Gerenciamento automático de metadados - Revista Clube Delphi Magazine 148

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (10)  (0)

Neste artigo abordamos a automatização de um processo que custa um tempo precioso durante a atualização de um sistema em um cliente. Veremos um pequeno framework que mantém os scripts a serem aplicados e verifica qual versão necessita ser instalada.

Artigo do tipo Tutorial
Recursos especiais neste artigo:
Contém nota Quickupdate, Conteúdo sobre boas práticas, Conteúdo no estilo mentoring.
Cenário
Neste artigo abordamos a automatização de um processo que pode custar tempo precioso durante a atualização de um sistema em um cliente. A atualização da estrutura de banco de dados. Esse processo começa a “incomodar” quando se tem muitos clientes, fazendo com que a atualização de uma versão leve mais tempo do que o esperado.

Esse cenário é principalmente visto onde se tem uma equipe de suporte, sem muito conhecimento técnico, e é preciso realizar uma atualização de versão do seu sistema que implica na atualização da estrutura da base de dados do cliente. Isso pode causar certa dificuldade e demora para a equipe de suporte, impactando no tempo utilizado para realizar a mudança de versão. A solução é simples, um pequeno framework que mantém os scripts a serem aplicados, verifica qual versão necessita ser instalada, a instala e efetua um feedback através de eventos.


Em que situação o tema é útil
Quando se deseja atualizar de forma automática a estrutura de uma base de dados, sem intervenção humana, para ganho de tempo com o processo.

Em desenvolvimento de software, o crescimento de uma empresa se dá no aumento de usuários de seus sistemas. Muitas vezes acontece algum evento que estimula um crescimento acima do esperado, muitas vezes fazendo com que sua carteira de clientes dobre em questão de meses. Isso afeta toda a empresa, pois mais trabalho é requerido, de todos os departamentos. É nesse momento que a empresa deve se manter sólida e manter sua qualidade.

O termo qualidade na área de software é bem abrangente, envolve desde entrega no prazo, custos dentro do orçamento e claro, a satisfação do cliente. Com um crescimento repentino, ações que muitas vezes eram tomadas para cinco ou dez clientes, não são mais praticáveis, pois agora pode se ter cinquenta ou cem clientes.

Um exemplo é a atualização de versão de sistema no que tange a atualização de estrutura de banco de dados. Quando se tem poucos clientes, é muito fácil realizar um acesso remoto, realizar uma comparação de banco de dados (produção vs. desenvolvimento) e atualizar manualmente essa estrutura (utilizando softwares de comparação de base de dados). Mas, quando o volume de clientes cresce, o tempo gasto nessas operações é precioso, se antes, com dez clientes despendíamos 10 minutos em cada atualização, teríamos um montante de 1h e 40min em um processo geral de atualização. Mas, com 100 clientes temos outra realidade: mais de 16h nesse mesmo processo. Mas, qual a relação disso com qualidade? A satisfação de seus clientes. Antes, eles estavam acostumados a no máximo, esperar cerca de 1h, agora, quase dois dias. É preciso criar então ações para garantir a qualidade de seu software.

Automação de atualização de estrutura

Vamos apresentar neste artigo um pequeno framework que irá gerenciar as alterações de estrutura de uma base de dados e irá atualizar de forma automática essa estrutura. Esses são os requisitos básicos, mas temos outros importantes como: funcionar tanto para IBX quanto para dbExpress, poder ser utilizado por projetos a partir do Delphi 7, deve manter um histórico de toda alteração que o banco de dados sofreu e deve permitir a execução de blocos SQL sob um controle transacional, ou seja, se algum comando SQL não puder ser executado, toda a atualização de estrutura é desfeita. Esse acontecimento deve ser notificado. Outro requisito importante é sobre sua reutilização. Ele não terá dependência com projeto algum e sua integração com projetos existentes será bem simples.

Projeto teste

Para conter o projeto foi criada uma pasta AtualizadorBanco, nela foi criado um banco de dados Firebird 1.5 de nome TESTE. Então no Delphi criamos um novo projeto VCL e o salvamos como ProjetoTeste. Não mudamos o nome do formulário principal porque isso não influencia nos testes e nele, inserimos controles que podem ser vistos na Figura 1. O único controle que teve seu nome alterado foi o TMemo, para memoEventos.

Nota: Para controles visuais que são acessados via código, é uma boa prática alterar sua propriedade Name para algo significativo, relacionado ao contexto de seu uso.

abrir imagem em nova janela

Figura 1. Aplicativo de teste

A ideia geral de funcionamento é conectar no banco de testes, seja via dbExpress ou via IBX e ao clicar em Atualizar, observar a resposta do que é feito no TMemo.

Classes de apoio

O que justifica uma atualização de aplicação em um cliente é a disponibilidade de uma nova versão. Assim, esse conceito foi abstraído em uma classe, chamada TVersao. Adicionamos ao projeto uma unit de nome devmedia.Atualizador.pas para conter essa classe que pode ser vista na Listagem 1.

Listagem 1. Classe TVersao

  TVersao = class(TPersistent)
    private
      ..
    public
      constructor Create;
      destructor Destroy;
      property Id: Integer read FId write SetId;
      property Numero: string read FNumero write SetNumero;
      property Data: TDateTime read FData write SetData;
      property Script: TStringList read FScript write SetScript;
      property Detalhes: string read FDetalhes write SetDetalhes;
      property ExigeApenasUmUsuario: boolean read FExigeApenasUmUsuario 
      write SetExigeApenasUmUsuario default false;
    end;
   

TVersao representa uma versão do banco de dados, contendo um Id numérico que indica a ordem sequencial da evolução de estrutura, uma propriedade Numero, do tipo string, utilizada para relacionar a alteração de estrutura com uma versão de sistema. Isso pode ser utilizado para responder questões como, quais versões do sistema causaram uma alteração no banco de dados? Temos também uma propriedade Data do tipo TDateTime, para conter a data dessa versão, Detalhes, do tipo string para conter uma descrição do que será alterado. Nessa classe também estará contido o script SQL que aplica as mudanças no banco de dados, na propriedade Script do tipo TStringList. Por fim, temos a propriedade ExigeApenasUmUsuario, um boolean que indica a necessidade de se ter apenas um usuário conectado para se aplicar a atualização de versão. O construtor e destrutor respectivamente apenas instanciam e liberam da memória o objeto TStringList utilizado pela propriedade Script.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?