Gestão de Projetos segundo o PMBOK - Artigo Engenharia de Software 23

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (1)

Este artigo tem por objetivo apresentar a necessidade de pensar em cada iniciativa organizacional como um projeto e salientar os benefícios de sua efetiva gestão.

Esse artigo faz parte da revista Engenharia de Software 23 edição especial. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição



Planejamento e Gerência

Gestão de Projetos segundo o PMBOK

Uma Visão Geral

 

 

De que trata o artigo:

Este artigo tem por objetivo apresentar a necessidade de pensar em cada iniciativa organizacional como um projeto e salientar os benefícios de sua efetiva gestão. Também será discorrido sobre algumas definições de gestão de projetos, providas por profissionais de renome. Por fim, é apresentada uma visão geral do PMBOK (Project Management Body of Knowledge), abordando as nove áreas do conhecimento, os cinco grupos de processo e seus quarenta e quatro processos.

 

Para que serve:

Uma gestão de projetos utilizando o PMBOK (Project Management Body of Knowledge) do PMI (Project Management Institute) prevê um arcabouço para efetivo controle dos diversos aspectos dinâmicos de um projeto, tornando resultados mais previsíveis e agregando valor à organização.

 

Em que situação o tema útil:

As organizações que desejam sobreviver no mercado precisam inovar, criar novos produtos, lançar campanhas de marketing inteligentes, construir fábricas mais modernas, atualizar processos internos, relacionar-se melhor com seus clientes. Mas, para fazer tudo isso, precisam de projetos. São eles que viabilizam as mudanças e projetos mal geridos são um convite ao fracasso.

 

 

Atualmente, mudanças em diversos aspectos da vida humana (culturais, tecnológicos, políticos, econômicos, sociais, etc.) estão ocorrendo em velocidade cada vez maior. De uma maneira geral, é comum associarmos as mudanças significativas ao resultado de projetos (Vieira, 2002). Como consequência, gerenciar projetos de forma eficiente em um contexto de constantes mudanças é um dos grandes desafios do executivo dos tempos modernos (Kerzner, 2001). Superar este desafio é estar preparado para gerenciar projetos de forma planejada e profissional.

Assim, o gerenciamento de projetos é citado por alguns autores como uma profissão relativamente nova e emergente. Isto se deve ao fato de várias organizações, públicas e privadas, instituições de pesquisa e ensino, entre outras, estarem buscando cada vez mais estudar, conhecer, difundir, capacitar, implementar e evoluir o conhecimento, as metodologias, as práticas e as ferramentas empregadas nesta área (Neto, Bocoli 2003; Martins, 2003; PMI 2004; Sandeep, 2002).

As organizações, para colherem os benefícios esperados, devem ter a conscientização em adotar o gerenciamento de projetos não somente como uma profissão, mas como uma metodologia na qual os seus gerentes devam ser devidamente treinados, de forma a agregar valor às experiências individuais de cada um deles. O gerenciamento de projetos deve ser feito de forma profissional e conduzido por pessoal qualificado. Desta forma, a cultura de projetos nas organizações deve ser criada, a sua implantação deve ser realizada de forma sistemática e os seus princípios colocados em prática da maneira mais adequada.

Niskier e Blois (2003) citam ainda que o profissional de hoje, para ter sucesso no trabalho, precisa estar apto para reciclar e acrescentar conceitos, posturas e atitudes. Eles ressaltam que a educação continuada vem obtendo destaque, como indicativo de que o aprendizado precisa ser um processo de caráter dinâmico e permanente na vida dos profissionais de qualquer setor produtivo.

Os gerentes de projetos devem ser profissionais preparados para poder praticar e desempenhar bem o seu papel trazendo os benefícios que as organizações desejam. Segundo Prado (Prado, 2000), a boa prática de gerenciamento de projetos produz resultados expressivos para as organizações como: (1) redução no custo e prazo de desenvolvimento de novos produtos; (2) aumento no tempo de vida dos novos produtos; (3) aumento de vendas e receita; (4) aumento do número de clientes e de sua satisfação; e (5) aumento da chance de sucesso nos projetos."

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?