Fatores críticos de sucesso em programas de melhoria de processo de forma cooperada

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Este artigo descreve as experiências vivenciadas pelo SOFTEXRECIFE na organização de programas de melhoria de forma cooperada com base no modelo MPS.BR.

Esse artigo faz parte da revista Engenharia de Software 22 edição especial. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição


Processo

Fatores críticos de sucesso em programas de melhoria de processo de forma cooperada

 

De que trata o artigo:

Este artigo descreve as experiências vivenciadas pelo SOFTEXRECIFE na organização de programas de melhoria de forma cooperada com base no modelo MPS.BR. O principal objetivo do trabalho é compartilhar os aprendizados, analisando os principais pontos que foram determinantes para o sucesso obtido.

 

Para que serve:

Para todos os interessados em implementar melhoria de processo de forma colaborativa, o artigo indica os primeiros passos e desta os principais pontos impactantes no sucesso da implementação.

 

Em que situação o tema útil:

Este tema é de grande utilidade para a melhoria da qualidade e produtividade do software nacional, abordar forma de se implementar modelos de qualidade em grupos de empresa, o que reduz expressivamente os custos de implementação.

 

Este artigo tem por objetivo compartilhar a experiência bem sucedida vivida pelo SOFTEXRECIFE na organização de cooperativas para implantação do programa de melhoria com base no modelo MPS.BR. De forma sucinta, esperamos repassar os aprendizados adquiridos, apresentar e discutir os principais pontos determinantes do sucesso da cooperativa, na ótica da IOGE (Instituição Organizadora de Grupo de Empresas).

O SOFTEXRECIFE em parceria com a SWQuality organizou em 2006 o primeiro grupo de empresas em Recife para a implantação do programa de melhoria, com base no Modelo de Referência do MPS.BR [MR-MPS.BR] e em 2007 o segundo grupo de empresas, motivado pelo comunicado da Sociedade SOFTEX Nacional para a formação de grupos de empresas para a implantação do MR-MPS.BR no modelo cooperado. Esta primeira cooperativa de empresas teve por objetivo apoiar a implementação do nível G do modelo em 5 empresas de desenvolvimento de software da região Nordeste, e a avaliação seguindo o Método de Avaliação do MPS.BR [MA-MPS.BR].

A primeira cooperativa MPS.BR nível G desenvolveu suas atividades no período de abril de 2006 a junho de 2007, quando as últimas empresas do grupo foram avaliadas obtendo o nível G. Das 5 empresas que iniciaram o grupo, 4 empresas foram avaliadas e todas  foram bem sucedidas com as avaliações realizadas conforme previsto no projeto. Com isto obtivemos uma taxa de sucesso de 80%, maior do que a prevista inicialmente.

Em 2007 foi organizada a segunda cooperativa com 9 empresas organizadas em dois grupos, um grupo com 5 empresas objetivando o nível G e o outro com 4 empresas objetivando o nível F. Estes grupos foram finalizados no início de 2009, com a avaliação oficial de 3 empresas no nível F e 4 no nível G. Com estes resultados, obtivemos um índice de 78% das empresas que iniciaram o grupo avaliadas oficialmente, e com 100% de aproveitamento nas avaliações, ou seja todas as empresas que se submeteram à avaliação oficial obtiveram o nível pretendido. "

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?