Guia Linguagem Java

Vetores - Revista easy Java Magazine 16 - Parte 1

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Neste artigo veremos como utilizar as estruturas homogêneas de dados ou vetores para agrupar e organizar um conjunto de elementos disponibilizando para cada valor uma posição de armazenamento.

De que se trata o artigo:

Como utilizar as estruturas homogêneas de dados ou vetores para agrupar e organizar um conjunto de elementos disponibilizando para cada valor uma posição de armazenamento.

Em que situação o tema é útil:

No desenvolvimento de aplicações Java que realizam sobre um conjunto indexado de elementos a entrada de dados do mundo real, a realização de operações para transformar estes dados e a saída dos resultados obtidos.

Resumo DevMan:

Os vetores são estruturas de dados que representam um conjunto de valores do mesmo tipo (estrutura homogênea), referenciáveis pelo mesmo nome e individualizados entre si através de sua posição dentro desse conjunto (variáveis indexadas). Em Java os vetores são objetos, sendo necessário reservar espaço para seus elementos através de uma operação de alocação de memória. Uma vez criado, os valores de um vetor são armazenados utilizando uma sequência de endereçamentos de memória, possibilitando que cada elemento do vetor possa ser utilizado individualmente de forma direta.

Segundo SALIBA (1992, pág. 9), todo trabalho realizado por um computador é baseado na manipulação das informações contidas em sua memória. Estas informações podem ser classificadas em dois tipos: a) as instruções, que comandam o funcionamento da máquina e determinam a maneira como devem ser tratados os dados; e, b) os dados propriamente ditos, que correspondem à porção das informações a serem processadas pelo computador.

Ainda segundo SALIBA (1992, pág. 16), a todo o momento durante a execução de qualquer tipo de programa os computadores estão manipulando informações, representadas pelos diferentes tipos de dados, armazenados em sua memória.

De maneira bem simplificada, a organização da memória de um computador é constituída por um número finito de localizações (ou células) onde são armazenados os dados. Existe ainda, um sistema de endereçamento da memória que permite identificar unicamente todas as células, conhecido como endereço (SALIBA, 1992, pág. 16).

Esta sistemática de acesso a informações na memória é bastante ilegível e difícil para se trabalhar. Para contornar esta situação criou-se o conceito de variável, que é uma entidade destinada a guardar uma informação. As variáveis são os elementos básicos que um programa manipula e representam espaços reservados na memória do computador para armazenar valores de um determinado tipo de dados. Basicamente, uma variável possui três atributos: a) um nome; b) um tipo de dado associado à mesma; e, c) a informação por ela guardada (SALIBA, 1992, pág. 21).

O tipo de dados para uma variável é escolhido de acordo com a natureza da informação analisada e define que valores a variável pode assumir (representação interna da memória desses valores) e que operações podem ser realizadas com essa variável.

Resumidamente, os tipos de dados podem ser classificados em dois grupos: a) tipos de dados simples (numérico: inteiro e real, literal e lógico); e, b) tipos de dados estruturados (vetor, cadeia de caracteres, registro, entre outros).

Tipos de dados simples

Uma variável declarada a partir de um tipo de dados simples é uma entidade criada para permitir o acesso a uma posição de memória onde se armazena “uma” informação de um determinado tipo de dado pela simples referência ao nome simbólico da variável. A Listagem 1 apresenta um exemplo da utilização de variáveis numéricas simples do tipo inteiro (int) e do tipo real (double).

Listagem 1. Utilizando variáveis de tipos de dados simples.

public class Exemplo1 {
   
    public static void main(String[] args) {
      int nota0 = 80;
      int nota1 = 70;
      int nota2 = 90;
      int nota3 = 85;
      int nota4 = 100;
   
      System.out.printf("nota0 = %d\n", nota0);
      System.out.printf("nota1 = %d\n", nota1);
      System.out.printf("nota2 = %d\n", nota2);
      System.out.printf("nota3 = %d\n", nota3);
      System.out.printf("nota4 = %d\n", nota4);
   
      int soma = nota0 + nota1 + nota2 + nota3 + nota4;
      double media = soma / 5.0;
      System.out.printf("\nMédia Aritmética Simples = %.2f\n", media);
    }
   
  }

Na aplicação Java, apresentada na Listagem 1, foram declaradas, atribuídos e exibidos os valores das variáveis simples do tipo int: nota0, nota1, nota2, nota3 e nota4, que correspondem a 5 (cinco) notas escolares. No processamento, foi realizado a soma das notas e o cálculo da média aritmética simples, exibindo a média calculada como resultado final. A Figura 1 ilustra a representação interna da memória do computador e a execução da classe Exemplo1 na atribuição de valores, processamento e saída de resultados definidos através da manipulação de dados armazenados em variáveis simples.

Figura 1. Representação interna da memória do computador e execução da classe Exemplo1.

Tipos de dados estruturados

Em uma variável declarada a partir dos tipos de dados simples é permitido o armazenamento de um “único” valor por vez. Para agrupar e manipular diversos valores em uma mesma estrutura deve-se utilizar os tipos de dados estruturados, como por exemplo, os vetores. A "

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?