Gerenciamento de qualidade com PMBOK

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (1)

O artigo apresenta as diversas tarefas necessárias para a boa gerência de qualidade com PMBOK e como isso pode ser feito em projetos que envolvam a tecnologia da informação.

Artigo do tipo Teórico
Recursos especiais neste artigo:
Conteúdo sobre Boas Práticas

Porque esse artigo é útil
O PMBOK define um conjunto de boas práticas relacionadas às diferentes áreas da gestão de um projeto. Uma dessas áreas é a gestão da qualidade. Neste contexto, este artigo trata de uma das grandes áreas de conhecimento em gerenciamento de projetos, a qualidade. Para isso, o artigo apresenta as diversas tarefas necessárias para a boa gerência da mesma, exemplificando como isso pode ser feito em projetos que envolvem a tecnologia da informação.

O tema discutido é útil para os profissionais interessados em entender como deve ser realizada a gerência de qualidade em projetos de software de acordo com o PMBOK.

O PMBOK é um guia internacional do conhecimento em gerenciamento de projetos, formulado pelo PMI (Project Management Institute), reconhecido por profissionais de diversas áreas como uma padronização que descreve métodos, processos e práticas para gerenciar projetos que pode ser aplicada na maioria dos projetos. Define-se nele um projeto como sendo um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Este artigo trata de uma das grandes áreas de conhecimento em gerenciamento de projetos, a qualidade. Traz as diversas tarefas necessárias para a boa gerência da mesma, exemplificando como isso pode ser feito em projetos que envolvem a Tecnologia da Informação (TI). Sejam eles de desenvolvimento de software, de implantação de infraestruturas, de desenvolvimento tecnológico ou científico, de implantação de um novo procedimento ou negócio, enfim de qualquer projeto ligado à área da computação.

Ressaltamos que estamos tratando, por exemplo, do projeto para o desenvolvimento de um sistema e não do desenvolvimento do sistema em si. O projeto engloba muito mais que as tarefas de analisar, projetar, codificar e testar o sistema, para isso existe outras metodologias e processos de gerenciamento. Tratamos aqui de tarefas que englobam desde a ideia de construção de um sistema até tarefas como o treinamento dos usuários do sistema, incluindo nelas também as tarefas de desenvolvimento do software.

Gerenciar é um processo que engloba diversas atividades: iniciar (definir envolvidos, objetivos e propósitos, etc.), planejar (determinações de como será realizada a atividade), executar (realizar o que se faz necessário, aquilo que foi planejado), monitorar e controlar (verificar, tomar decisões frente a situações inesperadas, etc.) e encerrar (finalizar atividades, construir feedbacks, etc.). Iniciamos, na próxima seção, com a diversidade dos conceitos acerca da qualidade de projetos.

Aspectos de qualidade

A qualidade em projetos pode ser vista sobre duas vertentes: a qualidade do produto e a qualidade do processo. Esses dois aspectos do gerenciamento da qualidade são complementares, pois dada a qualidade encontrada em um produto, é muito importante considerar que o processo de produção daquele produto é uma boa fonte de partida para a produção de novos produtos semelhantes a esse. Por outro lado, se existe um processo de produção o qual possui qualidade, presume-se que o que está sendo produzido tem grandes chances de também ter qualidade. Quando a qualidade no processo é atendida, ela pode facilitar, em muito, a qualidade final do produto.

O PMBOK traz ainda alguns conceitos muito importantes para a formação, garantia e melhoria contínua da qualidade, que vêm sendo estabelecidos há décadas. Alguns deles são:

· O processo de qualidade independe das pessoas: Regra 85/15 (responsabilidade do gerente do projeto – 85%, responsabilidade de outros – 15%);

· Ciclo PDCA (planejar, fazer, verificar e agir);

· Trilogia da qualidade (planejar, controlar e melhorar a qualidade): a melhoria contínua referente ao produto ou ao processo deve ser analisada a todo o momento e não ser um evento isolado;

· Qualidade é grátis: vem da conformidade com os requisitos, deve vir da prevenção e não deve variar de acordo com a variação do escopo;

· Experimentação como medida de qualidade: produto à prova de erros;

· Just in time: ajuda a não mascarar problemas no processo que são recorrentes;

· Qualidade total: a qualidade deve estar presente nas áreas produtivas ou não da empresa;

· Gold Plating: não entregar funcionalidades a mais, somente o que foi combinado.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?