Filosofias conflitantes: Palm x Apple

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Uma visão sobre as diferenças formas de marketing adotadas pelas empresas Palm e Apple que podem permitir uma virada de mesa em curto prazo para a pioneira do desenvolvimento de PDA´s.

A primeira destas companhias era líder no mercado de portáteis, chegou a escurraçar a própria Apple de seu mercado com o antigo Newton, grande, caro e pesado, mas a liderança ampla de mercado lhe custou caro, acomodou-se e hoje luta para sobreviver com um sistema operacional antiquado e na promessa de um novo por vir.
 
A segunda companhia, Apple, hoje líder incontesta de mercado de hardware com seu iPod, iPhone, iMac, iBook, MacBook, PowerMac e tantas outras variações, aprendeu com os erros do passado e o futuro não poder ser representado por outra metáfora que não um horizonte de céu azul e caminho tranquilo para atingí-lo.
 
Mas, antes tarde do que nunca, a Palm está reagindo, encima dos erros da sua principal concorrente, está personalizando as coisas. Uma coisa sobre a Apple do Jobs é que ela é inatingível. Você pode comprar seus produtos, mas você não opina, não altera as configurações, não faz casemode em seus produtos, mal muda o papel de parede destes. O iPodTouch e o iPhone não falam com outros produtos, não funcionam como modem externo e não aceitam telefones com bluetooth para navegarem na internet fora do WiFi (longe de ser onipresente no Brasil, diga-se de passagem).
 
A Palm por outro lado criou um blog (blog.palm.com), depois criou uma página no FaceBook, depois criou um tweeter, e todos trabalham muito lá para nos trazer histórias divertidas, criativas, cases de usuários e ouvir sugestões. Ouvir sugestões e publicá-las com comentários. Conversam com todos os que usam Palm no nome no Twitter, pedem críticas, pedem reclamações.
 
Seus aparelhos, desde sempre, ao invés de se colocarem num monte olimpo, onde os outros que se lixem para atingí-lo, sempre falaram com todo mundo. Há porta Infra-Vermelha na Palm, Bluetooth, WiFi, cartão de Memória SDCard e MMCard. Elas conectam-se à todos os computadores do mundo com seu cabinho USB e funcionam como Pendrive. Hà milhares de programas para ela que qualquer um pode comprar de onde quiser, morando no país que more e os desenvolvedores vendem, eles mesmos, de onde quer que estejam.
 
A tecnologia da Palm ainda é ultrapassada, infelizmente para mim, o PalmOS já tem os pregos no caixão e só falta enterrar, em pró de um novo sistema operacional baseado em linguagem WEB e com interface totalmente refeita. Mas antes dos produtos em sí, a marca continua pregando aquilo que todos seus aparelhos diretos ou indiretos, como o lendário IBM M515 fizeram: socializando a tecnologia, deixando-a na mão de usuários. Não por acaso que os amantes do Linux cultuam a Palm e até a própria Mac+ teve que dedicar um longo capítulo em sua revista sobre como sincronizar seu computador com estes aparelhos.
 
A base do programa é a usabilidade, alterar para personalizar os aparelhos, comprar acessórios importantes, mas que não são exclusivos da fabricante dos aparelhos. O teclado da Palm por IR é ótimo, mas você podia eleger outros, da Targus por exemplo.
 
Por um tempo, o excesso de aparelhos que quase afogou os usuários fez as pessoas perderem o foco daquilo que importa num PDA ou Smartphone. O Windows Mobile, os Linux da Motorola, Android´s e iPhone´s, todos esses começaram copiando a antiga líder em interface e funcionalidades, até mesmo no santíssimo quadrilátero de funções: Agenda, Tarefas, Contato e Memos, e depois começaram a incrementar o visual, a interface e tudo mais, até o usuário esquecer que tudo isso visual é possível em qualquer aparelho. Mas e as funções importantes? E a conexão via Bluetooth a outros aparelhos e acessórios como teclados, saídas de vídeo para projetores, leitora de cartões e todo o demais?
 
A Apple acertou hoje ao repetir o que fez a Microsoft lá em sua gênesis, abriu mão de um cuidado maior de hardware e acessórios próprios para a venda do software. O hardware hoje é comoditie, o que dá dinheiro é algo intagível, que não requer estoques e não encalha nas prateleiras, softwares por lojas virtuais. A hora que a Palm entender isso, mas mantiver o cuidado e zelo com o cliente que sempre teve e vem melhorando ainda mais este setor, ninguém segurará mais esta notável fabricante.
 
So say we all.
 
Para saber mais:
blog.palm.com
twitter.com/palm_inc
www.apple.com
 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?