Modelos de maturidade e capacidade para Serviços – Revista Engenharia de Software Magazine 53

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

Neste artigo vamos apresentar o modelo CMMI para serviços e demonstrar como o mesmo se encaixa no ciclo de produção, onde atualmente está presente o ITIL.

Do que se trata o artigo

A expansão do CMMI para o campo de serviços apresenta uma alternativa mais integrada para construção (CMMI-DEV) e disponibilização (CMMI-SVC) do serviço. Neste artigo vamos apresentar o modelo CMMI para serviços e demonstrar como o mesmo se encaixa no ciclo de produção, onde atualmente está presente o ITIL. Discutir como este modelo CMMI-SVC se integra com o já difundido CMMI-DEV, para desenvolvimento de soluções de software, apresentando as diferenças entre as áreas de processo e abordagem dos dois modelos.

Em que situação o tema útil

Este artigo apresenta o CMMI-SVC como solução alternativa ao ITIL para suporte na entrega de serviços, para empresas que já utilizam o CMMI-DEV e desejam utilizar uma estratégia com maior integração com o CMMI já utilizando dentro da organização.

Modelos de maturidade e capacidade para Serviços

Este artigo expõe as diferentes básicas entre os modelos CMMI revelando a possibilidade de um ambiente mais homogêneo dentro da organização com a utilização de diferentes modelos de um mesmo órgão fornecedor, neste caso, o SEI. É visto ainda que modelos de maturidade e capacidade também são uma tendência nacional.

A indústria de serviços é um direcionador significante para o crescimento da economia global. A orientação no desenvolvimento e melhoria na maturidade das práticas de serviços é a chave para aumento do desempenho do fornecedor e satisfação do cliente. A biblioteca ITIL vem sendo utilizada largamente para implementar esse gerenciamento e melhoria, porém, não segue os padrões determinados pelo SEI contidos no CMMI. O modelo CMMI para Serviços (CMMI-SVC) é construído para atender este fim, no qual todas as práticas se concentram em atividades visando melhoria na entrega do serviço.

Neste contexto, este artigo apresenta o modelo CMMI para serviços e demonstra como o mesmo se encaixa no ciclo de produção, onde atualmente está presente o ITIL.

Modelos de Maturidade

Hoje é fato que o número de organizações, pequenas, médias ou grandes, e ainda públicas ou privadas que utiliza SI/TI é imenso, mas poucas, principalmente no Brasil, elaboram ou seguem verdadeiramente um planejamento de SI/TI formal. Outro fator importante é a obrigatoriedade do alinhamento deste planejamento de SI/TI com o planejamento estratégico organizacional, e também utilizar alguma metodologia para guiar todo o processo de planejamento e implantação.

As organizações estão à procura de modelos que permitam avaliar o nível de maturidade dos seus processos. Devido à alta demanda por flexibilidade e velocidade nos processos, e seu crescente grau de complexidade, as organizações buscam soluções de TI robustas para auxiliar a transformar suas estratégias em ações.

Uma forma genérica de atender as demandas de todas as organizações é utilizar modelos que avaliem a maturidade dos processos utilizados. Estes modelos podem ser entendidos como a coleção das melhores práticas a serem aplicadas ao contexto de maturidade de processos. A empresa deve exercitar-se na disciplina do controle de seus processos e ganhar rapidamente elevados padrões de maturidade. Os modelos representam trilhas a serem seguidas durante este exercício.

Modelo CMM e CMMI

CMMI (Capability Maturity Model Integration) é o resultado de um esforço para definir as etapas que organizações desenvolvedoras de software realizam resultando em um maior controle sobre seus processos. A necessidade do esforço foi identificada pelo Departamento de Defesa (DoD) dos EUA e realizada pelo Instituto de Engenharia de Software (SEI) da Carnegie Mellon University. O produto original deste esforço, o CMM, foi designado para medir a maturidade dos processos de uma organização de desenvolvimento de software.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?