Artigo WebMobile 22 - Mini-curso de Ruby on Rails - Parte 4

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

O artigo apresenta as mudanças na versão 2.2 do Ruby on Rails.

 

Esse artigo faz parte da revista WebMobile edição 22. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

imagem_pdf.jpg

Web

Mini-curso de Ruby on Rails – Parte 4

Novidades da versão 2.2 e internacionalização do Rails

 

 

LEAD: BOX

De que se trata o artigo:

O artigo apresenta as mudanças na versão 2.2 do Ruby on Rails.

Para que serve:

Você conhecerá o principal recurso da nova versão do Rails: internacionalização.

Em que situação o tema é útil:

O teme é útil em aplicativos onde há a necessidade de internacionalizar a interface do aplicativo.

 

 

Nos artigos anteriores, criamos nosso sistema de blog com comentários, rss, validações e aprendemos sobre como são criados os layouts no Rails. No artigo dessa edição, veremos o que há de novo na versão 2.2 do framework, como atualizar nosso projeto para trabalhar com essa versão e, como utilizar o novo recurso de internacionalização, que já estava fazendo falta a um bom tempo.

Versão 2.2: o que mudou

O desenvolvimento do Rails é rápido: houve uma grande evolução na versão 2.0 - lançada em 7 de dezembro de 2007 - e uma gama de recursos implementados, como o REST - uma técnica de engenharia de software para computação distribuída que já era amplamente usada mundo afora (leia mais em http://pt.wikipedia.org/wiki/REST e em http://www.infoq.com/articles/rest-introduction).

Na versão 2.1, lançada em 1 de junho de 2008, o framework também trouxe em 6 meses o resultado do trabalho de 1600 patchs de 1400 programadores do mundo todo. Para essa versão, destacava-se principalmente a implantação das Timezones e melhorias na estrutura de caching do framework. As mudanças incorporadas nessa versão foram tantas que resultou até em um livro, feito por Carlos Brando e com o apoio do Marcos Tapajós. O livro pode ser copiado em http://www.nomedojogo.com/2008/06/06/o-primeiro-livro-sobre-rails-21-e-brasileiro/.

Mais alguns meses se passaram e chegou a versão 2.2. Confira a lista de novidades:

·         Internacionalização: trabalhar com sites ‘globalizados’ e gerar traduções para interfaces era um trabalho complicado e que nem sempre apenas uma solução resolvia todo o problema. Existiam vários plug-ins para tradução - eu utilizava um chamado Simple Localization - mas não era a solução definitiva. Através de um grupo de tradução no Google Groups (http://groups.google.com/group/rails-i18n), a comunidade se organizou e conseguiu traduzir datas, helpers, e mensagens de validação.

·         Documentação: a estrutura de documentação foi melhorada e surgiu o projeto Ruby on Rails Guides (http://guides.rubyonrails.org), que será o guia definitivo para informação do funcionamento do framework. Com o surgimento dos guias, a comunidade terá um grande material de apoio, que no futuro estará disponível em vários idiomas.

·         Mudanças no Active Record: ocorreram várias mudanças no Active Record, como adições de métodos e a criação de uma configuração para que você possa escolher qual o prefixo do nome dos arquivos de migração: pode ser o timestamp (como já é atualmente e que você já deve ter observado dentro do diretório db/migrate/) ou como um número fixo (como era nas versões antigas do Rails). O uso dos arquivos com prefixo de tempo é útil em trabalhos em equipe, já que dois programadores poderiam gerar migrations com prefixos iguais, caso usassem números para identificá-las.

·         Uma lista com as mudanças dessa versão pode ser vista em http://www.akitaonrails.com/2008/10/24/tradu-o-ruby-on-rails-2-2-release-notes

Versão 2.2: instalação

         A instalação da versão é simples, bastando digitar em seu terminal:

 

$ gem install rails -s http://gems.rubyonrails.org -v 2.2.0

 

         Observe que, nesse caso, estamos informando a versão desejada e onde o pacote está. Lembre-se que se você estiver no Linux ou Mac OS, é necessário executar o comando como super-usuário. Quando você digitar esse comando, a saída será algo como o encontrado na Listagem 1.

 

Listagem 1. Instalação da nova versão do Rails

Updating metadata for 13 gems from http://gems.rubyonrails.org/

.............

complete"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?