em 20 categorias — de jogos a aplicativos destinados a negócios

Todos os recursos disponibilizados por esse aparelho são gerenciados, assim como a interação desses com o usuário, pelo seu sistema operacional, o iOS, que derivado do núcleo do Mac OS X, foi criado para ser compacto e eficiente, podendo assim explorar toda a capacidade dos dispositivos no qual é instalado.
Há um fator preponderante para o sucesso e a popularização do iPhone, a App Store. Esse recurso consiste de uma loja de aplicativos incorporada ao iOS, e também ao iTunes (programa de gerenciamento e venda de músicas da Apple), onde um usuário previamente cadastrado pode ter acesso a aplicativos, comprá-los e baixá-los diretamente em seus dispositivos.
Uma outra proposta dessa loja configura-se na tentativa de possibilitar a desenvolvedores criar e divulgar seus aplicativos. Pilone e Pilone (2010) afirmam que desde a sua criação, a App Store vem se mostrando uma grande oportunidade para desenvolvedores independentes, os quais encontram nela a possibilidade de competirem com grandes empresas de software com renome internacional.
Por meio do programa de desenvolvedores Apple, um interessado em criar aplicativos para o iOS tem acesso a três tipos de cadastro, o individual gratuito, individual pago e o empresarial. No programa individual gratuito o desenvolvedor tem acesso à IDE de desenvolvimento e pode criar seus aplicativos testando-os em um simulador, diferentemente do programa individual pago, onde esses testes podem ser feitos diretamente em um aparelho, o que segundo Lamarche et. al. (2011) é muito importante devido a limitações do simulador como, por exemplo, a falta de componentes de hardware como câmera e acelerômetro.
Com o aplicativo finalizado, antes que seja publicado na App Store, a Apple exige que o mesmo passe por uma avaliação dentro da empresa, onde serão testados diferentes requisitos como padrões de interface, gerenciamento de memória, entre outros pontos. Só após receber uma avaliação positiva nos testes, o mesmo poderá ser publicado na loja.
Pilone e Pilone (2010) descrevem que a maior incidência de erros durante o desenvolvimento de aplicações para o iPhone acontecem quando não é dada a devida atenção as limitações do aparelho. Apesar de possuir diversas características e funções de um computador, os dispositivos móveis gerenciados pelo iOS possuem alguns recursos como memória e tempo de resposta limitados.
"

A exibição deste artigo foi interrompida

Este post está disponível para assinantes MVP.



A DevMedia é um portal para analistas, desenvolvedores de sistemas, gerentes e DBAs com milhares de artigos, dicas, cursos e videoaulas gratuitos e exclusivos para assinantes.

O que você achou deste post?
Publicidade
Serviços

Mais posts