Guia de Linguagem

Requisitos, Modelagem e UML


Neste guia você encontrará o conteúdo que precisa para saber como elicitar requisitos, gerenciá-los e modelar o software com as principais técnicas do mercado. Abaixo, confira os posts que te auxiliarão ao longo desse aprendizado.

Engenharia de Requisitos

Atividade fundamental no desenvolvimento de software, a Engenharia de Requisitos é a etapa na qual são elicitadas/identificadas as funcionalidades a serem implementadas, assim como as condições a serem atendidas pela aplicação. A partir deste tópico você aprenderá como coletar, especificar, detalhar e rastrear requisitos.

Elicitação e gerência de requisitos

Como você já deve ter notado, a elicitação de requisitos é a fase na qual identificamos os requisitos do software e avaliamos como eles devem ser desenvolvidos. No entanto, não basta identificar. Também é importante que os requisitos sejam gerenciados. Para que você possa ter o primeiro contato com a elicitação de requisitos, e aprenda como fazer isso como gerenciá-los, confira os posts abaixo:

Ferramentas para a gestão de requisitos

Para uma boa gestão dos requisitos, o mais indicado, obviamente, é o uso de uma boa ferramenta. Sem ela, torna-se inviável o controle daquilo que representa a base para qualquer projeto de software. Para conhecer algumas das opções mais utilizadas no mercado, acesse:

Boas práticas com Requisitos

Uma boa maneira de encurtar o caminho no aprendizado de qualquer ciência é conhecer boas práticas. Nesta seção, separamos alguns posts que abordam práticas e soluções recorrentes que podem lhe ajudar quando você estiver na fase de elicitação de requisitos. Confira:

Requisitos e os Métodos Ágeis

Independentemente de você adotar algum processo tradicional de desenvolvimento de software ou adotar alguma metodologia ágil, a engenharia de requisitos estará. Mas, existem diferenças na execução dessa fase quando estamos em um projeto ágil? Para obter essa resposta, indicamos as publicações a seguir.

Engenharia de Requisitos e o MPS.BR

E no que diz respeito ao MPS.BR? O que dita esse modelo que visa a melhoria de processos para o desenvolvimento no Brasil no que tange a Engenharia de Requisitos? Para abordar esse assunto, recomendamos os posts:

Engenharia de Requisitos na prática

Agora que você já conhece os principais fundamentos sobre a Engenharia de Requisitos e até mesmo se aprofundou no assunto, que tal pôr em prática todo esse conhecimento? Nos posts a seguir abordamos como documentar e detalhar os requisitos de software.

Tópicos especiais sobre Requisitos

Como visto, a Engenharia de Requisitos é uma ciência ampla e que não para de evoluir. O avanço nessa área nos ajuda a identificar requisitos com mais precisão e, com isso, planejar software com maior grau de precisão para atender ao que realmente o cliente deseja.

Nos posts a seguir reunimos mais alguns tópicos que podem lhe ajudar a identificar com mais facilidade o que realmente é desejado para o sistema a ser desenvolvido.

Modelagem de Software

Tão importante quanto definir os requisitos e a arquitetura do software é estruturar essas informações de forma que arquitetos e programadores possam compreendê-las. Para intermediar esse processo utilizamos hoje diferentes opções de modelagem.

É sobre esse que trataremos a partir de agora. Assim, você terá uma introdução às técnicas mais utilizadas, com destaque para a Modelagem de Software com UML.

Com o intuito de introduzi-lo à modelagem de software, confira os posts abaixo:

Modelagem de Software com UML

A UML é a linguagem mais utilizada quando o assunto é modelagem de software. Definida de forma simples como um conjunto de diagramas que representam elementos, características e comportamentos de um software, essa opção traduz para o programador como ele deve transformar os requisitos do software em código, ao mesmo tempo em que respeita a arquitetura proposta.

Aprenda, agora, como ler e escrever diagramas UML, um recurso indispensável a todo profissional da área de desenvolvimento.

Diagrama de Casos de Uso

Utilizado para representar os requisitos funcionais de um software, o diagrama de casos de uso é um importante elemento para a documentação do projeto, comunicação interna do time de desenvolvimento e, mesmo, comunicação com o cliente. Por isso, é um ponto fundamental a todo engenheiro, arquiteto, programador, entre outras ocupações que atuam em um projeto, compreender e saber criar diagramas de casos de uso.

Para começar a aprender sobre eles, acesse:

Casos de Uso na prática

Para saber como criar diagramas de casos de uso, confira os posts abaixo. Neles você poderá identificar uma relação direta entre a especificação de requisitos e o assunto tratado neste tópico. Ao utilizar diagramas de casos de uso estamos representando, de forma visual, requisitos funcionais do software a ser desenvolvido.

Diagramas de classes e de sequência

A UML não se limita ao diagrama de Casos de Uso. O diagrama de classes e o diagrama de sequência são mais duas opções. Dessa vez com um nível mais baixo de abstração, com esses diagramas representamos não mais funcionalidades, mas artefatos diretamente relacionados ao código do projeto em desenvolvimento.

Com os posts abaixo você aprenderá como criar e interpretar esses dois diagramas:

UML na prática

A seguir reunimos mais alguns posts que abordam a linguagem de modelagem unificada na prática:

Tópicos especiais sobre UML

Para se aprofundar em mais alguns assuntos nos quais podemos fazer uso de UML, acesse as seguintes publicações. Entre elas você aprenderá, por exemplo, como lidar com a UML quando utiliza o framework ágil Scrum.

Modelagem Ágil

Além da modelagem tradicional, com o advento dos projetos ágeis também foi criada a Modelagem Ágil. Se você está interessado em como ela funciona, seus princípios, valores, entre outros aspectos a ela relacionados, acesse os posts:

Modelagem de Serviços

E a modelagem de serviços? A UML oferece alguma ferramenta para nos apoiar nesse momento? Como você poderá notar nas publicações abaixo a UML também pode nos dar suporte à modelagem de projetos SOA.

Modelagem Orientada a Agentes

Também podemos utilizar técnicas de modelagem para modelar softwares orientados a agentes. Para aprender sobre a Engenharia de Software Orientada a Agentes e como se dá a modelagem de software que adotam essa proposta, confira os posts:

Mais sobre Engenharia de Software

Além dos vídeos e artigos contidos nesse guia, a DevMedia publica com frequência novos conteúdos sobre engenharia de software, os quais você encontra nos Guias de Consulta abaixo:

Você também pode listar todo o conteúdo de Engenharia de Software clicando aqui.

Ficou com alguma dúvida?