Quick Tips: LPE - Parte 5

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Olá pessoal, aqui estamos para aprender um pouco mais sobre LPE. Falaremos aqui sobre constantes e variáveis.


Olá pessoal, aqui estamos para aprender um pouco mais sobre LPE. Falaremos aqui sobre constantes e variáveis.


Conceito de Variável e Constante


    Como já vimos nos conceitos básicos, é necessário para um processamento que possamos armazenar as informação que estão sendo manipuladas (usando a memória).

    Todo o algoritmo trata com informações. Um algoritmo para computador também precisa trabalhar com informações. No computador estas informações sempre estão sendo manipuladas (usando a memória). Sabe-se de Matemática, que uma variável é uma representação simbólica dos elementos de um certo conjunto. Nos algoritmos, destinados a resolver um problema no computador, a cada variável corresponde a uma posição de memória, cujo a conteúdo pode variar ao longo do tempo durante a execução de um programa. Embora uma variável possa assumir diferentes valores, ela só pode armazenar um valor a cada instante.

    Toda variável pode ser identificada por um nome ou identificador. Assim por exemplo, num algoritmo para o calculo das raízes de uma equação de segundo grau (ax² + bx + c = 0), os identificadores A, B e C podem representar as posições de memória que armazenam os coeficientes da equação, fazendo, neste caso, o papel das variáveis na Matemática.

Formação dos Identificadores

    Um identificador é formado por um ou mais caracteres, sendo que o primeiro caractere deve, obrigatoriamente, ser uma letra e os caracteres seguintes (se existirem), letras ou dígitos, não sendo permitido o uso de símbolos  especiais.

Exemplos:




    É recomendável que os nomes das variáveis sejam os mais significativos possíveis, isto é, que reflitam, da melhor maneira possível, a natureza dos valores que nelas estão sendo armazenados. Isto ajuda muito no entendimento do algoritmo.

    A título de exemplo: se a variável vai armazenar o salário de um empregado, por que não escolher o identificador SALÁRIO para representa-la ?


Exemplos:




   Durante a execução de um programa podemos atribuir muitos valores ás variáveis, é comum, até necessário, fazermos um quadro onde colocaremos os nomes e os conteúdos das variáveis que estão sendo trabalhadas, como no exemplo acima.

    O Atributo é o principal exemplo de uma operação “geral”. Esta operação permite que o conteúdo de uma variável seja alterado. O formato desta operação é:

X <- Y ou X := Y

    Onde X é uma variável  e Y uma expressão que, quando avaliada (resolvida), fornece um valor do mesmo tipo de X. Após a execução deste comando, X passa a Ter como resultado o valor avaliado pela expressão Y. Exemplo :

Dados A=3, B=4 e C=3, montar o quadro de variáveis (Chinês) para o seguinte algoritmo:





No algoritmo do exemplo acima vocês notaram que foi utilizados alguns símbolos (+, /) que ainda não foram comentados. Mais adiante veremos as operações que poderemos fazer nas variáveis, tais como: Soma ( + ) e divisão (/).

Bem pessoal, eu encerro por aqui. Abaixo a solução para o problema da tip anterior:

   escreval("Informe o nome e o Salario do Primeiro Funcionario")
   Leia(Nm1, Sb1)
   Dc := Sb1*0.09
   escreval("Informe o nome e o Salario do Segundo Funcionario")
   Leia(Nm2, Sb2)
   Ac := Sb2*0.05
   Sl1 := Sb1 - Dc
   Sl2 := Sb2 + Ac
   escreval("Funcionario ", Nm1)
   escreval("   Valor Desconto.: ", Dc)
   escreval("   Salario Liquido: ", Sl1)
   escreval("Funcionario ", Nm2)
   escreval("   Valor Acrescimo: ", Ac)
   escreval("   Salario Liquido: ", Sl2)

ATENÇÃO: OS COMANDOS ESCREVA, ESCREVAL E LEIA SERÃO VISTOS MAIS A FRENTE. NO MOMENTO É INTERESSANTE PRESTAR ATENÇÃO NOS PASSOS TOMADOS PARA A SOLUÇÃO DO PROBLEMA.

Para não perder o hábito, segue mais um problema de lógica:

Elabore um programa que dado o valor de dois catetos de um triângulo retângulo, calcule a hipotenusa e a área do triângulo. Fórmulas: HIP = Raiz(Cat1^2 + cat2^2); P = (Cat1 + Cat2 + HIP)/2;
Area = Raiz(P * (P – Cat1) * (P – Cat2) * (P – HIP)). Obs: P = Semiperímetro.

Abraços e até a próxima !!!

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?