Microsoft Test Manager 2010: Gerência de Testes - Revista .Net Magazine 96

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Uma introdução à ferramenta de gerenciamento de testes da Microsoft, o Microsoft Test Manager 2010, que é parte integrante da plataforma de gerenciamento de ciclo de vida de aplicações Team Foundation Server.

De que se trata o artigo

Uma introdução à ferramenta de gerenciamento de testes da Microsoft, o Microsoft Test Manager 2010, que é parte integrante da plataforma de gerenciamento de ciclo de vida de aplicações Team Foundation Server.

Em que situação o tema é útil

Quando há necessidade de uma maior integração entre equipe de testes, desenvolvedores e gerência. Além disso, quando existe a necessidade de controle dos testes realizados, medições gerais em relação aos testes, publicação para toda a equipe da situação atual e até mesmo automação dos mesmos.

Microsoft Test Manager 2010

Nesse artigo veremos como utilizar o Microsoft Test Manager 2010 que é integrante do Microsoft Team Foundation Server 2010. Essa ferramenta auxilia a equipe de testadores a planejar, executar e analisar testes de software, além de proporcionar facilidade na hora de reportar bugs.

Há muito tempo, empresas desenvolvedoras de software procuram aumentar cada vez mais a qualidade e agilidade na entrega de seus produtos. Para isso, o mercado tem elevado gradativamente o uso de ferramentas e metodologias para tornar o processo de desenvolvimento mais ágil, com qualidade e visando o máximo possível de lucro com baixo custo.

Ferramentas de ALM tem sido a principal procura de gerentes de projeto nos últimos tempos. Essas ferramentas são necessárias para que gestores possam acompanhar, em tempo real, todo o desenvolvimento de um ou mais aplicativos, bem como as atividades dos recursos, custo, lucro, testes, entrega de software etc.

ALM é a sigla para Application Lifecycle Management (Gerenciamento do Ciclo de Vida da Aplicação) e significa que todo e qualquer software precisa e deve ser gerenciado desde a sua concepção até sua entrega, passando evidentemente, por testes, levantamento de requisitos etc.

Construir aplicações de qualidade, em menos tempo e sem retrabalho é sinônimo de redução de custos. Aliás, esse é um dos principais pilares que a Microsoft tem se apoiado para construir o que pode ser considerado uma das ferramentas mais completas de mercado, o Team Foundation Server.

O uso correto do conceito ALM torna a construção de software muito mais conciso e preciso, haja vista que envolve todo o time desenvolvimento. A ideia principal do conceito é envolver todos os profissionais capacitados para realizar as várias tarefas do dia a dia.

Falar sobre ALM não é uma tarefa simples e, portanto, tem assunto para um artigo inteiro somente sobre isso. Mas para entendamos melhor como funcionam os Testes em um ciclo de vida de projeto, precisamos ao menos saber como e quais são as principais fases do ALM, pois o teste é apenas um pedaço pequeno (mas não menos importante) do processo.

Quando se fala em gerenciamento do ciclo de vida da aplicação, estamos falando basicamente de três pilares: pessoas, processos e ferramentas. Particularmente acredito que o pilar mais importante seja o primeiro, pessoas. Sem a colaboração das pessoas, membros da equipe, sem o total comprometimento de todos os envolvidos no projeto, não há ALM, justamente porque os processos não andam e consequentemente é nesse ponto que o desenvolvimento tem mais problemas. Atrasos na entrega do cronograma, bugs em ambiente de produção, requisitos mal levantados, tudo isso implica em um software com maior/menor qualidade. Na Figura 1 podemos ver claramente quais os profissionais que acabam se envolvendo em todo o processo de desenvolvimento de software.

Perceba que o pilar de maior importância é sem dúvida, o de Pessoas (em azul). Depois Processos e em seguida Ferramentas. Observe que não há processos e, de nada são importantes às ferramentas, se não houverem pessoas envolvidas. Em todas as fases de um projeto, temos profissionais capacitados e bem treinados para realizar cada uma das tarefas, seja codificação, teste, análise de requisito etc.

Figura 1. Pilares do ALM

Na Tabela 1 verificamos o papel de cada profissional envolvido nos processos. Analistas de Negócio, Gerentes de Projeto, Gerentes de Operações, Desenvolvedores, Testadores etc. Nenhum é menos ou mais importante que o outro. É assim que conseguimos obter um software com um percentual de problemas muito menor que se não tivéssemos o conceito ALM empregado.

Profissional

Resumo das atividades

Analista de Negócios

Esse profissional tem o papel de entender todas as necessidades do projeto/implementação e de transmiti-las para a equipe.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?