Quick Tips: Medição de Software – Parte II

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Nesta segunda parte do artigo de Medição de Software irei começar a explicar passo-a-passo o processo de contagem de pontos de função.

Quick Tips: Medição de Software – Parte II 
 

Nesta segunda parte do artigo de Medição de Software irei começar a explicar passo-a-passo o processo de contagem de pontos de função.  

Primeiramente, antes de realizar a contagem de pontos de função temos que levantar os requisitos do usuário, pois é a partir dos requisitos que será feito a contagem. Para isso iremos supor que após a entrevista realizada com o gerente da empresa XPTO, descobrem-se os seguintes requisitos: “O gerente possui um problema em seu controle de seu estoque. O mesmo precisa saber quantos produtos saíram e quantos produtos entraram no estoque. Os produtos que saem do estoque são vendidos pela loja online, que será controlada por outra aplicação. Após o término de um período de 30 dias o gerente precisa saber quais foram os produtos que tiveram mais saídas.”  

Ao realizarmos uma análise em cima dos requisitos, percebe-se que será necessário criar um cadastro de material, um cadastro de entradas e saídas de material e um relatório exibindo o total de saída por material. Agora que especificamos todas as funcionalidades que o software terá, iremos definir os Arquivos Lógicos Internos (ALI). Os ALIs são um grupo de dados ou informações logicamente relacionadas, mantido pela aplicação e reconhecido pelo o usuário. No nosso exemplo encontramos dois ALIs: Material e Entrada e Saída de Material. 

Com os ALIs encontrados temos que descobri qual o nível de complexidade e os pontos de função de cada ALI, para isso, temos que definir os Tipos de Dados (TD), que é um campo único reconhecido pelo o usuário e, os Tipos de Registros (TR), que é um subgrupo de Tipos de Dados reconhecidos pelo o usuário. 

Para o ALI Material: 1 TR (Material) e 5 TDs (Consideram-se somente os seguintes campos: Descrição, Marca, Modelo, Valor Unitário e Código do Material). Obs.: Se o código não fosse reconhecido pelo o usuário o mesmo não seria contado. Ao verificar na tabela abaixo descobrimos que o ALI Material é de complexidade Baixa, portando 7 PFs. 

No ALI - Entrada e Saída de Material: 1 TR (Entrada e Saída de Material)  e # TDs (Consideram-se os seguintes campos: Código, Código do Material, Data e Hora da Entrada/Saída, Quantidade, Valor Total). Obs.: O campo Código não é considerado, pois o mesmo não é visualizado pelo usuário. 

Tipos de Registros Tipos de Dados
  <20 20-50 >50
1 Baixa Baixa Média
2-5 Baixa Média Alta
>5 Média Alta Alta
   
ALI – Baixa: 7 PFs   Média: 10 PFs  Alta: 15 PF

Tabela de Complexidade de ALI 

Até agora descobrimos 2 ALIs de nível de complexidade baixa somando um total de 14 PFs. No próximo artigo irei continuar esta explicação passo-a-passo do processo de contagem de Pontos de Função. Até lá!

Bruno Lage. 

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?