Técnicas de debug no Delphi

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (9)  (0)

Veremos neste artigo como realizar a depuração de código no Delphi, utilizando os diversos recursos oferecidos pelo IDE que facilitam a realização de testes e a localização de erros.

Fique por dentro
Este artigo irá mostrar a importância do debug na vida do desenvolvedor e como utilizar as ferramentas de depuração disponíveis no Delphi. Conhecimentos de boas técnicas de debug podem auxiliar a localizar de forma mais fácil e eficiente a causa de um problema, seja ele de lógica ou de regra de negócio. Esse tipo de técnica garante ao desenvolvedor maior produtividade, por acelerar a localização dos erros, e ao software maior qualidade, por auxiliar na redução dos problemas.

Durante o desenvolvimento de uma aplicação, é comum a ocorrência de erros de variados tipos e origens. Quando se trata de um erro de sintaxe ou que fere alguma regra estrutural da linguagem de programação ou das ferramentas utilizadas, normalmente o próprio editor/IDE aponta a localização do problema, de forma que o programador pode facilmente corrigi-lo. Por outro lado, erros de lógica ou de regras de negócio normalmente só são localizados durante o processo de utilização ou de testes, já com a aplicação em execução, portanto sua identificação e correção é mais difícil.

Quando os próprios desenvolvedores ou testadores não identificam esses problemas, o software acaba sendo entregue ao cliente com bugs, que provavelmente só serão descobertos durante a utilização prática. Em um cenário ainda pior a aplicação pode não apresentar erros que interrompam seu fluxo de funcionamento, mas gerar internamente resultados que não correspondam aos esperados. Esse tipo de problema normalmente só é encontrado posteriormente e, dependendo das estratégias utilizadas para o armazenamento e backup dos dados, bem como do volume de informações geradas, pode ser impossível de ser corrigido. Os prejuízos dessas falhas podem ser os mais variados, tanto para o cliente quanto para o responsável pelo desenvolvimento do sistema, devido à atribuição de uma imagem negativa ao seu produto/serviço.

Identificar um bug pode ser uma tarefa árdua para principiantes ou desenvolvedores sem conhecimentos de boas técnicas de debug, por isso é importante conhecer as ferramentas que o IDE disponibiliza para auxiliar nessa tarefa.

Uma das técnicas mais utilizadas na depuração de uma aplicação é a exibição de mensagens em pontos estratégicos (com a função ShowMessage, por exemplo). O problema dessa prática é que é muito fácil se esquecer de remover essas mensagens após o debug, fazendo com que sejam exibidas para o usuário final e tornando necessária uma nova correção e liberação da aplicação.

Uma forma de otimizar essa técnica, evitando essas mensagens indesejadas para o usuário final, é utilizar a diretiva {$IFDEF DEBUG}, que faz com que todo código em seu interior seja executado apenas para os programas gerados em modo debug, e não nas versões release. Pode-se utilizar essa instrução não apenas para mensagens, mas também para criar um log específico ou executar comandos necessários para algum teste, como a criação de um arquivo de configuração. Porém, apesar de muito útil, essa diretiva não resolve todos os nossos problemas. Realizar todos os processos de depuração baseados apenas nela será trabalhoso e nada produtivo.

Para que possamos realizar o debug de forma produtiva e eficiente, vamos conhecer neste artigo algumas ferramentas disponíveis no Delphi fundamentais para todos os desenvolvedores, desde os mais iniciantes até os mais avançados.

Breakpoints

Breakpoints são pontos de interrupção utilizados para pausar a execução de uma aplicação e permitir que se acompanhe, linha a linha, o fluxo do código a partir dali. Um breakpoint funciona apenas quando a aplicação está sendo executada em modo de depuração e pode ser criado de várias formas:

  • Clicando na barra do lado esquerdo do editor de código, ao lado da linha em que se deseja adicionar o breakpoint;
  • Clicando com o botão direito do mouse na linha onde o breakpoint deve ser adicionado e, no menu suspenso, clicando em Debug > Toggle Breakpoint;
  • Pressionando F5 com o cursor estando posicionado na linha em que se deseja adicionar o breakpoint.

A Figura 1 ilustra a adição de um breakpoint. Repare que do lado esquerdo do editor um ponto vermelho indica a linha onde ocorrerá a parada.

Essas orientações são baseadas no funcionamento padrão do Delphi. A instalação de plug-ins/extensões pode alterar esses caminhos/atalhos.

Adicionando
um breakpoint

Figura 1. Adicionando um breakpoint

Com o breakpoint definido, ao executar a aplicação o fluxo do código será interrompido ao atingir a linha marcada. Nesse momento, podemos acompanhar, passo a passo, as próximas instruções. Para isso, basta utilizar os comandos Step Over (F8), para executar a próxima linha, Trace Into (F7), para entrar no método em execução na atual linha, ou Run (F9), para executar todo o código até o próximo breakpoint.

Para que possamos realizar um pequeno teste, crie uma nova aplicação no Delphi, adicione um TButton e um TLabel e, em seguida, adicione o comando da Listagem 1 no evento OnClick do botão.

Listagem 1. Evento OnClick do botão para testar o breakpoint

  01 procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject);
  02 Var sValue : String;
  03 begin
  04   sValue := 'Teste de breakpoint';
  05   lblMsg.Caption := sValue;
  06 end;

Nesse código criamos uma variável do tipo string e, na linha 4, atribuímos a ela o valor "Teste de breakpoint". Na linha 5 atribuímos o valor dessa variável ao caption do label.

Adicione então um breakpoint na linha 4 e execute a aplicação (clicando no menu Run > Run, equivalente ao atalho F9). Ao clicar no botão, a aplicação será pausada e o editor do Delphi será aberto com a linha onde o breakpoint foi adicionado marcada em destaque. Pressione F8 e observe que a seta do lado esquerdo avançará para a próxima instrução, informando o próximo comando a ser executado. Cada vez que esse comando for utilizado, a linha selecionada será executada e o fluxo avançará para a próxima.

Ao parar em um breakpoint, além da possibilidade de ver o algoritmo sendo executado passo a passo, pode-se ver os valores das variáveis e as propriedades de um objeto apenas passando o mouse sob" [...]

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?