Array
(
)

teclado no kylix

Thaleshcv
   - 16 dez 2004

Tenho o kylix3 rodando no Kurumin 3. Ele não tá reconhecendo a tecla : e ; (assim não tem como programar, né? rsrsrs)
O teclado ta configurado para ABNT2...

Alguém sabe o q pode tá acontecendo??? (nos editores de texto essa tecla funcionam normalmente)..


Dopi
   - 16 dez 2004

O texto abaixo foi extraido de http://www.jsk.com.br/kylix-mandrake.html


Citação:
Kylix instalado

Se tudo correu bem, você verá os links do Kylix no menu do KDE e poderá chamar a IDE por lá. Uma outra opção é chamar pelo console com ~/bin/startdelphi.

1) Antes de chamar o Kylix vamos fazer uns ajustes para facilitar o nosso dia a dia. Editar o arquivo

$HOME/bin/startdelphi.sh

Nele, você deve incluir a linha:

export LD_ASSUME_KERNEL=2.4

Com isso o Kylix pensará que o Linux está compilado com o Kernel 2.4 (que não é o caso já que o Mandrake 10 utiliza o kernel 2.6).

2) Na ultima linha, adicione o parametro -ns após o .../delphi .Este parâmetro é o ´No Splash´ e faz com que a tela de abertura não apareça. A linha ficará assim:

~/kylix3/bin/delphi -ns $*

3) Além disso, se o seu teclado for ABNT, fatalmente você não vai ter o caracter ; no ambiente do código fonte. Para solucionar o problema, inclua a linha abaixo antes da chamada:

xmodmap -e ´keycode 47 = semicolon colon´

Entretanto, essa mudança traz um problema: enquanto você estiver no Kylix, você não conseguirá utilizar o ç. Para solucionar o problema, inclua ainda no startdelphi.sh a linha abaixo depois da chamada do kylix:

xmodmap -e ´ keycode 47 =ccedilla Ccedilla´

O ideal seria que utilizassemos o layout de teclado ABNT que já existe para o Mandrake 10: eu encontrei um link dele aqui. Entretanto, não funcionou comigo - se alguém souber como fazer me fale!

4) Agora, chame o Kylix, carregue algum programa demo e compile para verificar se tudo funcionou corretamente.

5) Agora, chame o menu Tools / Environment Path e inclua $HOME/lib no BPL Output directory. Com isso, todas as BPLs criadas irão para o diretório que está no PATH do Linux e o Delphi e os programas compilados irão enxergá-las.

O próximo passo é instalar as bibliotecas FreeCLX, dbControls, ZeosLib, e o Indy. Entretanto, antes disso vamos preparar o ambiente e definir alguns padrões para facilitar o nosso trabalho.

O diretório $HOME/dlib também será criado e nele instalaremos todos os fontes das bibliotecas que estarão instaladas. Esta técnica é o resultado de 10 anos de experiência em Pascal / Delphi. O objetivo é facilitar o desenvolvedor na hora de saber rapidamente quais são as bibliotecas instaladas em uma máquina.



Thaleshcv
   - 16 dez 2004

Vlw...