Utilidades dos metadados - SQL Magazine 75

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

O artigo trata sobre os System Objects do SQL Server, em particular algumas das mais importantes System Catalog Views e suas aplicações em situações próximas das reais.

[lead]

De que se trata o artigo:

O artigo trata sobre os System Objects do SQL Server, em particular algumas das mais importantes System Catalog Views e suas aplicações em situações próximas das reais.

Para que serve:

Demostrações práticas de como podemos utilizar os recursos das System Catalog Views para obter informações sobre a estrutura do nosso banco de dados.

Em que situação o tema é útil:

Várias são as possibilidades de utilização das System Catalog Views. Dentre elas, citamos no artigo a criação de consultas para exibir a estrutura de tabelas do banco de dados, suas colunas, características, tipos de dados. Exemplificamos também a criação de stored procedures automaticamente.[/nota]

Há alguns poucos anos atrás, bastava um programador implantar um sistema que executasse a tarefa proposta para que o cliente ficasse satisfeito. Isso dava origem a pequenos aplicativos que só seu autor sabia como ele foi construído. Mas para alegria de quase todos, essa realidade está mudando. Cada vez mais o cliente final está preocupado com a metodologia a ser adotada e a documentação a ser entregue no final do desenvolvimento do sistema. O que eram exigências apenas de grandes empresas ou de sistemas com alto nível de complexidade, agora se tornam artefatos rotineiros que, com certeza, aumentam a vida útil do sistema, reduzem os riscos tanto no período de levantamento dos requisitos quanto de “surpresas” no momento da implantação do sistema, reduzem os esforços de manutenção e principalmente reduzem a curva de aprendizado dos novos membros da equipe de desenvolvimento.

Infelizmente, esse o período de aprendizado e amadurecimento das metodologias de desenvolvimento deixa um enorme legado de sistemas e bancos de dados com pouca ou nenhuma documentação e sem qualquer padrão de nomenclatura e codificação. Quantos de nós nos deparamos com um desses casos?

Nesse artigo, abordaremos com exemplos práticos como podemos lançar mão das catalog views para descobrir com mais facilidade como nosso banco de dados foi construído. Iremos entender como podemos gerar uma documentação básica da estrutura de tabelas e características das colunas sem precisar de software específico. Veremos ainda como as catalog views podem auxiliar na construção de stored procedures que implementam operações básicas em tabelas, tais como operações de inserção.

[subtitulo]Criando o ambiente[/subtitulo]

No nosso artigo, utilizaremos o SQL Server 2005 Express, além do SQL Server Management Studio Express como ferramenta de front-end para trabalhar com o SQL Server. Os dois são gratuitos e podem ser obtidos no endereço constante na seção de Links ao fim do artigo.

Iremos assumir que a plataforma SQL Server já está instalada e funcionando corretamente. Com isso, o próximo passo será criar o banco de dados que iremos utilizar na construção de nossos exemplos. O chamaremos de SQLMAG_ST, e devemos criar sua estrutura conforme o diagrama da Figura 1.

Figura 1. Estrutura do banco de dados SQLMAG_ST de exemplo

O script para criação do banco de dados SQLMAG_ST e suas tabelas está apresentado na Listagem 1. Na verdade, esse é um pequeno pedaço da base de dados de uma grande empresa de vendas pela Internet. Utilizaremos apenas 3 de suas tabelas para simular o ambiente onde desenvolveremos nossos exemplos.

A tabela Clientes refere-se ao cadastro básico do cliente. Para efeito de exemplo, mantivemos apenas dois campos dessa tabela. A coluna ClienteId é um inteiro incremental e é a chave primária, e a coluna Nome armazena o nome completo do cliente.

A tabela TiposTelefone guarda a classificação dos telefones (celular, residencial, comercial, recado). Ela possui duas colunas: a coluna TipoTelefoneId é sua chave primária e a coluna TipoTelefone armazena a descrição do tipo, conforme exemplificado acima.

Por fim, a tabela Telefones possibilita que cada cliente possa ter registrado os vários números de telefone. Ela possui cinco colunas: ClienteID que representa uma chave estrangeira para a tabela Clientes e armazena o cliente ao qual o telefone se refere, TelefoneID que representa o ID do telefone e é a chave primária da tabela juntamente com a coluna ClienteID, DDD que armazena o código DDD do telefone cadastrado, Telefone que armazena o número do telefone e TipoTelefoneID que é uma chave estrangeira para a tabela TiposTelefone e armazena qual o tipo do telefone em questão.

Listagem 1. Criação do banco de dados

--Criando o banco de dados
  CREATE DATABASE SQLMAG_ST
   
  USE SQLMAG_ST
  --Criando a tabela de clientes
  CREATE TABLE Clientes 
  (
        ClienteId int identity not null, 
        Nome varchar(70) null, 
        primary key (ClienteId)
  )
   
  --Criando a tabela de telefones
  CREATE TABLE Telefones 
  (
        ClienteId int not null, 
        TelefoneId int identity not null, 
        DDD varchar(2) not null, 
        Telefone varchar(8) not null, 
        TipoTelefoneId int not null, 
        constraint TelefoneId 
        primary key (ClienteId, TelefoneId)
  )
   
  --Criando a tabela de TiposTelefone
  CREATE TABLE TiposTelefone 
  (
        TipoTelefoneId int identity not null, 
        TipoTelefone varchar(30) not null, 
        primary key (TipoTelefoneId)
  )
   
   
  --Criando o relacionamento entre as Tabelas Cliente e Telefones
  alter table Telefones add constraint 
        ClienteIdTelefone foreign key (ClienteId) 
      references Clientes (ClienteId)
   
  --Criando o relacionamento entre as Tabelas TiposTelefone e Telefones
  alter table Telefones add constraint 
        TipoTelefoneIdTelefones foreign key (TipoTelefoneId) 
      references TiposTelefone (TipoTelefoneId)

Agora que já temos o banco de dados onde iremos basear todos os exemplos desse artigo, conheceremos um pouco mais sobre os system objects do SQL Server.

[subtitulo]O que são os System Objects"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?