Structured Query Language - Comandos DCL e Views

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Nesta última parte do curso, são mostrados os comandos que permitem criar/alterar visões, os comandos Grant e Revoke que fazem parte da DCL (Data Control Language, ou Linguagem de Controle de Dados) e um resumo geral dos comandos SQL.

Esse artigo faz parte da revista Clube Delphi Edição 66. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

imagem_pdf.jpg

Structured Query Language

Parte IV - Comandos DCL e Views

No começo do nosso curso (edição 63), apresentamos os comandos da DDL (Data Definition Language) que gerenciam Domínios, Tabelas e Índices. Na edição 64, apresentamos os comandos da DML (Data Manipulation Language) que englobam a inclusão, alteração, exclusão e consulta de registros. Na edição passada (65), aprofundamos os conhecimentos sobre os comandos de consulta.

Nesta última parte do curso, são mostrados os comandos que permitem criar/alterar visões, os comandos Grant e Revoke que fazem parte da DCL (Data Control Language, ou Linguagem de Controle de Dados) e, visando facilitar a consulta ao material dado durante o curso, um resumo geral dos comandos SQL.

Apenas recordando o que já havia sido comentado, a criação de view faz parte da DDL, entretanto ela depende também do comando Select, que faz parte da DML, por isso optamos por abordar o tema apenas neste artigo.

Visões (views)

Uma visão, ou uma view, é uma “tabela virtual”, cujo conteúdo é definido através de um comando de seleção (select). Não é uma tabela física, mas um conjunto de instruções que retorna um conjunto de dados.

Uma view é idêntica a uma tabela comum, podendo algumas vezes até mesmo fazer o papel de uma, a diferença é que permite visualizar os dados existentes de uma forma mais simples e segura, já que possibilita, por exemplo, filtrar registros e colunas.

As views também são uma importante ferramenta para simplificar suas instruções de seleção: ao invés de várias sub-consultas, pode-se encapsular toda a lógica dentro de uma view, tornando assim o código final da instrução mais legível. São utilizadas para realizar tarefas como:

·     Restringir o acesso dos usuários;

·     Filtrar colunas e os registros;

·     Limitar o acesso a determinadas partes banco de dados;

·     Independência dos dados.

 

Existem dois tipos de views:

·     View Update: quando a view pode ser editada/atualizada, ou seja, é nesse caso que ela se comporta como se fosse uma tabela comum. Para que isso seja possível, todos os campos obrigatórios, ou seja, aqueles com restrição Not Null, precisam fazer parte da visão;

·     View Read-Only: quando o resultado não pode ser editado, ou seja, pode ser apenas consultado.

 

A sintaxe para a criação de visões é apresentada a seguir. A descrição dos argumentos é dada na Tabela 1.

 

Argumento

Descrição

Nome

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?