Guia Delphi

Generics + MVC = Boas práticas e reusabilidade

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (8)  (0)

Neste artigo criaremos um aplicativo Win32 que utiliza o padrão MVC para mostrar como o recurso de Generics no Delphi pode trazer vantagens. Vamos além dos exemplos simples de listas tipadas, mostrando como o recursos pode ser útil no dia a dia.

Artigo do tipo Tutorial
Recursos especiais neste artigo:
Contém nota Quickupdate, Conteúdo sobre boas práticas.
Generics + MVC = Boas práticas e reusabilidade
Neste artigo criaremos um aplicativo Win32 que utiliza o padrão MVC para mostrar como o recurso de Generics no Delphi pode trazer vantagens. Vamos além dos exemplos simples de listas tipadas, mostrando como o recursos pode ser útil no dia a dia. Claro, explicaremos o que são esses tipos e como eram as coisas antes do seu surgimento, abordando os benefícios de seu uso em classes e interfaces, inclusive com uso de constraints. Veremos também como o próprio Delphi faz uso deste recurso em diversos elementos de sua arquitetura. Além disso, discutiremos um pouco sobre covariância e contravariância para explicitar limitações que o uso de generics ainda possui no Delphi.


Em que situação o tema é útil
Generics podem ser utilizados em quaisquer projetos que venhamos a desenvolver. Através deles podemos tornar nossas arquiteturas mais abstratas e reutilizáveis além de reduzir a quantidade de código de nossos projetos através da eliminação de códigos redundantes.

Ao longo deste artigo veremos como utilizar o recurso de generics, ou tipos genéricos, no Delphi. Os tipos genéricos foram introduzidos ao Delphi a partir de 2009. Com tipos genéricos nós podemos parametrizar determinados tipos, deixando os mesmos para serem definidos somente no momento de seu uso, isso nos traz certa flexibilidade, pois podemos criar classes mais abstratas para determinados tipos de objetos sem nos preocuparmos com qual tipo exato estaremos trabalhando além de reduzir consideravelmente a necessidade de type-casting.

Após passarmos pelos conceitos e exemplos isolados de Generics, criaremos um exemplo onde simularemos um cenário de um projeto MVC – Model View Controller – (ver Nota do DevMan 1) onde teremos um controller genérico que espera dois parâmetros, sendo um Form e o outro um objeto de nosso domínio. Para isso criaremos um pequeno cenário com dois cadastros básicos, um de cliente e um de fornecedor. Em nosso exemplo não chegaremos a persistir os dados, pois o objetivo do artigo é demonstrar o uso do generics e fazer o leitor perceber os benefícios do uso do mesmo.

Com este exemplo conseguiremos compreender o uso e os benefícios do Generics além de abordar o uso de constraints para nossos tipos genéricos.

Nota do DevMan 1
MVC, Model View Controller, é um padrão de projeto que prevê a separação da aplicação em três camadas lógicas, Model, View e Controller. A ideia é seguir o princípio da responsabilidade única e garantir que as classes da camada Model cuidem apenas dos aspectos relacionados ao modelo, ou seja, manutenção do estado, regras de negócio, comportamento, abstrações do mundo real etc... Enquanto que a camada View cuida apenas da apresentação para o usuário final, sem conhecer detalhes do sistema e sem possuir regras, a camada View deve possuir apenas elementos necessários para comunicação com o usuário final. E por fim a camada controller seria a responsável pela comunicação entre a View e o Model. Este padrão é bastante conhecido e difundido e tem como um dos principais benefícios a separação de responsabilidades e com isso um maior nível de desacoplamento e reuso.

O que é Generics ?

O recurso de tipos genéricos permite a definição tardia de determinados tipos de objetos. Sendo assim, nós podemos parametrizar nossas classes, interfaces e métodos informando para elas com qual tipo irão trabalhar somente no momento do uso das mesmas.

Podemos retirar um belo exemplo (Listagem 1) disso utilizando um tipo do próprio Delphi, o TList da unit System.Generics.Collections. Antes do TList genérico no Delphi, precisávamos trabalhar com o TObjectList e normalmente necessitávamos realizar type casting (ver Nota do DevMan 2) para converter os objetos que eram recuperados do TObjectList, visto que ele trabalhava com instâncias de TObject. Agora com o TList genérico, no momento em que declaramos uma variável deste tipo informamos com qual tipo o TList irá trabalhar, dessa forma, todos os métodos de TList trabalharão com este tipo, inclusive os retornos dos métodos que usamos para recuperar elementos da lista, já retornarão o objeto no tipo correto.

Listagem 1. Exemplo de lista genérica

procedure TFrmPrincipal.Teste;
    var MinhaLista:TList<String>;
        itemLista:String;
  begin
    MinhaLista :=TList<String>.Create();
    MinhaLista.Add('Texto 1');
    MinhaLista.Add('Texto 2');
    MinhaLista.Add('Texto 3');
    MinhaLista.Add('Texto 4');
    itemLista := MinhaLista[0];
  end;

No exemplo da "

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?