Uma aplicação com SwingBean – Parte III

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (3)  (0)

Na terceira parte do artigo serão vistos alguns detalhes que servirão para enriquecer a aplicação, como validadores, máscaras e dependência de componentes.

Na terceira parte do artigo serão vistos alguns detalhes que servirão para enriquecer a aplicação, como validadores, máscaras e dependência de componentes.

Introdução

Retomando a aplicação de cadastros de filmes, tem-se até agora um formulário contendo os dados para preenchimento dos dados contidos no bean Filme. Os objetivos dessa terceira parte são:

  • Demonstrar como a adição de novos campos não requer mudanças no código responsável pelo formulário;
  • Introduzir os validadores e máscaras;
  • Adicionar campos que são dependentes de outros campos.

Adicionando novos campos

Uma das motivações ao se trabalhar com frameworks, independente da linguagem, é o fato de poder adicionar mudanças na aplicação afetando o menor trecho de código possível.

Para o exemplo atual, imagine que haja a necessidade de introdução de um novo campo: duração do filme.

Pode-se fazer essa adição em apenas dois passos extremamente simples:

  • criação do atributo duração no bean Filme;
  • adição do componente no xmldescriptor.

As listagens 01 e 02 demonstram como isso é feito.

//início do código de Filme.java

private String descricao;

private String duracao;

 

public Filme(){}

 

public final Date getDataDeLancamento() {

        return dataDeLancamento;

}

//get e set para duracao

//restante do código de Filme.java

Listagem 01 – Filmes.java

 

<line>

        <property name="genero" label="Gênero" … />

        <property name="dataDeLancamento" label="Data de Nascimento" />

        <property name="censura" />

        <property name="duracao" mask="##h##m##s" label=”Duração” />

</line>

Listagem 02 – filme_xmldescriptor.xml

 

Atente-se para o detalhe dos métodos setDuracao e getDuracao, que são essenciais para o funcionamento da aplicação.

Ao ser executada, a aplicação já contém o novo campo, como indica a figura 01.

asappsbp3fig01.jpg
Figura 01

 

O campo duração possui uma máscara, como é possível ver na figura 01, “  h  m  s” que representam as horas, minutos e segundos de duração. (Poderia ter sido utilizada a notação padrão que é de apenas minutos, mas foi feito dessa maneira para representar melhor as máscaras.)

 

O que define essa máscara é a propriedade mask da tag responsável pelo campo no arquivo xml.

Configurando os validadores

Primeiramente é necessário definir as propriedades específicas de alguns dos campos – os que passarão pelo processo de validação.

Os campos título, diretor, gênero, censura e duração, a partir de agora, serão considerados obrigatórios. Para isso, basta apenas adicionar em cada uma de suas tags no xmldescriptor, o atributo mandatory=”true”. Por exemplo:


<property name="censura" mandatory="true" />

 

Com, isso, os labels de cada campo obrigatório ficarão em negrito, como mostra a figura 01.

Será definido também o tamanho mínimo do campo diretor para 3 caracteres, através do atributo minSize, e no máximo 200 por size:


<property name="diretor" mandatory="true" size=”200” minSize="3" />

 

Com isso já se tem um pequeno conjunto de restrições que serão avaliadas no momento da adição. É claro que para aplicações reais, valida-se o máximo de campos possível para evitar quaisquer tipos de dados inválidos a serem adicionados em um banco de dados, por exemplo.

O SwingBean contém classes responsáveis por gerenciar essas validações, assim como permite que os programadores criem suas próprias, ou seja, é possível dizer ao framework como validar o campo. Porém, por enquanto só será vista a ação padrão de validação de campos.

Com as restrições criadas, parte-se para a edição do código de CadastroFilme. É interessante destacar que as mudanças são mínimas; apenas a adição de um pequeno trecho já é suficiente para habilitar as validações de campo.

A listagem 03 mostra o que é necessário adicionar.

//início do código de CadastroFilme.java

ApplicationAction actionCadastra = new ApplicationAction(){

        public void execute(){

               Filme beanFilme = new Filme(); //novo

               panelFilme.populateBean(beanFilme);

               beanTableModel.addBean(beanFilme); //novo

               System.out.println(beanFilme);

               panelFilme.cleanForm();

        }

};

 

ValidationAction vAction = new ValidationAction(panelFilme);

ApplicationAction actionValida = ActionChainFactory.createChainActions(vAction, actionCadastra);

JActButton bCadastra = new JActButton("Cadastrar", actionValida);

//restante do código de CadastroFilme.java

Listagem 03 – CadastroFilme.java

Até a segunda parte do artigo, a ação configurada no botão de cadastro (bCadastra) era actionCadastra.

Inicialmente cria-se uma instância de ValidationAction, que recebe panelFilme, como painél a ser validado. O construtor desta classe pode receber mais de um painél, caso seja necessário.

ValidationAction é uma subclasse de ApplicationAction, ou seja, trata-se de um evento como qualquer outro, porém, com capacidade de validar dados antes de ser tratado de acordo com as suas ações.

Em seguida, cria-se uma cadeia de ações com a fábrica ActionChainFactory, através de createChainActions passando por parâmetro vAction e actionCadastra.

A única troca a ser feita agora é o evento ao qual o botão bCadastra está relacionado, que nesse caso será a cadeia de ações criada anteriormente, actionValida.

Com isso, tem-se o evento de validação de campos configurado como primeiro da lista de eventos a serem executados. Se houver algum campo mal preenchido, as ações posteriores são ignoradas e é exibida uma mensagem para o usuário contendo todos os erros que devem ser corrigidos.

A figura 02 mostra a mensagem de erros caso todos os campos sejam deixados em branco.

asappsbp3fig02.jpg 

Figura 02

Adicionando dependência de campos

Para tratar a situação, imagine que deva haver na aplicação, um campo checável que indica se o filme tem ou não um site na internet. Caso tenha, o campo para preenchimento do mesmo é habilitado.

Primeiramente deve-se adicionar dois atributos no bean Filme: comSite (boolean) e site (String), ambos com seus getters e setters. (Não será listado aqui o código, por se tratar do mesmo esquema visto na listagem 01, porém, o mesmo está disponível para download.)

 

O xmldescriptor também deverá ser alterado para adição dos dois campos, como indica a listagem 04.

<line>

        <property name="genero" label="Gênero” … />

        <property name="dataDeLancamento" label="Data de Nascimento" />

        <property name="censura" mandatory="true" />

        <property name="duracao" mask="##h##m##s" mandatory="true" label="Duração" />

        <property name="site" />

        <property name="comSite" dlu="50" />

</line>

Listagem 04 – filme_xmldescriptor.xml

O atributo dlu apenas define um tamanho fixo para o componente, visto que o checkbox ocupará apenas uma pequena parte do formulário, e não será necessário dividir um espaço em igual com os outros componentes da linha.

Com o xml definido, parte-se para a única adição necessária em CadastroFilme, de acordo com a listagem 05.

 

JScrollPane jScrollPane = new JScrollPane(beanTable);

beanTable.enableHeaderOrdering();

 

CheckBoxEnableAction cBEAction = new CheckBoxEnableAction(panelFilme, "comSite", "site");

panelFilme.associateAction("comSite", cBEAction);

 

ApplicationAction actionCadastra = new ApplicationAction(){

        public void execute(){

Listagem 05 – CadastroFilme.java

 

Inicialmente cria-se uma instância da acão CheckBoxEnableAction, que recebe o painél ao qual o checkbox estará presente, seu nome (deve ser igual ao boolean criado no bean Filme) e o(s) nome(s) do(s) componente(s) que depende(m) dele.

Em seguida associa-se ao painél a ação através de panelFilme.associateAction.

A figura 03 mostra os campos criados.

asappsbp3fig03.jpg 

Figura 03

 

Conclusões

Com esta terceira parte concluída, tem-se uma interface mais rica, com novos componentes e validação de campos.

Novos componentes e recursos do framework serão introduzidos nos próximos artigos.

Um grande abraço e até a próxima,

Adriano

Leia todos artigos da série

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?