Guia Hibernate

Desenvolvendo com Hibernate

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (5)  (0)

Iniciando o desenvolvimento de aplicações Java com Hibernate Explore o Hibernate, o framework de mapeamento objeto/relacional mais utilizado do mercado. Conheça um pouco dos seus conceitos e aprenda a configurar e desenvolver uma aplicação utilizando esta tecnologia

Atenção: esse artigo tem um vídeo complementar. Clique e assista!

[lead]De que se trata o artigo:

Este artigo trata os conceitos de Hibernate, visando apresentar a tecnologia aos desenvolvedores Java. Abordamos os conceitos fundamentais para utilização da implementação JPA do Hibernate e desenvolvemos uma aplicação prática demonstrando seu potencial de utilização.

Para que serve:

Este artigo serve para desenvolvedores que desejam iniciar o desenvolvimento da camada de acesso a dados utilizando a implementação da JPA com o Hibernate.

Em que situação o tema é útil:

Muitos desenvolvedores quando desejam iniciar no desenvolvimento de aplicações em Java encontram, na maioria das vezes, dificuldades na camada de acesso a dados. Conhecer um framework objeto-relacional, como o Hibernate, torna-se importante para simplificar o desenvolvimento e automatizar tarefas repetitivas de acesso a dados.

Desenvolvendo com o Hibernate:

Um grande problema enfrentado pelos desenvolvedores que trabalham com linguagem orientada a objetos é o mapeamento desses objetos em banco de dados. Isso se deve a um grande número de bancos de dados, inclusive os maiores do mercado, trabalharem ainda no modelo relacional. Dessa forma, desenvolvedores necessitam criar mecanismos para converter dados em objetos e vice-versa, o que acaba desvirtuando-o do seu foco principal e da grande expectativa do cliente, que é o software final.

Algumas soluções de mercado facilitam essa conversão, dentre estas o Hibernate. O Hibernate hoje é o framework Java para mapeamento objeto relacional mais conhecido no mercado. Sua principal função é abstrair o mapeamento, economizando esforço e preocupações concernentes a tal tarefa. Com uma arquitetura simples, de fácil configuração, e com funções de fácil entendimento, o Hibernate simplifica bastante a tarefa do desenvolvedor. Na versão 3.x o Hibernate implementa a especificação JPA (Java Persistence API) através do conceito de anotações (implementada a partir do JDK5), o que facilita ainda mais o mapeamento objeto-relacional, que pode agora ser feito diretamente na classe.

Para demonstrar todo o poder de utilização do framework, apresentamos um exemplo de aplicação bancária que expressa de forma prática todos os conceitos abordados no artigo. Muitos outros conceitos referentes ao Hibernate não foram abordados nesse artigo, pois o objetivo principal deste é apresentar uma visão para desenvolvedores iniciantes, o que nos levou a suprimir conceitos mais avançados, os quais se encontram disponíveis no site de referência. [/lead]

Trabalhar com softwares orientados a objetos e banco de dados relacionais pode ser enfadonho e consumir muito tempo de desenvolvimento. Quando a linguagem de programação Java começou a tomar força no mercado, várias soluções começaram a surgir para resolver este problema. A vencedora dessas soluções, que desbancou até mesmo o padrão EJB 2.0, foi o Hibernate, uma ferramenta para mapeamento objeto/relacional para ambientes Java.

Dessa forma, nesse artigo, apresentaremos o que é o Hibernate, sua história, suas principais funções e, por fim, desenvolveremos um exemplo prático para utilização do Hibernate com JPA e Annotations.

[subtitulo]O que é Hibernate?[/subtitulo]

Hibernate é uma ferramenta para mapeamento objeto/relacional para ambientes Java. O termo mapeamento objeto/relacional (ORM) refere-se à técnica de mapeamento de uma representação de dados em um modelo de objetos para um modelo de dados relacional baseado em um esquema E/R. O Hibernate não cuida somente do mapeamento das classes Java para tabelas do banco de dados (e dos tipos de dados Java para os tipos de dados SQL), mas também provê facilidades para consultar e retornar os dados da consulta, e pode reduzir significativamente o tempo de desenvolvimento em contrapartida ao alto tempo gasto pelas operações manuais dos dados feitas com SQL e JDBC.

O Hibernate é uma ferramenta de consulta e persistência objeto/relacional de alta performance. Uma das soluções ORM mais flexíveis e poderosas no mercado, ele faz o mapeamento de classes Java para tabelas de banco de dados e de tipos de dados Java para tipos de dados SQL. Ele fornece consultas e facilidades para retorno dos dados que reduzem significativamente o tempo de desenvolvimento. A meta do projeto do Hibernate é aliviar os desenvolvedores de 95% das tarefas comuns de programação relacionadas à persistência, como a codificação manual com SQL e a API JDBC. O Hibernate gera o SQL para a aplicação, não necessitando o tratamento dos “result sets” (comuns nas conexões manuais com JDBC), faz a conversão entre registros e objetos e permite que sua aplicação seja portável para qualquer banco de dados SQL. A Figura 1 apresenta a atuação do Hibernate dentro de uma aplicação Java.

Figura 1. Atuação do Hibernate dentro de uma aplicação

[subtitulo]Histórico[/subtitulo]

O framework Hibernate foi desenvolvido por uma equipe de programadores Java liderada por Gavin King e teve sua primeira versão divulgada em 2004. Segundo King, um dos objetivos ao criar o projeto era resolver seus problemas referentes à persistência causados pelo EJB 2.0, o qual considerava muito complexo. Devido à popularidade do projeto e por se tratar de um projeto “pessoal”, King utilizava seu tempo livre para que pudesse resolver problemas identificados pelos usuários do Hibernate. Com um escopo muito vasto, o projeto tornou-se inviável de ser mantido apenas nos tempos livres, assim King aceitou entrar para o JBoss Group, passando a ser remunerado para continuar a desenvolver o projeto, o que lhe permitiu dedicação completa ao Hibernate.

Atualmente o projeto está em sua versão 3.x. Ela tem novas características como uma nova arquitetura Interceptor/Callback, filtros definidos pelo usuário, anotações do JDK 5.0 e é mantido pelo JBoss Group, o qual possui uma equipe para desenvolvimento liderado pelo mesmo Gavin King e outra do Hibernate 100% dedicada para auxiliar os usuários em treinamento, suporte e consultoria. O Hibernate é gratuito e distribuído sob a licença de software livre LGPL.

[subtitulo]Arquitetura[/subtitulo]

O projeto Hibernate é composto por vários pacotes Java. Cada pacote tem uma funcionalidade específica e alguns deles só são disponíveis a partir da versão 5.0 do Java SE e do Java EE. A Figura 2 apresenta um quadro ilustrativo.

Figura 2. Arquitetura do Hibernate para a plataforma Java utilizada

Os pacotes apresentados acima são obrigatórios para o desenvolvimento utilizando Hibernate. O único pacote que deve estar sempre presente independente da plataforma Java utilizada é o Core. Além desses pacotes existem outros que agregam outras funcionalidades ao framework e que podem ser adicionados mediante a necessidade do desenvolvedor da aplicação, são eles: Hibernate Shards, Hibernate Validator, Hibernate Search e Hibernate Tools. A Tabela 1 apresenta uma lista e uma descrição resumida de todos os pacotes.

Pacote

Descrição

Hibernate Core

Hibernate para Java, APIs nativas e metadados XML

Hibernate Annotations

Mapeia as classes com anotações do JDK 5.0

Hibernate EntityManager

API de persistência Java padrão para Java SE e Java EE

Hibernate Shards

Framework para particionamento horizontal de dados

Hibernate Validator

API para anotação e validação da integridade dos dados

Hibernate Search

Integração do Hibernate com o Lucene para indexação e consulta a dados.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?