Trabalhando com notificações no Android - Revista Mobile Magazine 47

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (3)  (0)

O artigo apresenta todas as formas de criação de notificações na plataforma Android. Além disso, aborda estes temas sempre levando em conta dicas de portabilidade e como trabalhar de forma independente, sem ficar preso a uma versão do sistema.

Artigo do tipo Tutorial
Autores: Ricardo Ogliari e Robison Cris Brito
Conhecendo tudo sobre as notificações do Android
O uso de notificações torna o aplicativo mais inteligente e mais surpreendente para o usuário. Isto porque ele possibilita a definição de uma nova forma de interação entre aplicativo e usuário que estamos acostumados a ver quando nosso celular indicar que temos novas mensagens de e-mails, facebook, dentre outros.

Neste contexto, o artigo apresenta todas as formas de criação de notificações na plataforma Android. Desde aquelas mais simples, apenas com poucos textos e uma imagem, até as mais elaboradas, contendo uma grande imagem, um conjunto de linhas ou um texto também extenso. Além disso, aborda estes temas sempre levando em conta dicas de portabilidade e como trabalhar de forma independente, sem ficar preso a uma versão do sistema operacional. Para isso, o artigo faz inicialmente uma breve introdução ao tema. Em seguida, é definido um estudo de caso que será desenvolvido passo a passo ao longo do artigo. Ao final, teremos uma aplicação totalmente funcional que faz uso do sistema de notificações do Android.

Em que situação o tema é útil
Um bom aplicativo Android faz extenso uso de notificações, isso porque é uma forma aprimorada de interação com os usuários. Este artigo apresentará como dominar este recurso na plataforma Android. Você estará preparado para criar soluções de interface com o usuário ainda mais interativas e amigáveis.

Com o avanço dos sistemas operacionais para dispositivos móveis, o consequente avanço dos aplicativos para estes dispositivos era inevitável. E mais do que isto, os próprios sistemas operacionais voltados para este público precisaram se modernizar. Prova disso é a liderança em market share do Android e iOS acima dos 90%, isso porque eles atingiram um patamar acima dos concorrentes existentes no surgimento de ambos.

O sistema operacional Symbian que até então reinava sozinho, tornou-se obsoleto e feio quando iPhones e Androids invadiram o mercado. Isso provou para o mundo que os usuários tinham passado da fase de usar o telefone celular somente para efetuar e receber chamadas. Outro fato que reforça esta conclusão é a crescente nos números de vendas de smartphones. Sendo que este ano, pela primeira vez na história, superaram as vendas de telefones celulares.

Isso nos leva a perceber um fato óbvio. Não é mais aceitável criar simples aplicativos para aparelhos móveis. Os usuários exigem interfaces gráficas cada vez mais ricas e que façam o melhor uso do hardware que eles têm em mãos. E soma-se a isso mais um fato: as lojas virtuais estão abarrotadas de opções de aplicativos para os mais variados fins. Segundo pesquisas do final de 2012, cada uma das duas principais lojas online (Play Store e Apple Store) possuía cerca de 700 mil programas disponíveis para baixar gratuitamente ou para compra. Sendo assim, o desenvolvedor mobile precisa ter criações que se destaquem no meio desta infinidade de possibilidades.

Temos diversas maneiras de obter destaque nestas lojas, como o extenso uso de sensores, para dar um aspecto de inteligência ao nosso software. Por exemplo, um sensor de luminosidade pode deixar a tela mais escura ou mais clara, dependendo do ambiente. Um sensor de proximidade pode desligar a luz da tela quando perceber que o usuário se distanciou, economizando a escassa bateria dos smartphones.

Também podemos guardar um histórico das ações do usuário e criar um sistema sensível ao contexto. Por exemplo, um sistema de compra online pode perceber quais são os itens mais procurados e saber as preferências do usuário, mostrando primeiramente aqueles de seu agrado. Um simples aplicativo de rotas pode perceber preferência do usuário e fornecer indicações de serviços ao longo do trajeto que interessam ao mesmo.

Outra forma de se destacar pode ser com sistemas de notificações. Basicamente, este conceito visa informar o usuário de algo importante sem que o mesmo precise buscar por esta informação. Um aviso sobre um temporal que se aproxima, alertando o usuário para deixar a área onde ele está que sobe com frequentes inundações, sem que o mesmo precise fazer esta pesquisa em sites meteorológicos e históricos de enchentes, agrega muito valor a uma solução.

Além disso, uma notificação pode ser a porta de saída de um complexo sistema que roda em background. Devido à possibilidade de multithreading do Android, pode-se fazer diversas consultas em uma quantidade muito grande informações aplicando conceitos de data mining e inteligência artificial. O usuário vai achar que isso tudo é mágica, porque vai receber uma informação extremamente oportuna para aquele seu momento e necessidade, sem qualquer esforço de sua parte.

Esta característica torna o aplicativo mais inteligente e mais surpreendente para o usuário. Quem não gosta de ver o próprio Android avisando que você tem novas mensagens diretas no Twitter, novos e-mails na sua caixa de entrada, sem termos que abrir estes aplicativos e fazer esta verificação. Ganhamos tempo com isso.

E neste quesito o Android foi um dos pioneiros, trazendo desde suas primeiras versões um completo sistema de notificações. Sem falar na extrema facilidade que o desenvolvedor encontra para utilizar o mesmo. Para o usuário, o trabalho também é escasso, basta rolar a área de notificações para baixo e ver quais notificações recebeu. Para fechar esta aba, basta fazer o movimento inverso.

A notificação também é mostrada no topo do aparelho assim que ela é lançada. E ela pode ter som e fazer o dispositivo vibrar. Ou seja, seu aplicativo se comunica com o usuário, invertendo aquela velha ordem presente nos primeiros sistemas operacionais móveis, onde o usuário precisava abrir o aplicativo, obrigatoriamente, para ver as informações.

Sendo assim, neste artigo vamos ver as formas possíveis de utilização de notificações no Android, desde aquelas mais simples, somente com dois textos e uma imagem, até as mais complexas, que podem ter uma imagem grande, um texto grande ou dividido em diversas linhas.

O projeto

O projeto contém apenas uma tela, apresentando algumas opções que permitem a criação de qualquer notificação Android. Posteriormente, neste artigo, veremos o que cada um destes termos quer dizer. Por hora, vamos descrever brevemente quais opções existem:

Normal View e Big View: a primeira opção traz um conjunto restrito de posições onde poderemos inserir itens para notificar. No segundo caso, as possibilidades aumentam. O aplicativo traz marcado como default a opção Normal View (ver Figuras 1 e 2);

Estilos da Big View: Quando o usuário escolhe a opção Big View, também deverá escolher entre as opções Big Picture, Big Text ou Inbox. Basicamente é o estilo que será aplicado na notificação;

Progress Bar: o usuário também pode escolher ver, ou não, uma barra de progresso na notificação;

Context Text e Context Title: textos que são visualizados na notificação;

Conjunto de Imagens: usuário também escolhe qual imagem será marcada como ícone da notificação.

Figura 1. Opção Normal View escolhida.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?