Manipulando planilhas do Excel

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (6)  (0)

O tema abordado neste artigo é útil quando se tem, ou deseja-se criar aplicações que necessitem ler e tratar dados contidos em planilhas do Excel, seja para serem exibidos e manipulados na aplicação, gravados em um banco de dados.

Artigo do tipo Tutorial

Autores: Jean Francisco Grützmann e Everton Coimbra de Araújo
Porque esse artigo é útil
O tema abordado neste artigo é útil quando se tem, ou deseja-se criar aplicações que necessitem ler e tratar dados contidos em planilhas do Excel, seja para serem exibidos e manipulados na aplicação, gravados em um banco de dados ou para qualquer outro fim adequado. Aplica-se também quando se deseja exportar os valores retirados de um banco de dados ou de alguma outra fonte para planilhas do Excel.

O artigo aborda a interoperabilidade do Excel com aplicações .NET, abordando os recursos que o framework oferece para auxiliar na realização dessas tarefas. Para este artigo será desenvolvida uma aplicação Windows Forms, apresentando algumas características da integração, como importação de dados, exportação e formatação de células. Também será mostrado como realizar as operações de CRUD nas planilhas do Excel utilizando o OLE DB.

Planilhas do Excel representam um meio para armazenamento de informações muito comum, sendo utilizadas amplamente por gestores, pesquisadores e profissionais de diversas outras áreas. Dessa maneira, cabe aos desenvolvedores utilizarem os recursos que a plataforma .NET oferece para exportar, importar e manipular dados para e de planilhas do Excel e oferecerem a integração e manipulação desses arquivos em suas aplicações. Sabendo explorar estes recursos de interoperabilidade, pode-se acessar os dados de uma planilha e apresentá-los para o usuário em um componente de exibição de dados, como DataGridView. Da mesma maneira, podem-se gravar os dados digitados em um formulário de cadastro, ou exportar os dados contidos no banco de dados para planilhas do Excel. Com os dados no Excel tem-se a vantagem de utilizar os recursos de cálculos, gerar gráficos e exportá-los para outros formatos.

O Office é muito utilizado em todo o mundo, principalmente como aplicativo de escritório, através da suíte básica (Word, Excel, Access, Outlook e Power Point), que permite criar documentos, planilhas, apresentações de slides, etc. A facilidade e simplicidade de seu uso o tornaram um grande sucesso. Quando a plataforma .NET surgiu, muitas especulações foram levantadas quanto ao sucesso da plataforma, mas com seu amadurecimento foi possível perceber as grandes vantagens que o seu uso oferece. O framework .NET torna possível integrar os seus recursos com diversos tipos de aplicações, através de bibliotecas específicas, permitindo manipular os dados nos formatos suportados pela suíte Office.

O Microsoft Office expõe objetos por meio do COM (BOX 1), que permite aos usuários construírem scripts em seus aplicativos para executar tarefas ou controlar uma aplicação a partir de outra. A Microsoft lançou também um pacote chamado de PIAs (Primary Interop Assemblies), um conjunto de bibliotecas construídas sob o modelo COM para facilitar a interoperabilidade entre aplicações, entre elas, os aplicativos do Office. Geralmente elas são instaladas no sistema automaticamente, juntamente com o MS Office, na forma de DLLs.

BOX 1. COM

COM, sigla para o termo em inglês Component Object Model, é uma plataforma desenvolvida pela Microsoft para permitir a criação de objetos de software que pudessem ser reutilizados em outras linguagens de programação. Os objetos criados no COM precisam fornecer uma interface que explicita sua estrutura, permitindo seu uso sem o prévio conhecimento de sua implementação.

Se considerarmos o modelo mais comum com o qual estamos acostumados, ou seja, aquele em que o banco de dados está organizado em tabelas, cada uma com várias linhas e colunas, o Excel se assemelha bastante em alguns pontos, que o tornam uma opção bastante viável para armazenamento de informações. Uma pasta de trabalho do Excel (arquivo de extensão xls ou xlsx), que se compararia ao banco de dados, é composta por planilhas (equivalentes às tabelas) e estas, por sua vez, são formadas por colunas e linhas. O Excel não costuma ser utilizado como base de dados para grandes projetos, geralmente essas planilhas precisam ser acessadas quando ganham um grande volume, de forma que se torne necessária a existência de um software para auxiliar no gerenciamento das informações armazenadas. Outro uso comum se dá na exportação de dados em um formato facilmente legível por pessoas sem maior conhecimento técnico (ao invés de usar um formato como TXT, XML, ou CSV).

Neste artigo optou-se por desenvolver um projeto de exemplo do tipo Windows Forms Aplication, abordando a integração com o Excel, permitindo exportar os dados para uma planilha, importar os dados do Excel para um DataGridView e também formatar os dados exportados. Será mostrado ainda como realizar as operações de CRUD utilizando as planilhas do Excel como fonte de dados por meio do OLE DB, parte do ADO.NET (BOX 2) que permite acessar pastas de trabalho do Excel de forma semelhante a bancos de dados relacionais.

BOX 2. ADO.NET

O ADO.NET é um conjunto de classes criadas sobre o .NET Framework para permitir o acesso a bases de dados de diversos tipos. O principal subconjunto consiste nas classes presentes no namespace System.Data.SqlCliente, responsáveis por acessar o SQL Server. Porém, existem provedores de acesso para outro bancos, como MySQL e Firebird.

" [...]

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?