Array
(
)

Delphi 8 .net x Delphi7

R0n4ld0
   - 03 jun 2004

Estou usando o delphi7 e gostaria de criar aplicativos .net para poder rodar aplicativos em varias plataformas como windows linuz macOS e outros dentro de uma rede simples mais gostaria de saber quando for adquirir o delphi 8 presiso pedir delphi8 .NET ou basta pedir o delphi 8 que ele ja e um .net desculpe a ignorancia a falta de tempo faz com que eu fique meio desatualizado


$grandaum$
   - 19 ago 2004

jah fiz essa pergunta hein uns 4 foruns niguem me responde!!!!
qual eh o melhor pra ser usado
delphi 7 ou delphi 8 ........????


$grandaum$
   - 19 ago 2004

jah fiz essa pergunta hein uns 4 foruns niguem me responde!!!!
qual eh o melhor pra ser usado
delphi 7 ou delphi 8 ........????


Host
   - 19 ago 2004

O delphi 8 ou BDP como quizer é uma ferramenta dot net ou .net.... ñ gera executaveis!!!Porem tem a mesmo desempenho, a nivel de criação e diversidade de aplicativos!!!Ah... no delphi 8 é menos complicado criae aplicativos .NET em comparação ao delphi 7!!


Pehdepano
   - 23 ago 2004

É um erro comparar D7 com D8. Aliás, o D8 deveria se chamar ´Pascal.NET´, afinal de contas, nada mais é do que uma forma de inserir programadores Delphi no mundo DOT NET.

Se vc vai desenvolver aplicações win32(win 95,98,ME,2000,XP) use o D7.
Se quer aprender DOT NET(aplicações WEB, Windows.Forms) use o D8.

Não conheço ninguém que já esteja portando seus aplicativos comerciais para D8, portanto, use-o para teste e aguade a versão 9.


Yoshi
   - 19 set 2004

Cara, eu uso o delphi 7 e o 8, porém em performace o delphi 7 eh muito melhor q o delphi 8 .net.....
o delphi .net eh muito lento pra compilar, mesmo com um athlon xp 3 e 512 mb...
Porém, todos os produtos da borlan são exelentes!!!


Michaell
   - 12 out 2004

Colega,

A Borland deixou a desejar com esta versão do Delphi (8 for .NET). Realmente, como o nosso colega Peh de Pano disse, não devemos entendê-la como uma continuação do Delphi 7, mas sim uma nova IDE para uma nova plataforma - dot NET ou .NET, como queira.
O ´Team´ da Borland preparou a versão às pressas e veio cheio de bugs e críticas a parte, é a cara do Visual Studio 2003 da Microsoft! Na edição 55 da ClubeDelphi, tem um ótimo artigo de como integrar o Delphi com as ferramentas do Office (Word, Excel...) utilizando os componentes da paleta ´Servers´ do Delphi 7. Implementei nos meus projetos, inclusive. Mas quando abro o Delphi 8 e pesquisa por Excel, Servers... Word... Nada!! A VCL.NET está bem enxuta e deixou muito a desejar... Um alerta para o ´Team´ da Borland: ´O Visual Studio da Microsoft saiu na frente na corrida .NET´. Compact Framework (Suporte completo a programação para dispositivos portáteis na IDE) e outras coisas mais... Só faltou suportar a linguagem Object Pascal... Aí eu não pensaria 2 vezes para migrar meus aplicativos para Visual Studio. Mas como já investi e programação Delphi... Espero que o ´Team´ do Delphi apresse-se e produza com mais qualidade para o ´DiamondBack´ do que fez com o Delphi 8 (eca).

Opnião pessoal, ainda fique com o Delphi 7 e utilize a versão 8 apenas para testes e estudos.


[]´s


Marcosalex
   - 13 out 2004


Citação:

A Borland deixou a desejar com esta versão do Delphi (8 for .NET). Realmente, como o nosso colega Peh de Pano disse, não devemos entendê-la como uma continuação do Delphi 7, mas sim uma nova IDE para uma nova plataforma - dot NET ou .NET, como queira.
O ´Team´ da Borland preparou a versão às pressas e veio cheio de bugs e críticas a parte, é a cara do Visual Studio 2003 da Microsoft! Na edição 55 da ClubeDelphi, tem um ótimo artigo de como integrar o Delphi com as ferramentas do Office (Word, Excel...) utilizando os componentes da paleta ´Servers´ do Delphi 7. Implementei nos meus projetos, inclusive. Mas quando abro o Delphi 8 e pesquisa por Excel, Servers... Word... Nada!! A VCL.NET está bem enxuta e deixou muito a desejar... Um alerta para o ´Team´ da Borland: ´O Visual Studio da Microsoft saiu na frente na corrida .NET´. Compact Framework (Suporte completo a programação para dispositivos portáteis na IDE) e outras coisas mais... Só faltou suportar a linguagem Object Pascal... Aí eu não pensaria 2 vezes para migrar meus aplicativos para Visual Studio. Mas como já investi e programação Delphi... Espero que o ´Team´ do Delphi apresse-se e produza com mais qualidade para o ´DiamondBack´ do que fez com o Delphi 8 (eca).

Opnião pessoal, ainda fique com o Delphi 7 e utilize a versão 8 apenas para testes e estudos.
[]´s


O .NET só suporta os ´Servers´ através de COM+ com código não gerenciado. É uma limitação do .NET, não da Borland.

Uma coisa que a Borland no Delphi que deu de 10 a 0 no Visual Studio é o BDP. Putz, é muito mais rápido, fácil e eficiente trabalhar com banco de dados no Delphi. Enquanto no VS .NET eu preciso de um componente para cada tipo de banco de dados, tenho que fazer tudo na mão e ainda tem bugs, o BDP faz automático e ainda tem live data (que a Borland já tem desde o Delphi 3, continua tendo, e o VS até hoje não sabe o que é isso).
Outra coisa fantástica no Delphi é o ECO que também não vi similar em nenhum outro concorrente. Sem falar na jogada de mestre da Borland integrar o Together, deixando a modelagem sempre sinconizada com o desenvolvimento!

Quanto à VCL.NET, a Borland já disse que pode até portar mais alguma coisa, mas que o futuro dela é a morte. Quem for programar, programe em Windows Form.


Michaell
   - 16 out 2004


Citação:
O .NET só suporta os ´Servers´ através de COM+ com código não gerenciado. É uma limitação do .NET, não da Borland.


Esqueça COM...
A limitação da Borland, que eu mencionei, foi deixar algumas coisas para trás (um dos vários exemplos que eu poderia ter dado foi a integração com o Office da Microsoft). Mas que o Delphi 8 foi feito às pressas, isso foi... Indiscutível...


Citação:
Quanto à VCL.NET, a Borland já disse que pode até portar mais alguma coisa, mas que o futuro dela é a morte. Quem for programar, programe em Windows Form.


Onde você viu (ou ouviu) isso, colega? :?:


Gurc
   - 06 nov 2004

Concordo com vocês dois em alguns pontos. Gostaria de acrescentar minha opinião.
Talvez o Borland Team tenha apressado um pouco o Delphi 8, afinal, migrar um ambiente RAD do tamanho do Delphi para .NET, convenhamos, não é uma tarefa tão simples. E, no mundo atual, nós desenvolvedores sabemos o que é vencer prazos. O Delphi 2005 trás de volta o suporte a Win32, mas tudo indica que cairá em desuso. Todavia, não podemos dizer “o Win32 morrerá”, pois, se até o BDE (BDE.NET) sobreviveu ao choque para acessar principalmente o “Piradox”, por que aconteceria com o Win32? É claro, se quisermos nos manter atualizados, certamente adotaremos o .NET, mas, ainda hoje, com o .NET podemos acessar funções da API Win32. Isso eu não testei ainda, apenas ouvi dizer. O Win32 só morrerá de verdade se a Microsoft decidir extinguí-lo.
Acho que a VCL.NET não morrerá também. Pelo menos ainda não. A Borland pode decidir mantê-la e os programadores podem decidir não usa-la. Em tempos de migração de tecnologia não é tão simples acabar com coisas passadas, pois, já estamos todos acostumados com elas.
Acrescentando, o COM está sendo migrado mas não podemos esquecer que o .NET ainda o usa para muita coisa. Vai ser difícil cair em desuso pois, hoje, existem muitas aplicações legadas construídas com base em DataSnap que utilizam essa tecnologia.
Gostaria de lembrar apenas mais uma última coisa. Amigos, o COBOL até hoje é a terceira linguagem mais usada no mundo e também está sendo migrado para o .NET como as outras 40 e tantas que já ouvimos falar.
É isso, não podemos prever o futuro, apenas opinar!
Abraços,
Gustavo Royer Chaurais


Dopi
   - 08 nov 2004

Já que as aplicações Win32 tem futuro incerto, e a VCL.NET é incompleta e será descontinuada... Qual a vantagem de comprar o Delphi 8 / 2005 ?

Se for para aprender uma nova linguagem, compensa analisar alguma que já nasceu .NET (C#) , usando o SharpDevelop que é Free...

http://www.icsharpcode.net/opensource/sd/

A meu ver a Borland cometeu um erro estratégico focando todas as suas forças em .NET., pois ficará presa a MS e o Delphi ser tornará uma linguagem usada apenas por programadores ´legados´ .

Com a CLX / Qt o Delphi poderia se tornar uma Linguagem Multiplataforma, inclusive com IDE multiplataforma, e com grande aproveitamento dos códigos Win32.

Com Delphi.NET o código Win32 pode ser migrado, mas não irá tirar proveito total da nova plataforma... e mesmo assim, continuará preso a mudo do Bill Gates... pois o MONO ainda não garante uma soluçao multiplataforma para o .NET. Mesmo que o MONO seja um sucesso... ainda sim teremos que comprar o Windows porque o Delphi 2005 nao tem IDE para Linux... dai fica bem prático, compila no Win, dá um novo boot e testa no Linux... :-(


Estranho... Mas já vi isso acontecer... a Computer Associates, que comercializava o CLIPPER tinha todo o mercado na mão. Quando o Windows foi inevitável eles ´forçaram a barra´ para todos mudarem para o horrivel ´Visual Objects´ e.... perderam todo o mercado... Na minha opniao o Clipper ainda é um bom produto até hoje, muito eficiente em aplicações especificas (grande parte dos Frente de Caixa são escritos em DOS / CLIPPER), mas ´morreu´ cedo demais, por um erro estratégico.


Gurc
   - 08 nov 2004


Citação:
Já que as aplicações Win32 tem futuro incerto, e a VCL.NET é incompleta e será descontinuada... Qual a vantagem de comprar o Delphi 8 / 2005 ?

Se for para aprender uma nova linguagem, compensa analisar alguma que já nasceu .NET (C#) , usando o SharpDevelop que é Free...

http://www.icsharpcode.net/opensource/sd/

A meu ver a Borland cometeu um erro estratégico focando todas as suas forças em .NET., pois ficará presa a MS e o Delphi ser tornará uma linguagem usada apenas por programadores ´legados´ .

Com a CLX / Qt o Delphi poderia se tornar uma Linguagem Multiplataforma, inclusive com IDE multiplataforma, e com grande aproveitamento dos códigos Win32.

Com Delphi.NET o código Win32 pode ser migrado, mas não irá tirar proveito total da nova plataforma... e mesmo assim, continuará preso a mudo do Bill Gates... pois o MONO ainda não garante uma soluçao multiplataforma para o .NET. Mesmo que o MONO seja um sucesso... ainda sim teremos que comprar o Windows porque o Delphi 2005 nao tem IDE para Linux... dai fica bem prático, compila no Win, dá um novo boot e testa no Linux... :-(


Estranho... Mas já vi isso acontecer... a Computer Associates, que comercializava o CLIPPER tinha todo o mercado na mão. Quando o Windows foi inevitável eles ´forçaram a barra´ para todos mudarem para o horrivel ´Visual Objects´ e.... perderam todo o mercado... Na minha opniao o Clipper ainda é um bom produto até hoje, muito eficiente em aplicações especificas (grande parte dos Frente de Caixa são escritos em DOS / CLIPPER), mas ´morreu´ cedo demais, por um erro estratégico.


Certo Dopi, como eu disse anteriormente, não podemos prever o futuro, apenas opinar, não é mesmo?
Eu não acho que o Delphi for .NET tem a perder com essa estratégia. Na revista desse mês a mesa redonda ficou muito interessante e, se você leu, deve ter visto um comentário de Leonardo Tolomelli dizendo que desde outubro de 2003 usa-se mais .NET do que J2EE no Brasil. Essa tecnologia está se consolidando e muito no mercado. Daqui pra frente a tendência é que as comunidades linux (e de outras plataformas) construam suportes para a ferramenta, assim como o Mono que ainda enxergo com certo receio.
Você disse também o seguinte. Pra que usar Delphi se temos C#, certo? Você já viu o suporte que o Delphi trás pro .NET? O BDP é muito útil, coisa que os outros não trazem! E não é só isso... o Delphi for .NET está nascendo AGORA e todos nós conhecemos a proeza da Borland para tornar as coisas mais fáceis. Lembra de como a Borland simplificou o COM? Este é só um começo. Vejamos daqui pra frente. Hoje, comparare o Visual Studio da Microsoft com o Delphi da Borland. Principalmente quando o suporte ao Compact Framework for implementado, veremos quem estará na frente. Programar no Delphi é bem mais fácil. Se você quer programar em C tudo bem, o Delphi ainda oferece suporte ao mesmo, vá em frente, o C realmente é uma linguagem muito poderosa.
Agora mudando um pouco de área. Você tocou num ponto interessante, o nosso bom e velho amigo, Kylix. Bom, eu programo usando a CLX, também, em alguns projetos, por isso, como você, me interessei pelo assunto. Perguntei pessoalmente para um membro do Team da Borland aqui no Brasil, cujo nome prefiro não dizer, e recebi a seguinte resposta. Dizem as más linguas que a Borland abrirá o seu fonte assim como fez com o Interbase. Outros dizem coisas mais interessantes. É provável que o Kylix seja totalmente voltado ao Mono, ou seja, continuaremos compilando em Linux e rodando em Linux!
Bom, tudo o que eu falei são probabilidades e previsões, nada disso é certo ainda.
Espero ter acrescentado alguma coisa,
Abraços,
Gustavo Royer Chaurais


Dopi
   - 08 nov 2004


Citação:

interessante e, se você leu, deve ter visto um comentário de Leonardo Tolomelli dizendo que desde outubro de 2003 usa-se mais .NET do que J2EE no Brasil. Essa tecnologia está se consolidando e muito no mercado.


Sim eu lí esse comentário na revista, mas sinceramente tenho minhas dúvidas... Acho que tanto programadores Java como .NET são ´mosca branca´ uma raridade....

Aqui no forum temos um bom exemplo disso: Até hoje temos 127 posts no Forum de .NET contra 43778 no Forum de Delphi. Cadê a turma do .NET ?

Mesmo a revista ClubeDelphi acho que erra ao fazer tantas matérias sobre .NET.... Tem publico para le-las ? Eu mesmo ´ainda´ não tenho interesse nelas, apenas dou uma olhada por curiosidade...

Seguindo a linha de raciociono da Borland, o Delphi sempre foi uma linguagem ´for Windows´ por isso é natural migrar tudo pro .NET já que o Windows será .NET. Mas será que hoje em dia uma linguagem deva ficar tão atrelada a uma plataforma assim ? Quase todas as linguagens de sucesso atualmente são multiplataformas: PHP, C, Java, etc...

Concordo que uma ferramenta comercial (como o Delphi) sempre traz recursos que aumentam a produtividade... mas quando elas começam a ditar o rumo que vc deve seguir ao invez de dar opçoes... a coisa incomoda um pouco...


Laercioguerco
   - 10 nov 2004

Concorde com o colega PehdePano.
Li atentamente as colocações de outros colegas, achando muito esclarecedoras. No entanto, a questão COM+ me parece que tem que ser mais discutida.
Na verdade, desenvolver em .Net e utilizar COM+ me parece um pouco esquisito. Vejamos, se a idéia em migra para .Net está associado a mudança de plataforma (com todos os benefícios inerentes), ter uma aplicação .Net combinada com tecnlogia COM+(win32) é no mínimo bisonho.
Acho que a questão Servidor de Aplicação, no que representa para um projeto no modelo n-Tier,ainda deve ser amadurecido em .Net.
sinceramente,acho que équestão de tempo.


Gurc
   - 10 nov 2004

Concordo, mas acho que muitos sistemas legados podem ser migrados gradativamente, por isso o uso do COM+. Talvez o reaproveitamento de servidores de aplicação, etc.

Gustavo Royer Chaurais