Array
(
)

Noticias da borland

Elter.teodoro
   - 18 nov 2005

Borland anuncia novo CEO


Apagar incêndio, esta parece ser a tarefa de Tod Nielsen, novo CEO da Borland, depois de quatro meses da demissão de seu antecessor por conta dos resultados financeiros ruins. Com passagens pela Microsoft, BEA e mais recentemente pela Oracle, na qual exerceu por quase seis meses a função de vice-presidente senior de negócios de banco de dados e de middleware, Nielsen será efetivado nesta quarta-feira, dia 9 de novembro. E já foi escalado como keynote speaker durante a conferência promovida pela Borland para desenvolvedores, realizada em San Francisco, esta semana.

Nielsen substitui Dale Fuller, que depois de seis anos foi demitido depois de um trimestre desastroso em vendas. De acordo com analistas de mercado, o desafio da Borland é gigantesco ao se confrontar e perder terreno para IBM e Microsoft na montagem de suites com ferramentas de desenvolvimento. E ainda enfrenta o avanço da solução de código aberto Eclipse, que tem feito sucesso na plataforma Linux.


Bon Jovi
   - 19 nov 2005

Demitiram o cara..., mas diante do Eclipse e MS Visual C#, que milagre poderá ser feito...


Kotho
   - 21 nov 2005

Posso até estar errado, e me arrepender do que estou dizendo agora no futuro, mas eu acho que a Borland, quando partiu para DotNet, deu um belo de um tiro no pé...


Nildo
   - 21 nov 2005


Citação:
Posso até estar errado, e me arrepender do que estou dizendo agora no futuro, mas eu acho que a Borland, quando partiu para DotNet, deu um belo de um tiro no pé...


Se não partisse seria um tiro no peito ;-)


Michael
   - 21 nov 2005

Isso mesmo Nildo. ;-)

Se optasse por seguir apenas com Win32 fecharia as portas em no máximo 5 anos.

O .NET, entre outras coisas, foi a solução encontrada para a Microsoft para que a mudança entre os processadores de 32bits para os de 64bits acontecesse da forma menos dolorosa possível. Hoje, o .NET roda em cima do Win32. Acreditem, é isso mesmo. Se separarmos as camadas, vamos ter: SO->Win32->.NET.

E por que isso? Se todos programarem para .NET, qdo o processador de 64bits for uma realidade (se já não é), a Microsoft tira o Win32 ´debaixo´ do .NET e ninguém (teoricamente) vai sofrer com isso.

.NET é o futuro. Relutei muito em aceitá-lo, mas depois de aprender sobre ele, vejo que a evolução natural das coisas. E para muito melhor.

[]´s


Nildo
   - 21 nov 2005

Assim como Java também é a melhor solução!


Kotho
   - 21 nov 2005

De qualquer forma ela tomou um tiro :lol:

Eu não estou dizendo que sou contra o DotNet (apesar de preferir Java), mas acho que a Borland não trouxe nenhum diferencial, se comparando com VisualStudio.

O que ela diz ser diferencial (BDP, VCL .Net) não é indicado para ser usado (pelo menos é o que eu tenho visto nos forums).

E, no meu entender, esse é o principal motivo da queda das vendas...

Mas vamos esperar as novas versões, quem sabe... podemos ser surpreendidos... (tomara).


Massuda
   - 21 nov 2005


Citação:
... mas acho que a Borland não trouxe nenhum diferencial, se comparando com VisualStudio.
No VS, com exceção do compilador C++, todo o resto é baseado em .NET.

A médio prazo, a maioria dos programas terá que ser executado no Windows através do .NET. Programar em código nativo será restrito como hoje é com relação a acesso direto a hardware.


Citação:
... O que ela diz ser diferencial (BDP, VCL .Net) não é indicado para ser usado (pelo menos é o que eu tenho visto nos forums).
Esse discurso da Borland mudou com a chegada do Delphi 2006. Agora, eles prometem atualizar a VCL.NET (veja o [url=http://img3.imageshack.us/my.php?image=delphicbuilderroadmapsm3gg.jpg]roadmap da Borland[/url]).


Citação:
... esse é o principal motivo da queda das vendas...
Uma série de erros da administração anterior causou isso. Um exemplo: Delphi 8.

Com relação ao novo CEO... pelo que li sobre ele, quando ele este na MS ele foi o responsável por manter o FoxPro vivo até hoje; ele brigou por isso ao perceber que havia uma quantidade razoável de pessoas que utilizava o FoxPro. Esse tipo de atitude leva a crer que ele dará mais atenção aos usuários (nós, desenvolvedores) ao invés de ser mais um marqueteiro.


Dopi
   - 21 nov 2005

Acho que competir no ´terreno´ .NET com a própria MS será muito difícil... A Borland sempre estará um passo atrás...

Se o .NET será o futuro eu não sei... mas ainda não vi nenhuma ´correria´ de programadores Delphi para a nova plataforma... E os que estão migrando, adotaram ferramentas concorrentes como MS-VS ou SharpDevelop

Como [url=http://forum.clubedelphi.net/viewtopic.php?t=68074&start=20]disse antes[/url], acho que o .NET será o motivo do fim do Delphi... A Borland deveria dar um grito de independencia da MS desenvolver o seu próprio framework multiplataforma usando a QT... alias muito esforço já foi feito nesse sentido com a CLX... mas parece que a MS conseguiu ´convencer´ a Borland que Multiplataforma não é importante...


Michael
   - 21 nov 2005

É possível que num primeiro momento (este que estamos vivenciando) a Microsoft permaneça à frente da Borland quando o assunto for .NET, mas não me arrisco a afirmar que esta situação seja permamente.

Pelo fato de a Microsoft desenvolver o .NET, pode parecer que sempre terá uma ferramenta de desenvolvimento mais completa e lançada mais rapidamente no mercado do que a Borland. Mas, a Microsoft tbm criou o Windows 16 e 32bits, e nem por isso o Visual Basic e o Visual C++ são melhores do que o Delphi e o C++Builder. Muito pelo contrário.

O .NET, apesar de ter alguns anos já de estrada (muito pouco, se comparado ao Java, ou ao próprio Windows 32bits, se o considerarmos uma plataforma-sistema operacional), ainda é novo. O que quero dizer é que ainda é cedo para se afirmar que a Borland ficou para trás e que a supremacia será única e exclusivamente da MS.

Não acredito que o .NET decrete o fim da era Delphi. O que vemos hoje é algo como a migração do DOS para Windows, ou do Win 3.11 para o 95. Não posso afirmar, pois naquela época ainda não era programador, mas talvez alguém tenha dito no lançamento da plataforma 32bits que aquela recém-criada ferramenta chamada Delphi seria esmagada pela Microsoft, pois ´ela sempre estaria um passo a frente da Borland´.

Quando vejo o roadmap da Borland para os próximos anos, penso que nós, desenvolvedores Delphi, ainda estamos no páreo.

[]´s


Elter.teodoro
   - 21 nov 2005

>>Acho que competir no ´terreno´ .NET com a própria MS será muito difícil... A >>Borland sempre estará um passo atrás...
>>
>>Se o .NET será o futuro eu não sei... mas ainda não vi nenhuma ´correria´ de >>programadores Delphi para a nova plataforma... E os que estão migrando, >>adotaram ferramentas concorrentes como MS-VS ou SharpDevelop
>>
>>Como disse antes, acho que o .NET será o motivo do fim do Delphi... A >>Borland deveria dar um grito de independencia da MS desenvolver o seu >>próprio framework multiplataforma usando a QT... alias muito esforço já foi >>feito nesse sentido com a CLX... mas parece que a MS conseguiu >>´convencer´ a Borland que Multiplataforma não é importante...

isto eu concroda ,principalemnte pelo fato do delphi 7 fazia isto sem abandonar o win32 , creio foi um erro tirar isto do delphi 2005 , um clx nao cairia mal , pois assim a borland poderia continuar com seu grande difrencial , que foi nos dar varias opçoes .
Creio que ele esta certa em adotar o .net , o grande erro a abandonar o clx.


>>Eu não estou dizendo que sou contra o DotNet (apesar de preferir >>Java), mas acho que a Borland não trouxe nenhum diferencial, se >comparando com VisualStudio.
se olhar com cuidado o delphi 2005 tem muitas coisa interessantes e produtivas que o VisualStudio, nao tem , creio que o maior erro da borland e nao saber mostrar isto .

>>O que ela diz ser diferencial (BDP, VCL .Net) não é indicado para ser >>usado (pelo menos é o que eu tenho visto nos forums).

o BDP traz uma produtividade muito boa no processo de manipulacao de dados .
A VCL .Net e mais rica que os winforms . Se marketing da borland fosse melhor estas duas tecnologias seriam muito bem aceitas.

Enfim , o mal borlnad e administrativo e marketing , na parte tecnica em se tratando de ferramentas de desenvolvimento , ela esta na frente da MS e outras ferramentas open-source.

Se borland fosse comprada pela oracle e eles investissem em marketing , o delphi superiaria facil VisualStudio e outros.


Bon Jovi
   - 22 nov 2005

´Não acredito que o .NET decrete o fim da era Delphi. O que vemos hoje é algo como a migração do DOS para Windows, ou do Win 3.11 para o 95. Não posso afirmar, pois naquela época ainda não era programador, mas talvez alguém tenha dito no lançamento da plataforma 32bits que aquela recém-criada ferramenta chamada Delphi seria esmagada pela Microsoft, pois ´ela sempre estaria um passo a frente da Borland´. ´

Acho que a questão hj é bem diferente, pois não é só por mudança de Windows 16/32/64. Para estar atualizado no mercado Windows, agora o Delphi tem que se submeter à bibliotecas de classes da Microsoft e não só ao sistema operacional. Querer ter um diferencial dentro disso é querer reinventar a roda, como é o caso do BDP.

Concordo sobre o erro do Delphi 8 e da CLX ter ficado fora do foco. Pra algo ter sucesso tem que ter reais diferenciais. Enquanto não há nada que possa realmente bater o imbatível Visual Studio 2005, a Borland podia focar por enquanto no Win32/Win64 puros e mantendo a CLX dentro do possível. Seria uma alternativa mais produtiva ao Visual C++.

Na empresa que trabalho usam Delphi Win32, talvez só daqui a 5 anos ou mais pensem em converter os sistemas pra sei la o q... Não há nenhuma necessidade ainda. E em projetos particulares só uso C#, C++ e Java.


Michael
   - 22 nov 2005

Primeiramente, tbm sou fã do Bon Jovi! ;-)


Citação:
Acho que a questão hj é bem diferente, pois não é só por mudança de Windows 16/32/64. Para estar atualizado no mercado Windows, agora o Delphi tem que se submeter à bibliotecas de classes da Microsoft e não só ao sistema operacional.


Acredito que a situação seja exatamente a mesma qdo o Windows 16bits passou para .NET. Embora isso não seja oficial, o .NET tende a ser o novo sistema operacional da Microsoft. Uma das funções do .NET, se não for a principal, é abstrair os aplicativos do SO. Então, programar para .NET é quase como se programar para 64bits. Na plataforma Windows, não há outra escolha, pois vc não poderá mais acessar diretamente o sistema operacional. Sobre a se submeter às bibliotecas da MS, sempre foi assim. Precisamos das API´s para falar com a máquina. Sem elas, só em assembler. Com o .NET é a mesma coisa.

Estamos no início de um novo ciclo na história da TI. E, como em todo começo, as coisas precisam de tempo para se adaptarem. Prefiro não crucificar a Borland por seus erros iniciais, mas sim esperar para ver o que vem por aí. E, pelo que tenho visto, como o Delphi 2006 que está prestes a ser lançado (e vamos ter aqui na empresa! Viva!), estou bem animado.

Deixando a parte ´filosófica´ de lado, o .NET como framework de desenvolvimento é muito bom. Os recursos encontrados em Java, C++ e outras linguagens 100¬ orientadas a objetos existem nele, e novos foram acrescentados. Isso tudo nos ajuda mais ainda no processo de desenvolvimento de nossas aplicações, ao mesmo tempo que molda nossos costumes para uma programação mais bem feita, mais elegante.
E tem mais: a versão 1.1 do .NET deixou muito a desejar no quesito Windows Forms. Mas a 2.0, recém lançada, pelo que eu vi, vai poder substituir a VCL para Win32 sem muitas dores de cabeça. Em pouco tempo .NET não será apenas sinônimo de programação para Web, como é hoje, e tbm será referência para desktop. Porém, mesmo assim, a Borland garante a VCL pelo menos até o Delphi 11 (2007), e até uma versão para o Compact Framework, o que é sensacional.

Falando em Windows Forms e .NET 2.0, gostaria muito de saber se é possível criar componentes, editores de propriedades, etc para eles, como na VCL. Se alguém tiver a resposta, agradeço desde já.

Estou ancioso para ver o rumo que as coisas estão tomando. E, é claro, estundando C# por trás para não morrer na praia caso tudo dê errado. hehehehe

[]´s


Bon Jovi
   - 22 nov 2005

´Primeiramente, tbm sou fã do Bon Jovi!´
Até o album These Days me amarro pra kct, principalmente anos 80.

´Uma das funções do .NET, se não for a principal, é abstrair os aplicativos do SO.´
Certo.

´Sobre a se submeter às bibliotecas da MS, sempre foi assim. Precisamos das API´s para falar com a máquina.´
Mas essas API´s não são classes. O q quero dizer: ´TObject´ da VCL não é da Microsoft, já ´Object´ do .Net é.

´Estou ancioso para ver o rumo que as coisas estão tomando. E, é claro, estundando C# por trás para não morrer na praia caso tudo dê errado. hehehehe ´
E não deixe de estudar Java tb!


Martins
   - 22 nov 2005

Eu estou acompanhando todas essa mudanças timidamente, ainda com um pé atrás, assim como fiz ao sair do MS-DOS para o Windows, :D


Citação:
Pelo fato de a Microsoft desenvolver o .NET, pode parecer que sempre terá uma ferramenta de desenvolvimento mais completa e lançada mais rapidamente no mercado do que a Borland. Mas, a Microsoft tbm criou o Windows 16 e 32bits, e nem por isso o Visual Basic e o Visual C++ são melhores do que o Delphi e o C++Builder. Muito pelo contrário.


Concordo com vc tb, se fossemos olhar por esse prisma, então todas as ferramentas de desenvolvimento da MS seriam melhor do as da Borland, e não é isso q se sabe.

A versão 2.0 do .NET promete muito e esperamos q ela realente cumpra o q promete, assim como o Delphi 2006, a questão de q .NET decreta a morte do Delphi é um pouco catastrófica demais, a plataforma .NET está aí, é uma realidade e acredito q a Borland vai fazer o possível para se manter firme no mercado e antendo as necessidades do usuários Borland q estiverem desenvolvendo nessa plataforma, concordo com aqueles que desejam e já estão estudando outra linguagem, versatilidade, isso e muito importante, o novo CEO da Borland pelo menos parece gostar dos Desenvolvedores, esparamos que ele possa não só demonstrar esse apoio mas oferecê-lo de fato, tenho alguns colegas que deixaram o Delphi logo q saiu a versão 8 e foram para VS, assim como tem outros q estão utilizando o VS e esperam o lançamento do D2006, acharam q a borland perdeu muito ao praticamente enterrar o Kylix, abandonar a CLX

Bola pra frente galera!!!!!


Martins
   - 22 nov 2005

, mas fazer o q, o negócio agora é esperar para ver como as coisas vão se comportar, amadurecer os conceitos, aprimorar conhecimentos, assimilar novas tecnologias e nos matermos atualizados para continuarmos no mercado pq isso é mais importante.