Java JRE: Introdução

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (2)  (0)

Veja nesse artigo a relação do Java runtime environment (JRE) e também ao seu principal componente, a Java Virtual Machine (JVM). Apresentando a sua importância para a plataforma Java.

Um pouco de história

Como bem sabemos, Java é uma linguagem de programação e também uma plataforma da computação lançada pela Sun Microsystems em 1995. Ela é a tecnologia que capacita muitos dos programas de alta qualidade no mercado atualmente como, por exemplo, jogos, utilitários e aplicativos corporativos em geral, dentre muitos outros. O Java hoje é executado em mais de 800 milhões de computadores pessoais além de também ser utilizado em bilhões de dispositivos de diversos tipos em todo o mundo, incluindo nessas estatísticas, celulares e dispositivas para televisores.

Qual a necessidade do Java?

Há muitos aplicativos e sites que funcionam com o Java instalado na máquina, e muitos outros aplicativos e sites são desenvolvidos e disponibilizados com o suporte dessa tecnologia todos os dias. Algumas das suas vantagens são que ele é rápido, seguro e também confiável. Esta tecnologia está aonde menos possamos imaginar! Ela pode ser encontrada, por exemplo, em laptops, consoles de jogo, supercomputadores científicos, telefones celulares, web, etc.

Existe uma necessidade constante de se manter sempre a versão mais recente do Java, pois ela sempre apresenta melhorias e importantes aprimoramentos que melhoram o desempenho, a estabilidade e a segurança dos aplicativos Java executados no computador. A instalação dessas atualizações irá assegurar que seus aplicativos continuem sendo executados com segurança e eficiência.

JRE (Java Runtime Environment)?

O JRE consiste no Java Virtual Machine (JVM), nas classes centrais e bibliotecas de suporte da plataforma Java. Ele representa a parte responsável pelo tempo de execução do software Java, que é tudo de que você precisa para executá-lo em um navegador da Web.

O que é um Java Plug-in?

O Java Plug-in nada mais é do que um componente do Java Runtime Environment (JRE). O JRE permite que os “mini-aplicativos”, ou applets, escritos na linguagem de programação Java sejam executados em diversos navegadores. O Java Plug-in não é um programa independente e menos ainda pode ser instalado separadamente.

O JRE permite dentre outras coisas, executar aplicativos chamados de "Applets". Esses "Applets" permitem interações com pessoas no mundo inteiro, cálculos de juros relacionados a uma compra, jogos online e visualização de imagens em 3D. Além disso, hoje em dia as empresas utilizam muito os applets para aplicativos de Intranet e soluções de e-business.

O JRE é muito utilizado por usuários finais, na realidade, é o mais indicado para eles. Já que para nós desenvolvedores o essencial é o JDK.

O download do JRE pode ser realizado através do link: http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/index.html

Para fazer o download é necessário realizar um cadastro no site para ter acesso ao material disponível. Após a realização do download, basta executar o arquivo e seguir o passo a passo da instalação sem a necessidade de mudanças nas configurações.

O que é uma JVM (Java Virtual Machine)?

A Java Virtual Machine (JVM), como foi dito anteriormente, faz parte do pacote base tanto do JDK (Java Development Kit) quanto do JRE (Java Runtime Environment). Hoje ela se encontra na sua versão mais estável da JRE.

A JVM constitui um dos mais importantes pilares para a plataforma Java. Ela é diretamente responsável pelas características de portabilidade dos códigos, o que quer dizer que ela mantém a independência entre as plataformas da linguagem.

Para um entendimento básico com relação ao seu potencial, digamos que iremos executar um código Java utilizando o javac (compilador primário da Java) ou qualquer outro compilador possível, será gerado um arquivo de bytecodes (arquivos de extensão “.class”). Estes arquivos que foram gerados são utilizados por um interpretador que é quem realmente executa o programa. Desta forma, cada computador que tem o seu próprio sistema será capaz de ler os bytecodes e transformá-los em linguagem de máquina.

O que a JVM é na verdade é uma camada intermediária entre os bytecodes e a máquina. O que estamos dizendo aqui é que os compiladores irão gerar códigos para serem “lidos” por interpretadores e que estes irão gerar os códigos que serão lidos pela máquina.

Percebemos então que a JVM é uma peça extremamente importante que nos fornece a capacidade de multiplataforma para aplicações Java. Daí o entendimento da frase: “Write once, run everywhere” - “Escreva uma vez, execute em qualquer lugar”. Isso é um verdadeiro exemplo de abstração que viabiliza e muito a implementação da JVM em diversas plataformas de hardware e sistemas operacionais.

A JVM pode ser desenvolvida por qualquer organização, dentre comunidades a empresas em geral, desde que sigam corretamente as especificações referentes a Java Virtual Machine.

O que é um bytecode?

Como foi dito anteriormente, para a plataforma Java, o mais importante é a portabilidade que ela oferece. Ela é atingida a partir da utilização dos bytecodes, que por sua vez é um formato de código intermediário entre o código fonte que é o “texto” que o programador consegue manipular, e o código de máquina, que é o que o computador consegue executar.

Por quê gerar bytecodes?

Alguns dos aspectos que são conseguidos a partir da geração dos bytecodes é que no momento da compilação, são feitas otimizações, o que torna o código que está sendo gerado mais eficiente. Além disso, a interpretação do código Java em si, exigiria uma maior complexidade do interpretador, o que acarretaria numa menor velocidade de sua interpretação. Além da portabilidade que facilita a execução do código em diferentes plataformas.

Outro fator é com relação a simplificação do código, como por exemplo, os tipos Short, char e boolean, se tornam inteiros. Os laços também passam pelo processo de simplificação, sendo executados de igualmente, apenas se comportando de maneiras diferentes.

Espero que tenham sido úteis as informações passadas relacionadas ao Java Runtime Environment (JRE).

Até a próxima!

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?