JSON – Serializando Objetos - Revista Clube Delphi Magazine 148

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (6)  (0)

Neste artigo veremos como utilizar o formato JSON para troca de dados entre camadas em Delphi. Usaremos Generics, recurso que permite flexibilizar e dar segurança ao código através da tipagem de métodos e listas.

Artigo do tipo Tutorial
Recursos especiais neste artigo:
Contém nota Quickupdate, Conteúdo sobre boas práticas.
JSON – Serializando Objetos
Neste artigo veremos como utilizar o formato JSON para troca de dados entre camadas em Delphi. Usaremos Generics, recurso que permite flexibilizar e dar segurança ao código através da tipagem de métodos e listas. Aprenderemos a usar as classes que o dbExpress 4 nos oferece e que facilitam muito o desenvolvimento orientado a objetos. Aplicaremos o padrão DAO para centralizar o acesso a dados em classes separadas das classes de domínio. Através do Datasnap vamos criar um Servidor de Aplicações e disponibilizar métodos para as aplicações clientes. Aplicaremos alguns padrões de projeto que irão tornar o projeto ainda melhor, como Singleton e Factory. Aprenderemos o conceito de Injeção de Dependência que irá tornar nossas classes ainda mais desacopladas. No final teremos uma aplicação cliente feita com o Firemonkey que irá fazer uso do servidor de aplicação.


Em que situação o tema é útil
Quando temos uma aplicação multicamadas, transferimos informações entre uma aplicação servidora e uma cliente, o JSON é útil justamente para otimizar essa transferência, diminuindo o tamanho das informações que são enviadas/recebidas. Quanto à arquitetura e recursos utilizados (generics e padrões de projeto)m são úteis quando queremos flexibilidade, centralização das regras de negócio e independência de linguagem das aplicações clientes.

Muitos desenvolvedores têm dúvidas quanto à utilização da orientação a objetos em Delphi. Apesar de a linguagem ter suporte a este paradigma, são poucos os desenvolvedores que o aplicam corretamente em suas aplicações. Isso acontece muito pelo Delphi ser uma ferramenta RAD, o que faz com que uma aplicação multicamadas possa ser desenvolvida muito rapidamente apenas ligando os componentes SQLDataSet, DataSetProvider e ClientDataSet.

Porém, ao utilizar o Delphi somente desta maneira não utilizamos o máximo de reaproveitamento de código para projetos futuros e são deixados de fora excelentes recursos que a Linguagem e IDE vem adicionando. O Delphi evoluiu muito e trouxe para os desenvolvedores vários novos recursos que permitem a aplicação da orientação a objetos da melhor forma, como JSON, Generics, DBX4, Datasnap, RTTI, Anonymous Methods e muitos outros. Vamos abordar alguns desses recursos.

Generics

Generics é um recurso que foi incorporado na versão 2009 do Delphi. Como o nome diz, este recurso permite que sejam criadas estruturas genéricas. Na orientação a objetos podemos definir o tipo de retorno de uma lista de objetos e somente serão permitidas inserções de objetos daquele tipo, do contrário ocorrerá um erro ainda em tempo de compilação, assim, evitando erros em tempo de execução do tipo Invalid Type Casting, muito comum para quem trabalhava com listas de objetos em versões anteriores a 2009 em Delphi.

Representação de objetos em JSON

JSON (JavaScript Object Notation) é um formato leve para troca de dados. É simples de se entender e fácil para as máquinas manipularem. Devido a esta simplicidade, tem se tornado uma boa alternativa ao uso de XML que possui tags diversas e regras mais complexas. O JSON tem um formato texto e é completamente independente de linguagem de programação, tornando-se ideal para trocas de dados entre as mais diversas plataformas e linguagens.

Um objeto em JSON é constituído de um conjunto de pares nome/valor. Todo objeto começa com { (abertura de chave) e termina com } (fechadura de chave). Cada nome é seguido por : (dois pontos) e os pares nome/valor são seguidos por , (vírgula), como mostra a Figura 1.

Figura 1. Representação de um objeto JSON

Podemos representar também um Array de Objetos em JSON. Ele começa com [ (abertura de colchete) e termina com ] (fechadura de colchete). Os objetos são separados por vírgula (Figura 2).

Figura 2. Representação de um array de objetos JSON

dbExpress 4

O dbExpress, que surgiu na versão 6 do Delphi, passou por uma grande mudança na versão 4 lançada no Delphi 2007. Foi reescrito totalmente em Delphi, sendo 100% orientado a objetos e possui diversas classes que ajudam muito os desenvolvedores que utilizam este paradigma. As principais são, a classe TDBXConnection que tem a função de gerenciar a conexão com o Banco de Dados. Ela também oferece métodos para a criação de comandos, transações e metadados. Já a classe TDBXCommand é responsável por executar comandos SQL e StoredProcedures. Os parâmetros podem ser acessados através da propriedade Parameters. Outros tipos de comandos podem ser executados pela classe, estes estão disponíveis através da propriedade TDBXCommand.CommandType. A classe TDBXTransaction é responsável por gerenciar as transações. Um transação pode ser criada usando o método BeginTransaction da classe TDBXConnection. Alguns outros métodos disponíveis são CommitFreeAndNil, RollbackAndFreeAndNil. Podemos definir também um nível de isolamento das transações através da classe TDBXIsolation. Outra é a TDBXReader que oferece um leitor unidirecional para um conjunto de dados. Quem provê estes dados é a classe TDBXCommand através do método TDBXCommand.ExecuteQuery. As linhas podem ser percorridas através do método TDBXReader.Next e os dados coletados através da propriedade TDBXReader.Value, sendo pelo nome ou pela posição do campo na matriz de valores.

Datasnap

O Datasnap vem trazendo várias novidades nas últimas versões do Delphi e em 2009 passou por uma reestruturação. Servidores Datasnap podem ser desenvolvidos tanto em Delphi quanto C++ Builder, porém a grande vantagem está na aplicação cliente, que pode ser desenvolvida em qualquer linguagem de programação que tenha suporte a JSON. A "

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?