Metodologias de desenvolvimento de aplicações Web – Parte 04

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Neste artigo veremos WebML – Web Modeling Language.



WebML – Web Modeling Language

A WebML é uma notação para especificação de Web sites em nível conceitual e permite a descrição alto nível de um Web site sobre distintas dimensões ortogonais: seu conteúdo de dados (modelo estrutural), a páginas que compõe o site (modelo de composição), a topologia de links entre as páginas (modelo navegacional) e a customização das características de conteúdo de acordo com o perfil do usuário (modelo de personalização).

A especificação da WebML é feita com a definição de modelos, sendo que cada um deles já tem uma sintaxe XML definida, facilitando dessa forma a manipulação dos resultados da modelagem para a geração automática de páginas. Sendo esses modelos: Modelo Estrutural, Modelo de Hipertexto (formado pelos modelos de Composição e Modelo Navegacional), Modelo de Personalização.

·   Modelo Estrutural

O Modelo Estrutural consiste no conteúdo de dados da aplicação Web.  A WebML não propõe uma nova notação de modelagem para essa estrutura, permitindo a utilização de notações como a Modelo de Entidade e Relacionamento ou Diagrama de Classes UML.

Os elementos fundamentais para a Definição do Modelo Estrutural são entidades que contêm os dados armazenados, e relacionamentos que permitem a ligação semântica de entidades. As entidades são formadas por um nome e atributos associados a um tipo de dado. Os relacionamentos são definidos através do nome e da cardinalidade das entidades que o compõem.

O modelo conceitual para o estudo de caso AutoLopes Multimarca é idêntico ao apresentado na
Figura 3.

·   Modelo de Composição

O Modelo de Composição permite a definição de unidades de conteúdo e das páginas. As unidades de conteúdo determinam a forma pelo quais os dados de uma determinada entidade vão ser exibidos, customizando os atributos desejados. As principais unidades de conteúdo disponíveis na WebML são as seguintes (Figura 5):

o           Data unit: Mostram informações relativas a um simples objeto, por exemplo, uma instância de uma entidade. São definidos através da definição dos atributos de uma entidade. Mais de um data unit pode ser criado para uma mesma entidade, oferecendo várias maneiras de se ver um mesmo dado.

o           Multidata units: Mostram a informação referente a um conjunto de objetos, por exemplo, todos as instâncias de uma determinada entidade.

o           Index units: Mostram os objetos de uma entidade em uma lista, denotando cada objeto como um link para outra unidade de conteúdo.

o           Scroller units: Mostram comandos para acessar os elementos ordenados em uma lista de objetos, por exemplo, todas as instâncias de uma entidade ou todos os objetos associados com outro através um determinado relacionamento. Estes comandos são: primeiro, último, próximo e anterior.

o           Filter units: Mostram campos que permitem que o usuário entre com valores para uma pesquisa, resultando apenas nos objetos validados por uma condição. Normalmente são usados em conjunto com o index unit ou multidata unit, que apresentam os valores correspondentes a pesquisa realizada.

sql-31-07-2008pic05.JPG 

Figura 5. Principais elementos da WebML

Ainda no modelo de composição, a WebML apresenta um suporte à entrada de dados e operações. Para a inclusão dos mesmos, o modelo de composição apresenta links com propriedades de ativar a operações. As unidades de entrada de dados são formadas por campos que fornecem parâmetros para as operações a serem processadas. As unidades de operação recebem informações por meios um ou mais links, sendo que um deles tem que ser declarado como ativador da operação para quando a navegação pelo link ocorrer, este possa executar a operação. A WebML apresenta algumas unidades de operações definidas, sendo elas responsável por criar, atualizar e remover uma entidade e de criar e remover um relacionamento.

·   Modelo Navegacional

As unidades de conteúdo e as páginas formadas nos modelo de composição não podem existir isoladamente, devem estar conectadas para formar o modelo de hipertexto. Esse é o propósito do modelo navegacional, especificar a maneira pela qual as unidades de conteúdo e as páginas estão relacionadas, definindo os seus links que podem ser de duas formas:

o           Links Contextuais: Conectam as unidades com informações semânticas referentes à aplicação, dessa forma carregando informação da unidade de origem para a de destino (Figura 6).


sql-31-07-2008pic06.JPG

Figura 6. Exemplo de link usado para definir o contexto de um data unit

 

o           Links Não Contextuais: Conectam páginas totalmente livres, independentemente das unidades que estão contidas nas páginas ou suas relações semânticas.

·   Modelo de personalização

Define características individuais do conteúdo de cada usuário ou grupo de usuário. WebML fornece o conceito de entidades de Usuários e Grupo de Usuários, permitindo modelar esquemas personalizados de conteúdo e apresentação, regras de acesso, segurança, atualização do conteúdo.

A separação entre o modelo estrutural e o de hipertexto permite que a WebML forneça meios de especificar várias visões de um mesmo site, possibilitando o atendimento de requisitos mais complexos. Essas diferentes visões do site podem estar associadas ao dispositivo pelo qual se está acessando o site ou por grupos de usuários.

·   Aplicação de WebML no estudo de caso

A modelagem de uma aplicação seguindo a metodologia apresentada por WebML para o estudo de caso consiste na definição do modelo de Hipertexto (Figura 7).

sql-31-07-2008pic07.JPG

Figura 7. Modelo de Hipertexto para AutoLopes Multimarca

O modelo representa a existência de uma página principal (AutoLopes Multimarca) com uma lista de opções com links para as páginas das categorias (Motos, Vans, carros, Off-roads) que contêm, cada uma, a lista de veículos (Index Unit Veículos). Essa lista possui um link contextual para a página de detalhe de um veículo (AutoLopes – Detalhes), indicando que o veículo escolhido é passado como parâmetro para a página de detalhe.

O envio de e-mail é feito através da página Contatos que possuem um formulário a ser preenchido e enviado para a criação de um novo objeto do tipo Contato.

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?