Uma introdução ao real-time business intelligence

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (6)  (0)

Veja uma introdução ao real-time business intelligence.



por João Marcelo Borovina Josko

A solução de Business Intelligence – BI – tradicional é caracterizada por auxiliar os analistas de negócio a identificar as respostas – uma semana ou um mês após o acontecimento dos fatos de negócio – de Onde e Como o valor é criado para a organização, empregando análises dimensionais ou exploratórias.

A competição e a inovação tecnológica, porém, vem ampliando o interesse das organizações em responder mais rapidamente às mudanças do mercado e do negócio. Para tanto, demandam uma solução capaz de disponibilizar indicadores críticos e recomendações sobre a execução operacional do negócio de maneira rápida. A solução que apóia esse novo cenário é denominada Real-Time BI – doravante RTBI.

Compreendendo o RTBI

O propósito do RTBI é entregar informações adequadas em formato, local e latência – segundos, minutos ou horas – para um público consumidor cujo foco de decisão é restrito aos processos operacionais de uma organização. O objetivo é minorar o tempo de ação sobre o negócio que compreende o momento entre a geração do evento no negócio e a subseqüente tomada de ação, conforme figura a seguir.

sql-04-04-2008pic01.JPG
Figura 1 – Elementos do Tempo de Ação

A princípio, a proposta não constitui uma idéia inédita haja vista que algumas organizações já apresentam um conjunto de informações com baixa latência – por exemplo, informações sobre campanhas de vendas. Essas iniciativas, geralmente, são tratadas isoladamente do ambiente de BI e não endereçam os requisitos e a abordagem de uma solução RTBI – maiores detalhes, ver próxima seção.

Cumpre lembrar que o RTBI não substitui o BI tradicional, mas sim estender o ambiente de BI de forma a atender desde o nível operacional ao estratégico. Além disso, a base de baixa latência promove uma camada informacional sobre a execução do negócio que pode ser utilizada pelos sistemas transacionais como insumo na execução de regras de negócio ou para a apreciação de um operador humano.

A literatura especializada aponta três tipos ou classes de solução de BI de baixa latência, ilustradas na figura 2. São elas:

 

§  Real-Time Data-on-Demand

Solução que prove informações consistentes e integradas em uma base de baixa latência.

 

§  Real-Time Performance Management

 

Solução que prove indicadores e alertas com base no monitoramento do negócio e que, devido à evolução dos produtos de BI, apresenta certa sobreposição com a proposição da solução de BAM – Business Activity Monitoring. Essa última, contudo, detém capacidades extensas de captura de eventos – hardware, chamadas de componentes e transações de aplicações, além de dados –, bem como ferramentas criadas especificamente para o trato de processos de negócio.

 

§  Real-Time Predictive Analysis

Solução que envolve a predição de um evento de negócio – por exemplo, uma transação fraudulenta de cartão de crédito – com base nos eventos encaminhados pelos sistemas transacionais.


sql-04-04-2008pic02.JPG
Figuras 2 – Tipos de soluções de RTBI

Fatores de risco para o sucesso de soluções de RTBI

Ludibriados pela idéia do ambiente “turbinado”, um dos primeiros risco de insucesso a um projeto de RTBI recai na adoção de uma freqüência de disponibilização das informações que somente considera o tempo nominal, calcado na idéia de quanto mais rápido, melhor.

Como é dirigido a eventos dos processos de negócio, tal caminho gera problemas de inconsistência de dados, de reação dos próprios usuários de negócio e custos. Em um ambiente de tempo real, o tempo de reação depende muito da habilidade do negócio em modificar suas práticas para atuar no negócio em pequenas “janelas” de tempo, período cujas informações devem permanecer inalteradas de forma a propiciar as análises. Finalmente, o custo de TI cresce expressivamente à medida que a latência dos dados é reduzida, questão que deve ser balanceada aos desejos e os benefícios do negócio.

O sucesso começa pela capacidade da organização em compreender seus processos de negócio e respectivos requisitos informacionais, pois esse conhecimento permite a determinação do nível de serviço – latência, nível de erro máximo, etc. – desejado da solução de RTBI e, principalmente, permite determinar quais processos de negócio conquistarão o maior retorno do investimento com as informações entregues em tempo real.

Dentre uma miríade de outros inibidores do sucesso das soluções de RTBI, cumpre ressaltar os itens:

 

§  Projeto da solução de RTBI reinvidicado por TI e não pelo negócio. Visão onde a tecnologia é vista como o fator único para o sucesso, praticamente;

§  Envolvimento das pessoas erradas no projeto, por parte de TI ou do negócio;

§  Desconsideração da evolução do processo de Administração do Ambiente de BI de forma a tratar das características distintas do BI tradicional e o de baixa latência;

§  Questões de restrição orçamentária;

§  Baixo nível de qualidade e de integração das informações transacionais;

§  Conhecimento insuficiente sobre os conceitos relativos sobre RTBI, por parte do negócio ou TI;

§  Baixa maturidade de BI, tanto em aspectos técnicos quanto da cultura analítica dos usuários de negócio;

§  Adoção de infra-estrutura ou tecnologias inadequadas às necessidades da solução de RTBI e aos requisitos do negócio, entre outros.


Tecnologias críticas para o suporte do RTBI

Há uma boa variedade de tecnologias que endereçam os requerimentos de uma solução de RTBI. Além disso, à medida que esse mercado ganha corpo, mais fornecedores investem na evolução dos seus produtos, adicionando funcionalidades e interoperabilidade. Todas essas tecnologias podem ser agrupadas em três grandes categorias ou grupos, a saber:

 

1.    Coleta e Integração dos Dados

As ferramentas de ETL tradicional, responsáveis pela realização de complexas manipulações sobre os dados, vêm agregando capacidades de trabalho em tempo real – captura de eventos – em adição àquelas de tratamento batch dos dados, bem como incorporam padrões de mercado – como JDBC, JMS, entre outros – para a interface entre origem-destino.

 

Nessa categoria também se aplica a importante contribuição das ferramentas de EAI – Enterprise Application Integration – que integram sistemas heterogêneos, permitindo a troca de mensagens e dados, além de prover um ponto de acesso transparente aos dados para as ferramentas de ETL.

 

2.    Infra-estrutura

Como a solução de RTBI atrai um número maior de usuários e de mecanismos de entrega das informações em comparação ao BI tradicional, é fundamental dispor de um ambiente computacional escalável e de grande capacidade de processamento, empregando servidores multiprocessados – SMP ou MPP – e a Computação em Grade – Grid Computing.

 

O SGBD – Sistema Gerenciador de Banco de Dados – também é outro elemento crucial à medida que deve suportar grandes cargas de trabalho com um bom nível de desempenho. Sua configuração, alias, é similar àquela verificada nos sistemas transacionais, por isso é apartado do SGBD que suporta o DW com as visões históricas tradicionais.

 

3.    Disponibilização das Informações

Além das tradicionais ferramentas de análise, relatórios e dashboards – como Microstrategy e Cognos – as características do público alvo das soluções de RTBI requer um conjunto adicional de aplicações que entregam as informações através de mecanismos como: SMS, WEB phone, e-mail, pager, para citar alguns.

 

Conclusão

A dissolução da fronteira entre informações históricas e correntes faz parte de um cenário de negócio onde as organizações operam e decidem em tempo real. As mudanças advindas deste exigirão das mesmas um estreito relacionamento entre Negócio, Infra-estrutura e Sistemas de Informação – equação ainda não solucionada em muitas organizações – no que tange a processos e tecnologia.

A mudança nos processos de negócio e o aumento da responsabilidade das pessoas em atuar mais prontamente sobre problemas ou oportunidades, formarão outro desafio intrincado, pois envolverá a evolução de ordem comportamental, cultural e técnico. O desafio final, então, é o de alinhar as três dimensões essenciais do RTBI: Processos
?Pessoas?Tecnologia.

Assim, não basta à organização implementar a melhor tecnologia do mundo, pois a contribuição desta será muito pequena caso a própria organização não se prepare. Para realmente agregar valor, além do planejamento do projeto da solução de RTBI em si, a organização deve se preparar para atingir um nível de maturidade adequada para usufruir das possibilidades dessa solução.

Referências bibliográficas

BROBST, Stephen. “Ten mistakes to avoid when building a real-time data warehouse”. 2003. Ten Mistakes to Avoid Series, TDWI.

COHEN, Gerald D. “When bi becomes operational”. 2005. What Works, TDWI.
FEINBERG, Donald. “The real-time side of bi”. 2007. TDWI.

 

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?