Array
(
)

Diário de uma esposa compreensiva

Beppe
   - 10 jan 2004

Diário de uma esposa compreensiva:

DIA 1 - Celebramos hoje o 25º aniversário de casamento. Na verdade tentamos relembrar a nossa noite de núpcias, ele trancou-se no banheiro e chorou.
DIA 2 - Hoje ele contou-me o grande segredo: ´está impotente e queria que eu fosse a primeira a saber´. Grande novidade, ele realmente pensa que eu ainda não sabia.
DIA 3 - Este casamento está mal. Uma mulher tem as suas necessidades. Hoje vi uma cena de um casal na cama na TV e desatei a chorar.
DIA 4 - Estou entusiasmada, li no jornal que há uma nova droga no mercado que pode resolver o problema. Disse-lhe que se tomasse esse medicamento, as coisas podiam ser como na nossa lua de mel. Realmente penso que pode dar resultado. Ele vai tentar na esperança que levante algo mais do que o entusiasmo.
DIA 5 - O comprimido funcionou. Parece uma benção dos céus.
DIA 6 - A vida é maravilhosa... Apesar de ser um pouco complicado escrever enquanto ele faz ´aquilo´.
DIA 7 - O remédio subiu-lhe à cabeça (sem segundas intenções). Ontem, no restaurante, o garçom perguntou-me como estava o espeto e ele pensou que se estava se referindo a ele. Mas tenho de confessar que tem sido bom; nunca fui tão feliz.
DIA 8 - Acho que ele exagerou na dose neste fim de semana. Já começo a ficar um pouco dolorida nas partes baixas.
DIA 9 - Não tenho tempo para escrever, ele me chama a todo instante.
DIA 10 - Ok, admito, estou escondida. É que não há mulher que aguente tanto e para piorar as coisas ele anda tomando os comprimidos com whisky, o quê hei de fazer? Estou toda moída.
DIA 11 - Estou praticamente sendo usada até a morte. É o mesmo que ir para a cama com um leão. Acordei esta manhã colada à cama, até os sovacos não escapam.
DIA 12 - Deixei de me maquilar, tomar banho, lavar os dentes, mas mesmo assim ele vem atrás de mim. Até bocejar é um perigo.
DIA 13 - Cada vez que fecho os olhos lá vem mais um ataque. Estou vivendo com um míssil Scud. Já mal consigo andar. Juro que se ele vier outra vez com aquela história do ´Olá, com licença´, eu mato o sacana!
DIA 14 - Já fiz de tudo para ele me deixar em paz, mas nada resulta. Até já me vesti como uma freira, mas ainda foi pior. Socorro.
DIA 15 - Vou acabar por matá-lo. São umas dores infernais quando me sento. O cão e o gato fogem dele e os amigos nem se atrevem a aparecer aqui em casa.
DIA 16 - O infeliz tem se queixado de dores no peito, quem me dera que explodisse. Eu obriguei-o a consultar um médico. Assim consegui pelo menos 2 horas de paz e tranquilidade.
DIA 17 - O médico, graças a Deus!, diagnosticou excesso de esforço físico. Proibiu a automedicação e receitou tranquilizantes. Ih! Lá vem ele outra vez.
DIA 18 À 30 - O tranquilizante começou finalmente a fazer efeito. Meu homem passa agora o dia inteiro sentado em frente à TV, beberica satisfeito sua cerveja, com o controle remoto à mão assiste programas esportivos. Ah! Que vida maravilhosa.


Elitonon
   - 12 jan 2004

Ôôôôô remédinho porrêta, sô !!!
Isso é que é passar o ferro na véia !!!
Éssa vai fazer votos de castidade e entrar para um convento...
:lol: :lol: :lol:


Nigro
   - 23 jan 2004

Coitado ou é 8 ou 800, para piorar só se o cara fosse programador... coitado