Metadados – O significado da informação no ambiente de Business Intelligence

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (5)  (1)

Veja neste artigo metadados.

 

por João Marcelo Borovina Josko

Metadados não figuram como um novo conceito. Na verdade, estes sempre foram componentes integrantes da documentação dos sistemas automatizados, mas que nunca receberam o foco adequado. Posto isso, para muitas organizações, os conhecimentos relativos a esses sistemas e os respectivos processos de negócio suportados concentram-se sobre suas pessoas, pelo menos, enquanto elas não se vão.

Com o advento do Ambiente de Business Intelligence – BI – e a necessidade de conhecer e interpretar suas informações reforça a criticidade dos metadados para seu sucesso. A ausência ou fragmentação da significação dessas informações comprometem, perigosamente, a confiabilidade e o investimento – que não é pequeno – realizado nesse ambiente.

Apesar dessa importância, o cenário do mercado mostra que muitas organizações ainda relutam em atuar sobre a questão dos metadados, postergando as ações necessárias para um momento futuro mais “adequado” onde, finalmente, são esquecidos.

Conceito e Tipos de Metadados

Os metadados representam informações que caracterizam a informação documentada. Em essência, estes respondem o que, quem, quando, onde, e como sobre cada faceta da informação, auxiliando a organização na sua publicação e suporte.

Além disso, em um ambiente marcado pela complexidade e distribuição das informações dentre os diversos componentes da Arquitetura de Data Warehousing – ver esquema geral na figura 1 –, os metadados provêem o relacionamento entre desses componentes e as respectivas informações que armazenam.

04-12-2007pic01.JPG

Figura 1 – Componentes da Arquitetura de Data Warehousing, segundo a Corporate Information Factory

De maneira geral, os metadados são segmentados em dois tipos ou classificações, conforme elencado a seguir. Tal fato deve-se, principalmente, ao uso e o público final a qual se destina – ver resumo na Tabela 1.

 

§  Metadados de Negócio

Expressam, em linguagem do negócio, o significado das informações – e suas modificações ao longo do tempo –, bem como dos recursos disponibilizados pelo Ambiente de BI aos tomadores de decisão.

 

§  Metadados Técnico

Descrevem, em linguagem técnica, o fluxo dos dados ao longo da sua passagem na Arquitetura de Data Warehousing; da captura nos sistemas origens à sua disponibilização aos tomadores de decisão. Desta feita, propiciam a equipe responsável pelo Ambiente de BI um mecanismo efetivo para seu gerenciamento.

Tabela 1 – Caracterização geral dos Tipos de Metadados

04-12-2007pic02.JPG
Organizando os Metadados

As iniciativas em prol dos metadados enfrentam muitas dificuldades dentro do mundo corporativo, a começar pelo esforço de desenvolvimento de um repositório unificado – não existem soluções de prateleiras – capaz de capturar os metadados oriundos de múltiplas fontes. Desliza pela dificuldade de determinação de um ROI – Retorno do Investimento –, passa pela aversão de técnicos e gestores, de forma geral, para com o serviço de documentação e, finalmente, repousa na pressão do negócio por entregas rápidas de produtos como Data Marts e Dashboards.

Esses e outros fatores criam obstáculos que envolvem não somente o aspecto puramente técnico, mas ainda o cultural. Para alcançar um bom nível de qualidade, os metadados requerem um método de captura, descrição, manutenção e organização para, então, serem disponibilizados a comunidade técnica e de negócio. Essas e outras atividades constituem o processo de Gestão ou Administração dos Metadados.

Contudo, esse processo isoladamente não é capaz de alcançar seu propósito maior: manter vivo os metadados, ou seja, versionados a cada modificação da informação. Na verdade, esse é membro de um processo maior, denominado de Processo de Data Warehousing, que abrange outras frentes – como Desenvolvimento, Manutenção, Gestão Operacional – que se entrecortam para garantir a sobrevivência adequada do Ambiente de BI.

Conclusão

A informação, historicamente, sempre representou um elemento de poder, basta recordar o cerceamento imposto pela Igreja Católica na baixa Idade Média. Atualmente, no mundo dos negócios, essa representa um valioso ativo intangível capaz de balizar as ações das organizações dentro dos respectivos mercados, ajudando-as a serem mais efetiva.

Para alcançar esse patamar, porém, além da disponibilidade com alta confiabilidade, a informação precisar estar conceituada e contextualizada ao longo tempo de forma a preservar sua proficuidade para o negócio; função essa cumprida pelos metadados.

Infelizmente, o número de organizações que percebem, conscientemente, o valor dos metadados ainda é pequeno. Entretanto, o crescimento das iniciativas relativas à SOX e Governança de TI, bem como os casos de insucesso das iniciativas de BI, tem contribuindo para modificar esse cenário paulatinamente.

Referências

 

MARCO, David. “Building and Managing the Meta Data Repository: A Full Lifecycle Guide”, 2000.
 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?