Array
(
)

As Irmãzinhas de São Francisco

Beppe
   - 10 jan 2004

As Irmãzinhas de São Francisco

O rapaz ia em alta velocidade numa bela rodovia quando viu um cartaz onde, abaixo de uma imagem sensual, lia-se:
´As Irmãzinhas de São Francisco querem aprontar com você, 10 km.´
Pensou que fosse um erro. Mas reduziu a velocidade. Um pouco à frente, lá estava outro cartaz onde, abaixo de uma mulher usando um hábito mínimo, lia-se:
´As Irmãzinhas de São Francisco estão loucas para aprontar com você, 5 km.´
Pouco à frente, outro cartaz:
´Para que as Irmãzinhas de São Francisco aprontem com você, entre à direita.´
Entrou. Havia um grande estacionamento e, ao fundo, um prédio de pedra. Na frente, uma placa anunciava em neón: Irmãzinhas de São Francisco. Pensamentos lúbricos passaram pela cabeça do rapaz, não resistiu: tocou a campainha. Uma freira já idosa, de longo hábito negro, recebeu-o gentilmente:
´Que deseja, senhor?´
- Vi o cartaz lá fora e me interessei.
- Quer que nossas irmãs aprontem com o senhor? - indagou a freira e sem esperar resposta, emendou:
- Siga-me, por favor.
Atravessaram vários corredores iluminados por estimulantes luzes vermelhas, o moço pode ouvir risinhos dissimulados e movimentos furtivos antes que várias portas se fechassem. Finalmente, a freira lhe indicou uma porta fechada.
- É aqui, senhor. Por favor, bata à porta.
Em seguida, a freira retirou-se.
Ele bateu à porta e outra freira, também idosa, também num longo hábito negro, recebeu-o num ambiente profusamente iluminado. Imagens libidinosa pululavam de diversos quadros que decoravam a sala. Uma lata lhe foi estendida:
- Por favor, cavalheiro, coloque cem reais nesta caneca.
Ele colocou o dinheiro, a freira explicou-lhe:
- Siga reto até aquela porta grande. Está destrancada.
O rapaz seguiu as instruções, abriu a porta e entrou rapidamente. A porta fechou-se atrás dele. Surpreso, viu-se de novo no estacionamento. Bem ao lado, havia um cartaz: ´Siga em paz. As Irmãzinhas de São Francisco acabam de aprontar com você, pecador!

É tudo uma questão de exclusividade:

Leucádio vai ao médico depois de ter estado doente por um longo período. Esse, depois de um exame detalhado, olha o paciente nos olhos e diz:
-Tenho más notícias... Você está com câncer e não tem cura. Eu lhe dou de duas a quatro semanas de vida.
Leucádio, chocado e triste, mas de índole forte, recupera-se rapidamente e sai do consultório. Na sala de espera, ele encontra seu filho, que o estava aguardando.
-Filho, estou com câncer e tenho pouco tempo de vida. Vamos ao bar tomar umas cervejas.
Depois de alguns copos, eles estão mais alegres um pouco. Chegam as risadas, as gargalhadas, e mais cerveja. Uns amigos chegam e perguntam o motivo daquela alegria toda. Leucádio repete a sequência dos fatos, dizendo, entretanto, que está com Aids. Os amigos ficam consternados, e acabam tomando cerveja também. Num momento em que está perto de Leucádio, o filho diz ao seu ouvido:
-Pai, você disse pra mim que estava com câncer, mas para eles você disse que está com Aids...
-Eu estou com câncer mesmo, filho... Eu só não quero é esse pessoal dormindo com sua mãe depois que eu morrer.

O nerd:

O que o nerd fez quando viu uma mosca no seu café?
Chamou o garçon e reclamou: ´Este café tem um Bug!´