Guia Gestão de Projeto

Gestão de equipes ágeis

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (4)  (0)

Este artigo expõe algumas maneiras para que gestores potencializem a produtividade de suas equipes ágeis através de motivação adequada, alinhamento de objetivos e valorização individual.

Artigo do tipo Tutorial
Recursos especiais neste artigo:
Contém nota Quickupdate, Conteúdo sobre solução completa.
Gestão de equipes ágeis
Este artigo expõe uma visão atual sobre o mercado de desenvolvimento de software e algumas maneiras para que gestores potencializem a produtividade de suas equipes ágeis através de motivação adequada, alinhamento de objetivos e valorização individual e coletiva.

Em que situação o tema é útil
No amplo contexto de desenvolvimento de software onde metodologias ágeis são fortemente empregadas, as equipes multidisciplinares e auto gerenciadas podem ser potencializadas para realizarem seu trabalho com maior produtividade e qualidade, agregando maior valor em seu produto de trabalho.

A realidade atual da indústria de Engenharia de Software tem levado as empresas, equipes e profissionais de desenvolvimento de sistemas à adoção de diferentes modelos e técnicas na busca por uma melhor produtividade voltada para a qualidade esperada de seus produtos de trabalho.

Neste sentido pode-se verificar o grande número de alternativas possíveis para se empregar a metodologia de produção de software mais adequada para cada situação. Mesmo o tradicional modelo Cascata, conhecido por sua rigidez, ainda tem sido aplicado de forma eficiente em projetos onde o escopo pode e deve ser definido detalhadamente antes da construção e liberação do software, como por exemplo, em sistemas embarcados. Isso não significa que o produto não poderá ser corrigido ou incrementado com outras funcionalidades no futuro, mas apenas que seus requisitos fundamentais estejam prontos para que o conjunto hardware/software possa ser lançado com o mínimo de operações necessárias para sua utilização.

Por outro lado existem as metodologias ágeis, uma forte tendência que vem se consolidando e sendo empregada atualmente na maioria do mercado de desenvolvimento de software onde normalmente os requisitos mudam constantemente durante o desenvolvimento do sistema. Mais do que um simples modismo normalmente passageiro, a tendência é um conceito mais duradouro e previsível que permite a sua ramificação por diferentes movimentos semelhantes (NAISBITT, 2007). A aderência dos modelos ágeis com o desenvolvimento de software pode ocorrer por diferentes motivos, seja para acompanhar o amadurecimento ou esclarecimento das reais necessidades de negócio pelo cliente, pela obrigação em estar de acordo com a legislação vigente, pela atualização da tecnologia para acompanhar as evoluções no comportamento dos consumidores, seja para se posicionar de forma mais marcante no concorrido mercado de soluções de software.

Para aqueles que já têm experiência no contexto ágil de desenvolvimento, fica mais evidente a eficácia destas metodologias com a Engenharia de Software, principalmente por ter o cliente próximo da equipe técnica, realizar entregas frequentes de produtos funcionais e pela possibilidade em responder às constantes mudanças que ocorrem durante o projeto.

Alinhados com métodos mais populares para gestão de projetos e desenvolvimento ágil, tais como Scrum e XP, existem diversas outras técnicas que, utilizadas em conjunto, tornam ainda mais eficientes a utilização das metodologias ágeis, como por exemplo, o Kanban para acompanhamento na evolução de atividades, e o Planning Game, para estimativa de esforço ou complexidade das tarefas. Fica claro que o universo de métodos e técnicas que aplicam os valores ágeis não termina por aqui. Existem muitas outras formas de trabalhos alinhados ao Scrum/XP que podem ser utilizadas de forma individual ou coletiva, auxiliando e muito o desenvolvimento de sistemas, desde a documentação até a implantação do produto final.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?