Revista MSDN Magazine Edição 18 - Smart Tags no Office 2003 com Managed Code

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Artigo Originalmente Publicado na MSDN Magazine Edição 18

msdn18_capa.gif

Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

 

Smart Tags no Office 2003 com Managed Code

por Ben Waldron

Este artigo discute

Este artigo usa as seguintes tecnologias:

·          Novos recursos de smart tag no Office 2003

·          Esquema MOSTL para criação fácil de smart tags

·          Desenvolvendo smart tags por meio de managed code

·          Implementação e depuração de smart tags

Office, COM, C#

 

Download:

ManagedSmartTags.exe (128KB)

Chapéu

Smart Tags

 

 

As smart tags foram introduzidas primeiramente no Microsoft® Office XP como uma maneira integrada de permitir que os usuários apresentassem dinamicamente informações adicionais em seus documentos. Para os usuários gerais do Office, as smart tags representam uma maneira de alavancar a produtividade por meio de ações vinculadas a palavras-chave. Para os usuários corporativos, as smart tags são usadas para associar os usuários aos recursos internos com base no tipo de dados que eles exibem ou incluem nos aplicativos Office. Um bom exemplo consiste em vincular um número de ordem de compra em uma planilha do Excel a informações detalhadas sobre uma venda a partir de uma fonte da intranet da empresa. Para os desenvolvedores, as smart tags representam uma nova maneira de vincular serviços orientados a informações aos aplicativos utilizados com mais freqüência pelos clientes.

Fiz uma pesquisa entre os desenvolvedores de minha comunidade e descobri que a maioria deles reconhecia as vantagens das smart tags mas não havia ainda se disposto a dar os primeiros passos para desenvolvê-las ou para usar o Microsoft .NET Framework para isso. Embora muitos desenvolvedores estejam animados com a perspectiva de criar smart tags gerenciadas, o desenvolvimento de smart tags com o .NET não recebeu a devida atenção.

Neste artigo, demonstrarei como desenvolver smart tags. Abordarei tópicos como o uso do esquema XML MOSTL (Microsoft Office Smart Tag List) para desenvolver smart tags de forma rápida e eficaz, bem como o uso do .NET Framework para criar smart tags gerenciadas mais avançadas para o Office 2003 e Office XP. Em seguida, falarei sobre como implementar esses recursos na sua organização.

 

História das Smart Tags

As smart tags entraram em cena no Office XP, com amplo suporte no Word, Excel e Microsoft Outlook® (quando o Word é usado como um editor de e-mails, que é o padrão). O Microsoft Internet Explorer versões 5.0 e superior suportam smart tags em uma maneira diferente da dos aplicativos do Office. Nessas versões do Internet Explorer, o texto não é reconhecido automaticamente pelas smart tags; no entanto, é possível adicionar tags HTML personalizadas ao arquivo de origem HTML para permitir o reconhecimento do texto no qual você deseja utilizar uma smart tag. Nesta primeira iteração, as smart tags do Office XP foram desenvolvidas com a Biblioteca de Tipos do Microsoft Smart Tag 1.0.

A simplicidade das smart tags é o que as torna tão avançadas. A smart tag precisa primeiro reconhecer os dados de acordo com algum critério importante e, em seguida, apresentar ao usuário uma lista de menu com as ações relevantes a esses dados. Quando o usuário faz uma seleção, é realizada uma ação de menu apropriada. A smart tag é composta de duas classes COM. Uma classe de reconhecimento (Recognizer) é responsável por fazer a correspondência dos dados passados por um aplicativo habilitado para smart tags; uma classe de ação (Action) informa ao aplicativo os itens de menu a serem exibidos e executa uma ação quando o aplicativo sinaliza a ação a ser realizada. A interação geral entre o aplicativo e essas classes é mostrada na Figura 1.

 

image001.gif

Figura 1 Interfaces Smart Tag

 

Com base no feedback dos consumidores, a Microsoft fez melhorias nas smart tags na versão do Office 2003. O número de aplicativos que oferecem suporte a smart tags foi expandido para incluir o Microsoft PowerPoint® e o Microsoft Access. Além de um suporte mais amplo aos aplicativos, as próximas interações de smart tags incluem algumas opções melhores de utilização. No Office XP, as smart tags suportavam apenas um nível de menus quando exibidas, mas agora foram incluídos menus em cascata para agrupar as ações dentro do menu da smart tag. A capacidade de controlar o período de tempo em que as smart tags estão ativas e permitir que os usuários as desativem a partir de uma única janela de configuração também foi incluída no Office 2003. Outro recurso que os desenvolvedores solicitaram foi a capacidade de saber qual aplicativo está chamando a smart tag. Isto permite que você trate o reconhecimento e as ações de uma maneira quando a solicitação vier do Word e de outra maneira se ela vier do Excel. Para obter uma lista completa dos novos recursos de smart tag do Office 2003, vá para What's New with Smart Tags in Office 2003 (http://msdn.microsoft.com/library/default.asp?url=/library/en-us/dnofftalk/html/office01022003.asp).

A Microsoft Smart Tags 2.0 Type Library, que é usada para desenvolver smart tags para o Office 2003, é totalmente compatível com as versões anteriores do Office XP. Todos os recursos que existiam no Office XP funcionarão com as smart tags desenvolvidas com a nova biblioteca de tipos, o que é excelente para organizações que rodam tanto o Office XP como o Office 2003.

 

Esquema MOSTL

As smart tags simples que temos em mente envolvem o reconhecimento de uma palavra e associação desta a um site Web. A criação desse tipo de smart tag é tão simples como construir um arquivo XML. No Office XP e no Office 2003, existe uma biblioteca denominada MOFL.dll (C:\Program Files\Common Files\Microsoft Shared\Smart Tag\MOFL.dll) que permite que os desenvolvedores criem arquivos XML em conformidade com o esquema MOSTL para criar as tags sem precisar usar códigos.

O esquema MOSTL é usado quando você quer desenvolver smart tags que reconheçam modelos ou palavras bem definidas e que, a partir daí, executem ações relativamente simples. Um novo recurso do Office 2003 permite que os desenvolvedores usem expressões regulares para reconhecer um padrão em vez de apenas uma lista de termos. Por exemplo, é possível escrever uma smart tag que possa reconhecer um endereço IP e que desenvolva uma ação que vá para uma lista de Web site que seja dono de tal endereço. Embora isso não seja muito prático para um usuário comercial, serve para ilustrar a potência do MOSTL combinado com as expressões regulares. Esse tipo de reconhecimento de padrão pode ser usado em muitos negócios, já que os códigos formatados de maneira exclusiva são geralmente usados para números de pedidos, números de rastreamento e outros identificadores. O XML MOSTL que executa ação e reconhecimento de endereços IP é mostrado na Listagem 1.

 

Listagem 1 Reconhecendo um endereço IP

  WhoIs IP Lookup

  1033,0

  Lookup up a domain name

  http://msdn.microsoft.com/msdnmag

  false

  false

  0

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?