Desenvolvendo Web Sites com PHP e Firebird

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Veja como utilizar o banco de dados Firebird em aplicações PHP.

Esse artigo faz parte da revista Clube Delphi Magazine edição 96. Clique aqui para ler todos os artigos desta edição

PHP

Desenvolvendo Web Sites com PHP e Firebird

Veja como utilizar o banco de dados Firebird em aplicações PHP

Nesse artigo veremos

·     Criação de um site simples totalmente feito em PHP;

·     Inclusão de cadastros em banco de dados Firebird;

·     Envio de e-mails.

Qual a finalidade

·     Com esse artigo entenderemos os principais aspectos da linguagem PHP no desenvolvimento de aplicações para Web.

Quais situações utilizam esses recursos?

·     Veremos nesse artigo uma extensão dos artigos anteriores, onde vimos as principais características da linguagem. Podemos criar qualquer tipo de aplicação on-line utilizando os recursos aqui mostrados.

Resumo do DevMan

O banco de dados MySQL e a linguagem PHP se mostraram uma dupla infalível no que diz respeito a linguagem versus banco de dados. Sem dúvida nenhuma é a dupla que deu mais certo na internet até hoje. O MySQL é considerado o banco de dados mais rápido entre os SGDB’s freeware disponíveis na rede mundial. Em conjunto com o PHP torna-se uma excelente ferramenta. Infelizmente o MySQL tornou-se um banco comercial e por esse motivo muitos desenvolvedores tem procurado alternativas para substituí-lo.

Desde as suas primeiras versões, o PHP possui suporte ao Interbase/Firebird. Na verdade ao Interbase, mas como os bancos são bem parecidos, podemos facilmente conectar uma página PHP a um SGBD Firebird.

É isso que veremos nesse artigo. Aprenderemos a desenvolver uma aplicação simples com acesso ao banco Firebird e de quebra ainda veremos como enviar e-mails.

Assim como nosso mascote DevMan mencionou, o PHP é muito bem visto em conjunto com o MySQL, seu parceiro das antigas. O PHP foi criado por em 1994 por Ramus Lerdorf como um CGI escrito em C, permitindo um número limitado de comandos. Foi inicialmente foi chamado de Personal Home Page Tools. Lerdorf criou a linguagem para processar formulários ao qual deu o nome de FI(“Form Interpreter”). A junção de ambas linguagens originou na primeira versão compacta da linguagem: PHP/FI.

Em 1997 aconteceu uma grande contribuição à linguagem, quando o analisador sintático começou a ser programado. Diversas funcionalidades foram acrescidas à linguagem tais como suporte a novos protocolos de Internet e também o suporte a grande maioria dos bancos de dados comerciais.

Todas essas melhorias resultaram na versão 3.0 da linguagem. A sigla PHP significa PHP Hypertext Processor, isso mesmo. O primeiro “P” é o próprio PHP o que soa um tanto estranho.

Praticamente junto com o PHP surgiu o MySQL. A primeira idéia do banco, digamos que se iniciou por volta de 1979 por uma equipe que tinha como principal objetivo: ter acesso às tabelas criadas na linguagem SQL. Em 1994, Michael Widenius, na companhia suíça TcX, criou o MySQL que por sua vez começou a crescer em popularidade por volta de 1995 com o lançamento de sua primeira versão. De lá pra cá tem crescido até a sua venda para a Sun Microsystems. Até então a dupla MySQL e PHP estavam sempre juntas.

O Firebird tornou-se, com toda certeza, um dos SGBD’s free mais utilizados entre a comunidade Delphi, mas e na Web? O que será dele?

Nesse artigo veremos como o Firebird se comporta na Web dando apoio a uma das linguagens mais utilizadas para o desenvolvimento de Web Sites.

Faremos a instalação do PHP 5.2.6 no Windows e em conjunto com o IIS (“Internet Information Server”). Desenvolveremos uma aplicação capaz de cadastrar e listar usuários em um banco Firebird.

Nas edições de 89 a 92 vimos os principais aspectos da linguagem. Vimos também condicionais, laços, arrays, enfim, todos os detalhes sobre PHP. Agora vamos desenvolver uma aplicação com PHP puro, prepare-se.

Baixando e instalando o PHP 5.2.6

A primeira providência a se tomar para desenvolver nossa aplicação teste é baixar e instalar o PHP 5.2.6 em nosso micro. A versão 5 está muito mais fácil de instalar do que as verões anteriores. Agora é possível fazer a instalação com apenas alguns cliques. Para isso, abra o seu browser preferido e acesse o site oficial da linguagem em www.php.net. Em seguida acesso o link downloads. Na página de downloads encontramos diversos links e versões do PHP. Faça o download do PHP 5.2.6 installer em Windows Binaries ou, se preferir, digite na barra de endereços o link www.php.net/get/php-5.2.6-win32-installer.msi/from/a/mirror. Você será redirecionado para uma página com diversos mirrors(“servidores de download”) e poderá escolher um deles para baixar.

Após baixado o arquivo em sua máquina, clique duas vezes sobre php-5.2.6-win32-installer.msi e vamos à instalação (Figura 1). Clique em Next na primeira tela e em seguida escolheremos o modo que o PHP será instalado (Figura 2). Escolha IIS ISAPI module. Como pode ver, podemos instalar o PHP de diversas formas e em diversos servidores de Web, incluindo o Apache.


Figura 1. Instalação do PHP 5.2.6

Figura 2. Escolhendo o modo de instalação do PHP

Basicamente, não há mais nada de extraordinário na instalação do PHP. Basta seguir o restante do Wizard que termos a linguagem instalada e rodando em nosso Windows. O que devemos fazer agora é informar ao IIS que o PHP está presente e por isso precisamos configurá-lo.

Assim que a instalação terminar, entre no Painel de Controle do Windows e acesse Ferramentas Admnistrativas>Internet Information Services. Clique com o botão direito do mouse sobre o item Default Web Site (“Sites da Web Padrão”) localizado à esquerda da janela. Expanda a árvore de pastas se não conseguir encontrar o item mencionado. Agora clique em Filtros ISAPI (Figura 3) e em seguida no botão Adicionar. Digite o nome do filtro e em seguida clique em Procurar. Localize e escolha o arquivo php5isapi.dll presente no diretório C:\Arquivos de Programas\PHP caso não tenha mudado o caminho durante a instalação.

Agora vá até a aba Diretório Home e clique em Configuration. Nesse ponto adicionaremos a extensão .php para que o IIS reconheça-a. Clique em Procurar e localize o arquivo php.exe no diretório de instalação da linguagem(Figura 4). Na Figura 5 você encontra um exemplo de como ficará sua tela.

Figura 3. Adicionando o filtro PHP


Figura 4. Adicionando a extensão do PHP

Figura 5. Extensão adicionada

Por fim clique em Documentos e em seguida em Adicionar. Agora faremos a adição do arquivo index.php. Ele será o arquivo padrão procurado pelo servidor PHP sempre que uma página for requisitada. Digite index.php e confirme.

O último passo é criarmos um diretório virtual no IIS para receber os arquivos de nosso web site. Para isso dê um clique de direita no IIS e escolha Novo>Diretório Virtual no menu pop-up. Clique em Próximo na primeira tela e na tela seguinte digite o alias(“apelido”) para a página e continue.

Marque a opção Leitura (Figura 6) se não estiver marcada. Continue com Próximo e, prosseguindo, informe o caminho para os arquivos do site, em nosso caso guardaremos em C:\TestePHP. Por fim clique em Finish. Todos os arquivos de nosso web site serão salvos nessa pasta de agora em diante. Com isso finalizamos a instalação.

Figura 6. Uso do PHP no Windows

Nota: Em algumas situações, é necessário copiar o arquivo php.ini do diretório de instalação do PHP para o diretório System32 do Windows.

Criando o banco de dados

Um passo importante para o nosso exemplo certamente é criar o banco de dados a ser utilizado. Não entrarei em detalhes quanto à instalação do Firebird, apenas a criação do banco."

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?